Itabaiana e Confiança é encerrado antes do tempo

0

Simões comemora título
Itabaiana e Confiança jogavam ontem à noite no Presidente Médici uma partida disputadíssima. Vitória do Confiança daria o titulo de campeão estadual ao time proletário. O jogo estava empatado em 1×1. Fabiano cobrando falta fez 1×0 para o Itabaiana aos 7 minutos do primeiro tempo. Aos 11 min da fase final Adelino empatou  para o Confiança. Até ai tudo bem.

Aos 14 min do segundo tempo, o atleta Alisson do Confiança foi agredido pelo meia Tácio. Caiu na área e o assistente Almidrovando, que viu o lance relatou ao árbitro ocorrido. Confusão criada, empurra-empura. Saldo da briga: as expulsões de Tácio e Fabiano que foi tomar as dores do colega.

A partir daí, sentia-se que a partida não chegaria ao final. No auge da confusão, o supervisor do Itabaiana Gilberto Sena entrou em campo, criticou a atuação do árbitro e afirmou que o Itabaiana daria seqüencia ao jogo, e apesar da atuação do árbitro, o time não sairia de campo.
A partida foi reiniciada e o treinador Quintino Barbosa fez três substituições relâmpago. Kiko, Lima Baiano e Lima Paraibano substituíra a Everton, Paulinho e Diego, respectivamente.

 Aos 17 minutos o zagueiro Carlson caiu na área do Itabaiana. Mais à frente caíram o também zagueiro Emerson e o meia Claiton. Os atletas foram atendidos de imediato pelo médico Jimmy Rocha. Os três foram levados para serem atendidos no vestiário.

O árbitro Rogério Lima da Rocha deu 10 minutos ao médico para atendimento e um diagnóstico dos atletas. O médico retornou disse que os atletas não tinham condições de retornar. “Emerson sentiu tonturas, Carlson um forte hematoma à altura do quadril e Claiton sofrera uma forte pancada na panturrilha. Não posso obrigar esses atletas a retornar, porque aí a responsabilidade passa ser minha com médico”, disse Jimmy Rocha.

Como o Itabaiana estava sem o número legal de jogadores em campo, o árbitro Rogério Lima da Rocha encerrou a partida aos 17 minutos do segundo tempo. Jogo encerrado  e a torcida do Confiança, o treinador Maurício  Simões comemoravam indevidamente a conquista de um título inexistente, uma vez que essa partida terá o seu destino definido pelo Tribunal de Justiça


 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais