Mendonça pede desculpas e faz denúncias contra Déda

0

“Houve excessos do ex-governador”
O deputado federal Mendonça Prado (DEM) reuniu a imprensa na manhã desta sexta-feira, 28, para tratar dos assuntos que repercutiram esta semana e que envolveram o ex-governador João Alves Filho. Ele declarou que houve excessos quando o ex-governador usou o termo “mamar nas tetas do governo” no último fim de semana durante visita de Aécio Neves e Serra, se referindo aos prefeitos. E prometeu denunciar Marcelo Déda ao Ministério Público por campanha antecipada.

“Ele entende que não deveria ter dito isso. Houve excesso do ex-governador durante um momento de exaltação”, declarou Mendonça, acrescentando que tem um carinho especial pelos prefeitos. O fato gerou até uma nota de repúdio da Associação dos Municípios do Baixo e do Vale do São Francisco e da Associação dos Municípios da Região Centro-Sul de Sergipe.

“João não merece essas agressões”, afirma Mendonça
Depois do pedido de desculpas ele fez questão de lembrar que em outros momentos da história política de Sergipe outros políticos, inclusive o presidente Lula, já usaram termos no nível deste e não foram tão “massacrados”, como segundo ele, estão fazendo com João Alves. “Ele não merece essas agressões. É muita hipocrisia as críticas que partiram contra ele por causa desse termo”, ressaltou.

Denúnicas

Durante a coletiva ele fez diversas denúncias contra o governador Marcelo Déda e disse que irá levá-las ao Ministério Público para apurá-las. Mendonça fez questão de exibir um áudio do discurso que o governador fez durante a inauguração da Rota do Sertão e destacou que em alguns momentos o governador fez campanha eleitoral antecipada. “Ele pediu voto explicitamente ao prefeito de Cumbe. Isso é crime. Vamos levar aos 

Mendonça diz que não há interferência no processo de cassação
tribunais e quem vai apurar esse ato dele é a justiça”, afirmou.

Cassação

Sobre as afirmações do governador Marcelo Déda de que João é quem estaria querendo tirá-lo do governo através do processo de cassação, Mendonça disse que João não interfere nesse processo. “Quem julga são os magistrados, os homens sérios deste país. Não somos nós políticos que vamos atrapalhar o processo. O governador está colocando em dúvida a seriedade dos ministros”.

Comentários