Déda não contém as lágrimas na sanção do Proinveste

0

Momento da entrega dos projetos pela deputada Angélica Guimarães (Fotos: Portal Infonet)

“Quem não tem princípios com a política, quebra a cara no primeiro poste porque não sabe para onde vai. A política se exerce sob a história e a história é móvel”. A afirmação foi feita pelo governador Marcelo Déda (PT) em solenidade na manhã desta segunda-feira, 13 no auditório da Codise para sancionar o Proinveste no valor de R$ 567.301.548,18. No final do discurso, ele não conseguiu conter as lágrimas ao relatar que não vai inaugurar algumas obras.

Segundo ele, o Estado de Sergipe não poderia ficar de fora de um programa cuja principal e talvez única finalidade seja viabilizar investimentos de infraestrutura, educação, segurança e desenvolvimento econômico.

“Eu me sinto feliz, pois foi uma negociação transparente, séria e ética. Busquei agir, como sempre fiz em toda a minha vida pública, com honestidade, seriedade e humildade para buscar os que pensam diferente de mim e mostrar a realidade do que o Proinveste poderia significar para o futuro da nossa juventude, do nosso povo e para o futuro de Sergipe”, ressalta.

E do agradecimento

O governador disse ainda que não adianta procurar quem ganhou e quem perdeu no episódio da demora para a aprovação do Proinveste na Assembleia Legislativa de Sergipe.

“O certo é que, quem ganhou foi o povo de Sergipe e o meu dever não era fazer uma sanção burocrática, mas um ato em homenagem à política, com P maiúsculo. Hoje estamos comemorando a vitória de Sergipe porque não há vitoriosos, nem derrotados.  Agora a novela encerrou. Cabe aos deputados estaduais acompanhar a execução do Proinveste”, destaca lembrando que o Governo Federal ofereceu condições extraordinárias de crédito, com 6% de juros ao ano e 20 anos para pagar.

Déda não consegue conter as lágrimas

Ele agradeceu aos deputados de oposição e da situação, ao ex-prefeito Edvaldo Nogueira (Pcdob), ao prefeito João Alves Filho (DEM), ao senador Eduardo Amorim (PSC) e a todos que contribuíram para que o Proinveste fosse aprovado.

Saúde

Com a saúde abalada por conta de um câncer gastrointestinal, Marcelo Déda contou que por recomendações médicas, vai se ausentar do Governo por uns 15 dias, visando intensificar o tratamento. “Passei muito mal ontem à noite, mas pedi muito a Deus para conseguir participar dessa solenidade porque se eu não viesse, poderiam interpretar mal, mas Deus é pai. Meus médicos pediram que desse uma pausa no trabalho por pelo menos 15 dias. Estou fazendo fisioterapia, massagens, porque perdi muita massa muscular”, informa.

E prossegue:"Enquanto Deus me der força, continuarei lutando por Sergipe"

“Não acreditem que o Estado está parado, mesmo quando estou em Brasília estou em contato direto com a minha equipe, mas eu não sou tão forte, eu choro, mas tudo tem uma razão de ser. Só paro quando estou na quimioterapia. Faço por amor aos meus filhos, ao meu povo, à Sergipe, por um conceito de responsabilidade. Enquanto Deus me der força e a medicina conseguir me manter em pé, eu continuarei buscando trabalhar pelo Estado de Sergipe, dentro do mandato que o povo sergipano me deu”, enfatiza.

Marcelo Déda lamentou não estar com condições físicas para comparecer às inaugurações de obras.

“Temos sete rodovias para entregar. Não sei se estarei presente, mas vou autorizar o vice entregar, porque não quero que nada se atrase, em função de mim. É claro que tem obras que planejei, que escolhi fazer, como o revestimento asfáltico de Santa Rosa do Ermírio a Sítios Novos. Meu coração fica pesado porque eu queria estar lá. Muito mais do que estar lá para cortar a fita, muito mais do que por vaidade, eu queria estar ali para ver aquilo que me fez entrar na política, que é o sorriso do meu povo, a felicidade da entrega da obra. A maior dor tem sido essa. Fazer a obra e não colher os sorrisos. No fundo é o maior ordenado que eu tenho, é o sorriso na face dos sergipanos”,  finaliza em lágrimas.

Lição

Solenidade aconteceu no auditório da Codise

O senador Eduardo Amorim voltou a destacar a importância do diálogo durante o processo de discussão do Proinveste. ”A grande lição que fica é que o diálogo promove realmente conquistas como essa e como todas as outras, não pode ser diferente. Democracia significa acima de tudo dialogar e a liberdade para dialogar. O governador a única vez que solicitou o diálogo e a oposição de forma muito responsável concedeu. A oposição pediu para destacar que obras seriam executadas porque nós vamos pagar esse empréstimo nos próximos 20 anos”, diz.

E para a presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães (PSC), “a função primordial do Legislativo é dialogar, discutir, aprimorar os projetos e a bancada de oposição cumpriu o seu papel em pedir que as obras estruturantes fossem amarradas no bojo do projeto e para modificar alguma obra do Proinveste terá novamente que se submeter a aprovação pela Assembleia Legislativa. Nós queríamos aprovar o Proinveste nesse novo modelo e será uma vitória para o povo de Sergipe”.

Ausência

Mesmo não tendo votado no Proinveste, deputado Paulinho da Varzinha, compareceu

Auditório da Codise ficou pequeno para a grande quantidade de pessoas

Todos os deputados estaduais da bancada da oposição, a exceção de Susana Azevedo (PSB) participaram da solenidade, o que não aconteceu com a situação. Os deputados Francisco Gualberto e Conceição Vieira, ambos do PT e o deputado Garibaldi Mendonça (PMDB)não compareceram, assim como o vice-governador Jackson Barreto (PMDB).

Indagado pelo Portal Infonet sobre a ausência do vice, Déda respondeu com outra pergunta. “Jackson não vem?” e foi informado por um repórter que ele estava participando de um evento na Universidade Federal de Sergipe, em Lagarto.
Participaram ainda os deputados federais Márcio Macedo (PT), Rogério Carvalho (PT) e Laércio Oliveira (PL).

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais