Banco de Leite Marly Sarney encerra Semana do Aleitamento Materno

0
Houve uma confraternização e uma roda de conversa com as mães no BLH (Foto: Flávia Pacheco)

O Banco de Leite Humano Marly Sarney (BLH), órgão publico vinculado à Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), vem oferecendo uma diversidade de serviços para a sociedade e cuidados com as mães e seus bebês. Para encerrar a semana Mundial do Aleitamento Materno, o banco  ofereceu, nesta sexta-feira, 10, uma confraternização e uma  roda de conversa com as mães no  BLH,  com orientação sobre a importância do aleitamento materno, tirando as dúvidas sobre a dificuldade que a maioria das mães tem sobre cuidados com a alimentação.

Para o superintendente da MNSL, André Nascimento, as rodas de conversa realizadas durante toda semana fazem parte das ações em alusão à semana mundial de aleitamento, sendo essenciais para orientação e conscientização das mães e profissionais de saúde, sobre a importância da amamentação. “Continuaremos em atendimento e dando todas as orientações e suporte necessário a respeito do aleitamento materno”, comenta André Nascimento.

A coordenadora do Marly Sarney, Thereza Bulhões, informou que os bebês amamentados recebem os anticorpos maternos e, por isso, têm menos riscos de desenvolverem diabetes, hipertensão e anemia. “Existem inúmeros motivos para persistimos em ações que divulguem a importância do aleitamento materno e doação de leite humano.  Hoje, fizemos um encontro para agradecer as doadoras a valiosa colaboração”, disse Thereza.

“Reunimos as mães e os recém-nascidos, em comemoração à Semana Mundial do Aleitamento Materno e ao Agosto Dourado. Para finalizar esse evento, foi reunido o grupo do Follow Up e do Banco de Leite Humano Marly Sarney. Todas as mães foram bem orientadas e ficaram felizes. Com certeza o Banco de Leite vem cumprindo o seu objetivo de incentivar o aleitamento materno em prol da saúde da criança”, disse a gerente do banco Magda Dória.

Ela contou, ainda, que a roda de conversa discutiu a importância do aleitamento e a importância da criança receber o leite nas primeiras horas de vida e permanecer até os seis meses, com introdução de outros alimentos de forma gradativa e saudável. “Incentivamos, demos apoio, proteção e ajuda”, expressou a gerente do banco de leite.

“Foi abordada a importância do aleitamento materno, inclusive a dificuldade que a maioria das mães tiveram em relação sobre cuidados com alimentação. Esclarecemos todas as dúvidas. ”, disse a nutricionista do BLH, Miriam Duarte Barros. Ela revelou que são feitas cerca de 12 atendimentos por dia no ambulatório do Banco de Leite, com consulta e auxílio as mães

Monise dos Santos, 21 anos é mãe das gêmeas Kiara e Kimberlyn, nascidas na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, de parto cesáreo. Ela contou que foi para a unidade de atendimento de alto risco por conta que a gravidez era gemelar e estava com inchaço desproporcional. Além disso, a mamãe está sem amamentar, pois não tem leite. Sobre o dia de hoje no Follow Up, Monise comentou “Foi ótimo. Sempre estou por aqui para continuar o auxílio. Minhas filhas estão sendo acompanhadas por uma médica, que está me orientando sobre a alimentação e peso delas. Hoje elas estão com 6 meses de idade e 8kgs, estou feliz”, declarou.

“A orientação dada hoje pelos profissionais do Banco de Leite Marly  e do Follow Up,  foi maravilhosa. Os acompanhamentos são muito eficientes e os profissionais são bem capacitados. Tirei todas as duvidas a respeito da amamentação. Minha bebê veio para cá por conta de uma infecção intestinal”, disse Juliane Souza Santos, mãe de Maria Lavínia.

“Aqui recebemos o encaminhamento da pediatra para que o procedimento da fisioterapia seja realizado. Identificamos alguns fatores que podem prejudicar o desenvolvimento da criança, a partir disso acompanhamos até o final, para sabermos se a mesma vai ter alguma alteração ou não. A criança pode ser acompanhada até os 2 anos de idade, mas dependendo do caso ela já pode receber alta antes”, observou o fisioterapeuta, Rafael Oliveira Menezes Dias.

FRASCOS

Durante a conversa  foi  lembrado ainda  sobre a  campanha da doação de frascos de vidro  que começou em julho  e vai até dezembro de 2018, para que nenhum recém nascido receba outro leite que não seja o leite materno, seja ela da própria mãe ou seja ele  pasteurizado, Os postos  de coleta são:  Secretaria do Estado da Saúde (SES), a  MNSL,  o Banco de Leite Marly Sarney (BLH) e o Ambulatório de Recém Nascidos de Alto Risco (Follow UP).

A nuitricionista, Miriam Duarte Barros explicou que mais podemos oss frascos de vidro com tampa de plástico são apropriados para o armazenamento do leite doado. Ela atenta para a importância da doação e explica que qualquer mulher saudável, que esteja amamentando e produza mais leite do que o necessário para seu bebê, pode se tornar uma doadora, basta entrar em contato com o Banco de Leite Marly Sarney pelo telefone (79) 3218-9424, ou na rua Variante Dois,  no bairro Capucho e manifestar o seu desejo de doar.

Fonte: SES

Comentários