Deputados unem forças para impedir saída da Petrobras de SE

0
Deputados aprovaram o requerimento para audiência Pública com diretor do Sindipetro (Foto: Jadilson Simões)

Vários deputados estaduais de Sergipe utilizaram o plenário durante o Pequeno Expediente da sessão dessa quarta-feira, 18, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para criticar o fechamento da unidade da Petrobras em Sergipe, e pedir o apoio de todos os parlamentares sergipanos na bancada federal para buscar medidas para evitar que isso aconteça.

A deputado Maria Mendonça (PSDB) propôs que a Casa Legislativa convide representantes do Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Alagoas e Sergipe (Sindipetro Al/Se) para fazer um debate sobre essa situação. A parlamentar também disse que irá protocolar hoje, 18, uma moção de apelo a presidência da Petrobras e ao presidente Jair Bolsonaro.

“Nós estamos dando entrada hoje numa moção de apelo a presidência da Petrobras e ao Presidente da República para que reveja essa situação porque já está definido para o dia 31 de março a saída definitiva da Petrobras de Sergipe, e seus trabalhadores terão que migrar para o estado do Espirito Santo e Rio de Janeiro, e os que não quiserem, terão que aderir ao Plano da Demissão Voluntária (PDV). Isso é muito grave”, aponta Maria Mendonça que afirma que a classe política tem que unir para lutar pela Petrobras em Sergipe.

“Essa casa precisa garantir a defesa, a bancada federal,  toda a classe politica deve ir ao presidente da República e da Petrobras para impedir que a estatal saia do nosso Estado. Com a descoberta do gás natural tivemos uma esperança extraordinária de aquecer economia e dar dignidade a população sergipana, e agora a Petrobras quer desestruturar o estado deixando centenas de pessoas desempregadas”, diz.

O deputado Luciano Pimentel (PSB) lembrou que desde o seu mandato anterior que alertou a Casa Legislativa para o desinvestimento da Petrobras. Ele conta que aconteceram reuniões na estatal, inclusive uma este ano, e que o superintendente da Petrobras foi convidado a participar de sessão na Alese, mas o convite não foi aceito.

“Passei quatro anos mostrando nessa casa a política de desinvestimento da Petrobras. Essa problemática vem acontecendo ao longo desses anos e era evidente que isso ia acontecer. É uma questão muito grave, a Petrobras gera mais de 2 mil empregos diretos e uma infinidade de indiretos. São pessoas que têm salários médios, acima do mercado local, isso vai impactar na economia de Sergipe, além dos transtornos causados as famílias que serão transferidas. Isso é gravíssimo e é um assunto que merece ser tratado numa sessão especial para que todos os parlamentares se unam contra essa desmobilização da Petrobras de Sergipe”, ressalta.

Política de esvaziamento

Francisco Gualberto (PT) relembrou que no final do governo de Fernando Henrique Cardoso aconteceu a tentativa de retirar a sede da Petrobras de Sergipe, mas a situação conseguiu ser revertida quando o ex-presidente Lula foi eleito presidente do Brasil, mas que a politica do atual Governo é esvaziar o Estado.

“O Governo quer vender o Tecarmo e as plataformas, o gás que está descoberto não tem sinal que vai haver exploração, a Fafen está sem produzir, então, a ideia é esvaziar, o que não significa pouca coisa para um estado como o nosso. Imagine a Petrobras fechando, aumentando o desemprego direto e indireto, e a queda de arrecadação no estado. Esse é o retrato de que não há nenhuma intenção de prosperidade no que depender da política do Governo Federal em relação a Petrobras para o estado de Sergipe. Não é uma questão de partido ou de ser contra ou a favor do Governo, a questão é como vamos nos comportar diante dos interesses do estado de Sergipe. É preciso juntar todos numa grande mobilização contra essa aberração se está sendo feita aqui”, lamenta.

Pauta conjunta

Iran Babosa (PT) propôs que ações concretas sejam feitas para demonstrar a indignação do Poder Legislativo e chamar atenção da sociedade para o que está sendo feito. O parlamentar propôs que o presidente da Casa, Luciano Bispo, tome a iniciativa de se unir com os presidentes das Assembleias Legislativas do Nordeste para atuar conjuntamente.

“Tem que mobilizar os presidentes de assembleias, em especial os presidentes de estados que estão sendo atingidos por medidas dessa natureza, e que proponha fazer uma sessão conjuntas de poderes legislativos em Brasília para discutir essa situação,  e produzir um documento no Congresso Nacional manifestando a inconformidade desse tipo de medida. Protocolar ato púbico para o presidente da República contra isso. É bom começarmos a nos movimentar”, enfatiza.

Por Karla Pinheiro

Comentários