Prefeitos se reunem para discutir unificação de associações

0

Prefeitos de diversos municípios participaram da assembléia (Fotos: Portal Infonet)
Os prefeitos de associações regionais de Sergipe realizaram uma assembléia geral na manhã desta terça-feira, 6, no hotel Mercure na orla de Aracaju para, entre outros assuntos, discutir a unificação das associações no Estado. Além disso, a pauta de discussões girou em torno de outros quatro assuntos: o pré-sal, a emenda 29 que trata do financiamento da saúde pública; o ISS digital; e o diário eletrônico.

De acordo com o presidente da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba Gilson dos Anjos a idéia é que até 2011 seja definida a forma como os municípios serão representados no Estado.

“Minha idéia é que se discuta a questão da federação em 2011 que é um ano frio politicamente, pois não existe eleição. Vamos decidir se é necessário as três associações mais a federação ou somente a federação. Além disso é importante recriar a Associação do São Francisco para que os prefeitos não fiquem órfãos, já que ela foi acabada de uma maneira não republicana”, comenta.

Gilson dos Anjos afirma que a discussão da federação deve ser deixada para 2011 para decisão não ser política
O prefeito Fábio Henrique de Nossa Senhora do Socorro que é o atual vice-presidente da recém criada Federação dos Municípios Sergipanos acredita que é importante a definição ainda neste ano.

“Eu acho que deveria decidir hoje, pois eu acho que se você puder ter uma federação que represente todos os municípios em consenso seria um fato positivo, mesmo que você não acabasse com as associações regionais, mas você teria uma federação que representaria, por exemplo, os municípios em eventos nacionais”, afirma.

Segundo o presidente da Associação dos Municípios da Região Centro Sul de Sergipe e prefeito de Poço Verde Antônio Dórea, ainda não há um consenso no formato da federação. “Nós queremos ver que formato nós iremos ter em relação a federação, por isso vamos ouvir os prefeitos”, diz.

Toinho de Dorinha falou que o repasse da CCS não pode onerar apenas Estados e Municípios
O prefeito de Poço Verde falou ainda sobre a discussão da emenda 29 na câmara dos deputados que trata da ampliação dos recursos para a saúde com a criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS).

“A outra discussão é a emenda 29 em que o município é obrigado a repassar 15% das suas receitas a saúde, o Estado 12%, mas a união não tem nenhuma obrigação e o que está em discussão é que a união tenha que passar 10% do seu orçamento para financiar a saúde pública do Brasil”, ressalta.

Por Bruno Antunes

Comentários