Comando do PT de Sergipe será revezado entre tendências

0
Gualberto: prática inovadora para comandar o PT (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O comando do Partido dos Trabalhadores no Estado será conduzido por diferentes tendências, uma prática inovadora que pode transformar o partido de Sergipe em uma espécie de laboratório para o cenário nacional na condução dos destinos da atividade política do partido.

O deputado estadual Francisco Gualberto, que tomará posse na Presidência da Executiva Municipal nesta terça-feira, 10, garante que fará o revezamento em todas as instâncias do partido faz parte do acordo firmado entre as correntes lideradas pelos deputados Rogério Carvalho, da tendência Militância Presente, Partido Forte, e Ana Lúcia, da Articulação de Esquerda, após o primeiro turno do Processo de Eleições Diretas (PED) realizado no dia 10 de novembro, que deu vitória a Rogério Carvalho, na Presidência da Executiva Estadual, e a Francisco Gualberto, na Municipal.

“Vamos fazer um trabalho na Executiva Municipal com mesma inspiração da Executiva Estadual com revezamento no mandato”, observa Gualberto. Os encaminhamentos para cumprimento do acordo começou na Executiva Estadual nesta segunda-feira, 9, com a posse do deputado federal Rogério Carvalho, na presidência. O parlamentar conduzirá o partido nos próximos dois anos e meio e o restante do mandato [um ano e meio] terá a condução da deputada Ana Lúcia Menezes.

Rogério: posse para comando de dois anos e meio (Foto: Cássia Santana/Portal Infonet)

Já na Executiva Municipal, o mandato começa com a posse do deputado estadual Francisco Gualberto, que acontecerá nesta terça-feira, 10, às 18h, na sede do PT, em Aracaju. Gualberto presidirá a Executiva Municipal por um período de dois anos e meio, e o ano e meio restante ficará dominado pelo vereador Iran Barbosa. Modelo que também será seguido nos Diretórios Estadual, formado por 46 membros, e Municipal, com 36 membros. “A composição contemplou  todos os setoriais de mulheres, juventude, negros, movimentos sociais, etc”, diz Gualberto.

Uma medida inovadora para renovar o quadro partidário, na visão de Gualberto. “Somos os únicos a experimentar esta fórmula de revezar período de mandato, de fazer todas as inclusões possíveis de setores do partido”, considerou. “É uma experiência, um laboratório que Sergipe fará e não temos dúvida que vai dar certo e vamos conduzir o partido da melhor forma possível, apesar deste momento de tristeza com a perda de uma grande liderança”, observou. “Nos Diretórios Estadual e Municipal, um grupo fica na direção por um ano, sempre misturando os mais experientes com aquele que não teve a oportunidade de adquirir a oportunidade de dirigir o partido, tendo a finalidade de preparar mais quadros para que o partido não estagne e não fique refém de determinadas situações que não estão sob nosso controle”, considerou o futuro presidente da Executiva Municipal. 

Gulaberto adverte que o partido precisa ser oxigenado para que novas lideranças apareçam para manter acesa a trajetória do partido. “Perdemos a maior liderança e, logicamente, ninguém pretende substituir o que perdemos, mas é preciso fazer um esforço, cada um usar a sua cota de sacrifício e de possibilidades para que a história do PT possa prosseguir e avançar e o partido possa continuar representando os interesses da classe trabalhadora, os interesses do povo de Sergipe e os interesses do povo do Brasil”.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais