Vereadores querem interceder para acabar com a greve dos médicos

0
Médicos decidem manter a greve (Fotos: Portal Infonet)

Os vereadores de Aracaju formarão uma comissão parlamentar especial para tentar intermediar entendimentos com o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), visando por fim à greve dos médicos que está completando nesta quinta, 18, 91 dias. Em assembleia geral realizada no início da tarde, os médicos decidiram dar continuidade ao movimento grevista, com a perspectiva de realizar um ato público na cidade nesta sexta-feira, 19.

Vereadores formarão comissão na Câmara para intervir na greve (Foto: Arquivo Infonet)

A proposta pela criação de uma comissão parlamentar para intermediar os entendimentos foi apresentada na Câmara Municipal de Aracaju pelo vereador Marcos Antonio Soares, o Seu Marcos (PHS), e alguns parlamentares da bancada municipal já se colocaram à disposição para entrar na composição, segundo informações do vereador Américo de Deus (Rede).

Segundo o parlamentar, o intuito destes parlamentares é que a comissão seja formada dentro de um prazo breve para que estes vereadores comecem a atuar já na próxima semana. No primeiro momento, conforme o vereador, a comissão tentará agendar um encontro com o prefeito para discutir o assunto e intermediar uma reunião dos médicos com o líder do Poder Executivo.

João Augusto diz que o prefeito ignora os médicos

O presidente do Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindimed), João Augusto de Oliveira, informou que o prefeito Edvaldo Nogueira está ignorando os médicos. “Está faltando o prefeito nos receber. Nos recebendo, o prefeito daria um recuo de nos ignorar”, comentou. “Quem sabe se, só com este recuo de nos receber, os médicos possam achar que ele volta a nos respeitar”, entende.

Na pauta de reivindicações, estão dois pontos que ainda faltam ser negociados, segundo o presidente do Sindimed. O reajuste salarial de 2,94% e uma forma de combater as distorções salariais com a criação de uma tabela única de remuneração. João Augusto garante que os médicos estão recebendo apoio popular, apesar dos prejuízos que a greve tem causado ao atendimento à saúde da comunidade, e diz que a festa da classe para marcar o Dia do Médico [comemorado em 18 de outubro] se traduz em agradecimento à população pela compreensão e apoio.

Sem condições

Em nota enviada à redação do Portal Infonet, a Secretaria Municipal de Comunicação informa que a concessão de reajuste para uma única categoria, neste momento, seria uma medida injusta. De acordo com a assessoria do prefeito, há outras categorias com o mesmo pleito e que a Prefeitura de Aracaju passa por grandes dificuldades financeiras, sem condições de atendê-las e que o funcionalismo do município ficará sem reajuste neste ano em decorrência da queda na arrecadação municipal.

A assessoria do prefeito informa que Edvaldo Nogueira não desprezou a classe médica e que sempre esteve aberto ao diálogo, respeitando a progressão salarial de todas as categorias. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, a greve tem adesão de 35% dos médicos da rede municipal e que, para suprir a demanda, a SMS está redirecionando os profissionais que continuam trabalhando para prestar atendimento nas áreas desassistidas.

A Secretaria Municipal de Saúde admite a deficiência no atendimento em algumas especialidades, segundo a assessoria de imprensa. Esta deficiência está sendo suprida com a remarcação de consultas, atendendo a um cronograma de acordo com a agenda dos médicos que não aderiam à greve.

Por Cassia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais