Podemos entra com ação para revogar posse de Gracinha Garcez na Alese

0
Gracinha Garcez assumiu vaga na Alese (Foto: Alese)

O Partido Podemos (PODE) de Sergipe entrou com uma ação de decretação de perda de cargo eletivo contra a contra a recém-empossada deputada estadual, Gracinha Garcez (PSD). A sigla acusa Gracinha de infidelidade partidária e alega que a vaga na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) deve ser ocupada pelo suplente do partido, Carlão Vigilante.

De acordo com o advogado do Podemos, Edmilson Júnior, a deputada Gracinha feriu o Instituto Eleitoral. “Gracinha era primeira suplente do partido, mas perdeu a posição a partir do momento em que, sem nenhuma justificativa plausível, saiu do partido para disputar a eleição como prefeita de Itaporanga. Ela sabia que poderia perder o cargo”, afirma o advogado ao se referir ao período em que Gracinha deixou o Podemos e se filiou ao PSD para concorrer às eleições municipais em Itaporanga D ‘Ajuda.

Segundo o advogado, Carlão Vigilante, 1º suplente do partido, é que deve assumir a vaga que era de Diná Almeida. “Quero aqui ressaltar que estamos reivindicando a vaga que pertence ao nosso partido. Ingressamos com o pedido ainda durante a manhã e estamos confiantes que conseguiremos a vaga de volta”, afirmou o advogado.

Entenda

Na última terça-feira, 21 de setembro, a deputada estadual Diná Almeida (PODE) teve seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), após acusação de abuso de poder político e econômico.

De acordo com o Ministério Público Eleitoral, a deputada e o marido, prefeito do município de Tobias Barreto em 2018, utilizaram a máquina municipal em favor da candidatura de Diná. O ministério constatou, ainda, que a candidata teria recebido doações de fontes não identificadas, o que também teria afetado a igualdade na disputa eleitoral.

Após a cassação, a vaga da deputada Diná Almeida (PODE) foi preenchida pela deputada Gracinha Garcez (PSD) na última segunda-feira, 27. Entretanto, a posse causou descontentamento do partido em que Diná era filiada, o Podemos, que nesta terça-feira, 28, entrou com o pedido de reinvindicação da vaga, dita por ele pertencente ao partido.

 

Por Luana Maria e Verlane Estácio 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais