Material de campanha apreendido em Glória

0

Material apreendido está retido no Fórum de Glória

Após receber denúncia anônima, o promotor titular de Nossa Senhora da Glória, Alex Maia Oliveira, realizou diligência e apreendeu cerca de 50 bandeiras e 13 folhas de adesivos do candidato do PT, Chico do Correio.  A apreensão foi feita nas imediações do Colégio Tancredo Neves. 

 

Todo o material e o motorista do carro, locado, foram encaminhados ao Fórum da cidade, quando foi aberto procedimento investigatório.  A informação é de que a secretária de Estado da Inclusão Social, Ana Lúcia Menezes, estava no veículo.

 

De acordo com o promotor, não se constituiu crime eleitoral, porque não houve flagrante da distribuição do material, ou seja, foi apreendido o material, mas não tem responsabilização. “Já ouvimos o motorista, liberando-o em seguida e vamos ouvir outras pessoas, mas não ficou constatada a distribuição do material”, destaca Alex Maia, ressaltando que todo o produto apreendido está retido no Fórum.

 

Promotor Alex Maia: “Procedimento Investigatório”
Boca de urna

 

O promotor lembrou que o prazo destinado à propaganda eleitoral, terminou no último dia 7. “De acordo com determinação da Lei 9.504/97, artigo 39, da resolução do Tribunal Regional Eleitoral, os candidatos poderiam fazer a propaganda até o dia 7 de fevereiro. Com isso, a propaganda no dia da eleição, é proibida”, ressalta Alex Maia.

 

 

Poucos incidentes

 

O juiz Sidney eleitoral da 17ª zona, Sidney Silva Almeida, afirmou terem sido registrados apenas pequenos incidentes. “No geral o pleito transcorre de maneira tranqüila. Além dessa apreensão de material de campanha, registramos um ou outro

Juiz Sidney Silva: “No geral, eleição tranquila”
incidente, a exemplo de fiscais disputando espaço nas sessões eleitorais”, explica.

 

Polícia presente

 

A Polícia Federal foi acionada para reforçar as eleições de Nossa Senhora da Glória, mas até o momento, não foi solicitada pela Justiça Federal para intervir em algum problema. “Estamos com oito homens, circulando pela cidade e nos locais de votação. Atuamos de forma preventiva e repreensiva, quando há algum flagrante. Continuamos a disposição da Justiça Federal”, enfatiza o delegado da Polícia Federal em Sergipe, Daniel Horta.

 

Por Aldaci de Souza e Domingos Lessa  

 

 

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais