Proinveste: Goretti Reis pede vistas dos projetos

0

Gualberto mostra o Regimento Interno (Fotos: Portal Infonet)

Os projetos solicitando empréstimo no valor de R$ 727 milhões por meio do Proinveste, foram devolvidos às 14h desta terça-feira, 6 pelo deputado Gilson Andrade (PTC) à Comissão de Economia e Finanças da Assembleia Legislativa de Sergipe. Mas, a deputada Goretti Reis (DEM), pediu vistas no final da manhã desta quarta-feira, 7. O clima esquentou e o líder do Governo, Francisco Gualberto (PT), deixou a Sala das Comissões, visivelmente irritado.

“Essa Casa está sendo destruída literalmente. O Regimento Interno nunca disse que o pedido de vistas deverá ser por dois dias úteis, mas por dois dias e por que o deputado Gilson Andrade só devolveu os projetos na tarde de ontem? Se ele pediu vistas na quinta, teria que ter devolvido pelo menos na segunda-feira, 5. Ninguém fala mais sobre Regimento nessa Casa? O senhor não tem culpa Dr. Gilson, pois mandaram que agisse assim. Eu não estou querendo me aposentar como doido. Lavo as minhas mãos”, destaca levantando-se e saindo dizendo não querer falar com a imprensa.

Gilson discute projetos com Goretti Reis

“O deputado Francisco Gualberto esqueceu que sexta-feira, foi feriado? Só existe prazo corrido na justiça eleitoral. Dr. Gilson pediu vistas na quinta-feira, 1º e devolveu na terça, no prazo correto de dois dias”, argumenta o líder da oposição, Venâncio Fonseca (PP).

“Eu fui orientado que o pedido de vistas é por dois dias úteis, mas mesmo que não fosse, um dia a mais, um dia a menos não ia mudar nada. Eu me reuni com uma equipe de economistas para analisar os projetos. Li atentamente e infelizmente Estância será contemplada com um galpãozinho industrial. A ponte ligando conjuntos, que está caída desde a enchente de 2010, continua do mesmo jeito; o memorial está depredado. Meu município não podia ser esquecido em um projeto de R$ 727 milhões”, lamenta.

Deputados confirmam prazo de dois dias úteis com assessores jurídicos

Ele argumentou ainda que em relação ao projeto de empréstimo nº 149/2012, junto à Caixa Econômica Federal (CEF), no valor de R$ 160 milhões, o secretário da Fazenda, João Andrade, disse que se refere à contrapartida dos convênios da União com o Estado.

“Fizemos o levantamento e nos últimos cinco anos o governo do Estado conveniou com a União algo em torno de R$ 710 milhões, que significa uma contrapartida de R$ 71 milhões e não de R$ 160 milhões. Se tem dinheiro, como está pedindo emprestado?", argumenta Gilson Andrade.

Mais dúvidas

A deputada Goretti Reis disse estar pedindo vistas também com a finalidade de analisar os projetos e tirar dúvidas. “Ninguém está pedindo vistas fazendo uso de recursos para atrasar a votação ou não aprovar, mas porque estamos com dúvidas mesmo. No relatório de Paulinho das Varzinhas ele solicita os municípios contemplados e as obras e no de Dr. Gilson Andrade, ele questiona a questão da contrapartida. Eu vou analisar os projetos e no prazo regimental, até a próxima sexta-feira, 9, estarei devolvendo”, garante.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais