Vardo da Lotérica assume interinamente a Câmara de Itabaiana

0
Vardo da Lotérica (à direita) assumiu interinamente a vaga que seria ocupada por Ivoni Lima (à esquerda)/ (Foto: Câmara de Itabaiana)

O vereador Vardo da Lotérica assumiu interinamente a presidência da Câmara de Vereadores de Itabaiana. A solenidade de posse que ocorreu nesta terça-feira, 1º, em meio a polêmica, já que uma decisão de Ruy Pinheiro determinou a posse de Ivoni Andrade, eleita em outubro de 2017 para o biênio 2019-2020.

A informação é que o vereador José Teles, até então presidente da casa, levando em conta os imbróglios judiciais em torno das eleições da mesa diretora, decidiu seguir o regimento da casa que possibilita, em caso de incerteza em relação ao pleito, a nomeação do vereador mais velho da casa como presidente interino, até que a situação se resolva.

Em sua página no Facebook, Ivoni Lima Andrade, disse que assumiu as suas funções em 1º de janeiro de 2019 e ressaltou que a posse dos eleitos para o segundo biênio é automática, independentemente da prática de qualquer outro ato. A vereadora disse ainda que a liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe impede a eleição e a posse de qualquer outro presidente, em prejuízo ao legítimo direito da mesa regularmente eleita, na qual ocupa o cargo de presidente.

Relembre o caso

A eleição antecipada da Mesa Diretora para o biênio 2019-2020 aconteceu em outubro de 2017. O resultado definiu que, a partir de 2019, Ivoni Andrade (PMDB) seria a presidente, Arivaldo de Rezende (PMDB), o vice-presidente e Paulo Messias (PMDB) e Sinvaldo Góis (PMDB) seriam primeiro e segundo secretários, respectivamente.

Depois da eleição, o vice-presidente da época, vereador Carlos Vagner (Vaguinho de Vado) entrou com um mandado de segurança  solicitando a anulação da mesma, alegando algumas irregularidades, a exemplo, do adiantamento do pleito.

Em março de 2018, a juíza Taiane Danusa Gusmão Barroso Sande, juíza da 2º vara cível de Itabaiana, deferiu o mandado de segurança impetrado pelo vereador Carlos Vagner, e tornou nula a eleição. Os vereadores eleitos entraram com recurso contra a decisão de anulação, que foi acatada pelo desembargador Ruy Pinheiro. Em consequência, a nova eleição marcada para 19 de dezembro foi cancelada.

por Verlane Estácio

Comentários