Servidores de Carira protestam por melhorias salariais

0
Ato ocorreu na manhã desta segunda-feira, 16 (Foto: CUT)

‘Servidor na rua, prefeito a culpa é sua!’, as palavras repetidas pela população e servidores públicos de Carira deram o tom do protesto realizado na manhã desta segunda-feira, dia 16 de abril, pelas ruas da cidade. O protesto organizado pelo SINDSPUC (Sindicato dos Servidores Públicos de Carira), filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), cobrou salário digno e valorização para os servidores públicos concursados do município que desde 2010 recebem o salário base de R$ 510.

O presidente do SINDSPUC, Valtenilson Santos Silva, o Zominha, afirmou que há 10 anos a população de Carira não vê um protesto com esta dimensão. Além dos servidores públicos, militantes do MST que dialogavam com a população da feira sobre a prisão sem provas contra o ex-presidente Lula se somaram ao ato público. “Recebemos a informação de que nesta semana o prefeito vai entrar em contato conosco. Depois deste diálogo, pretendemos convocar uma assembleia para definir os próximos passos da luta junto aos servidores. O ato de hoje foi um sucesso, aproximadamente 200 pessoas participaram do protesto, agradecemos o apoio da CUT e da FETAM (Federação do Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Sergipe)”.

O presidente da CUT/SE, Rubens Marques, o professor Dudu, participou do protesto em Carira. “O povo que estava nas calçadas, na feira, se juntou e fizemos um belo ato. O movimento só é forte quando ele consegue dialogar com a população. A CUT pautou a questão local, dos servidores, e também esclareceu o povo sobre a prisão de Lula e a crise econômica que está impactando na vida dos trabalhadores. Tudo isso é fruto de um golpe, não é por acaso e os trabalhadores precisam estar atentos, com o olhar crítico para as próximas eleições que se aproximam”.

Prefeituira 

O prefeito Arodoaldo Chagas (PSC) informou que o município não tem fôlego econômico para aumentar o salário base de todos os servidores do município, mas garantiu que o município está amparado por decisões judiciais que consideram o pagamento de vantagens para complementar o valor do salário mínimo. A gestão, segundo enfatizou, não inclui como vantagem para efeitos de cálculo para o salário mínimo, o que proporciona aos servidores um valor da remuneração maior ao valor do salário mínimo. 

Para o prefeito, os servidores estão em "queda de braço" devido ao tratamento que a prefeitura está dando aos professores, corrigindo o piso salarial do magistério que estava congelado desde o ano de 2015. "Já pagamos 2015 e vamos pagar 2016. Mas os servidores têm que entender que a receita para o pagamento dos professores é uma e a receita para pagamento dos demais servidores é outra", destacou. O prefeito garante que já conversou com os servidores e explicou todos os problemas que a gestão enfrenta devido à escassez de recursos.

Com informações do Sindicato dos Servidores Públicos de Carira e da Central Única dos Trabalhadores

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais