Greve dos médicos: população critica impasse entre categoria e PMA

0
Médicos estão em greve há quase 90 dias (Foto: Sindimed)

Os pacientes que buscaram atendimento na manhã desta terça-feira, 16, na Unidade Básica de Saúde Cândida Alves, no bairro Santo Antônio, se depararam com mais um ato público realizado pelos médicos de Aracaju. Em greve há quase 90 dias, a categoria reivindica o reajuste salarial de 2,94% e a criação, em 2019, da Tabela Única dos Médicos.

A costureira Rita Lira, que reside no bairro onde a Unidade está localizada, afirma que o atendimento tem sido mais lento após o início do movimento grevista, e pede que a categoria e a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) entrem em acordo para que o serviço volte a funcionar normalmente. “Isso é péssimo, porque a população é quem sofre. Espero que melhore porque nós precisamos dos médicos. Que eles entrem em acordo e resolvam a situação”, declara.

O mesmo pensamento é compartilhado pela cozinheira Elaine Fontes. Para ela, o impasse entre os médicos e PMA já deveria ter sido solucionado. “A população fica de mãos atadas. É uma coisa simples de se resolver, não tem motivo para essa demora toda para o prefeito resolver isso”, acredita.

Sindimed

O presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed), João Augusto, reconhece que a demora no atendimento era algo previsto, já que o efetivo diminuiria com a paralisação, porém, afirma que a categoria trabalha com mais de 30%. “Estamos exercendo o nosso direito de greve, mantendo o quantitativo em atendimento, mas vai gerar desassistência. A população tem todo o direito de reclamar e clamar por assistência”, pensa.

Presidente do sindicato afirma que a PMA não tem dialogado com a categoria (Foto: Portal Infonet)

Segundo ele, boa parte dos usuários das unidades de saúde tem apoiado a solicitação da categoria. “A população que veio mais cedo, durante o horário de fluxo, se juntou e apoiou o movimento, no sentido de fazer com que o prefeito Edvaldo Nogueira receba os médicos, para lançar uma contraproposta e por um fim [na paralisação]”, afirma. De acordo com o presidente, a PMA não tem dialogado com os médicos. “Não tivemos nenhuma reunião de negociação durante o período da greve, tivemos apenas reunião de tentativa de negociação em fevereiro com todos os sindicatos”.

Secretaria Municipal de Saúde

Em nota enviada pela assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde, diversas reuniões já foram realizadas neste ano. “Desde fevereiro, os gestores do município se reuniram com representantes do sindicato em 08 de fevereiro; 01 de março; 23 e 28 de maio, 12 de julho, 30 de agosto e 24 de setembro. Durante os encontros, foi demonstrado que não há condições financeiras para conceder o reajuste pleiteado pela categoria. Os documentos comprobatórios também já foram encaminhados para todos os órgãos de controle. No início deste mês, a gestão municipal já recorreu à Justiça para que os atendimentos à população sejam restabelecidos pela classe médica. Neste momento, a SMS aguarda apenas a decisão judicial para que sejam tomadas as providências cabíveis”.

por Yago de Andrade

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais