Covid-19: ocupação dos leitos públicos de UTI se aproxima dos 60%

0
Ainda segundo a SES, dos 127 leitos públicos de UTI, 70 já estão ocupados, o que responde a 55,1%(Foto ilustrativa: Ascom/SES)

O alerta para o crescimento dos casos do novo coronavírus (Covid-19) em Sergipe já está ligado. Segundo dados recentes da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgados na noite da segunda-feira, 19, a taxa de ocupação dos leitos de UTI da rede pública chegou a 55,1%. Na rede privada, o índice ficou em 48,2%.

Ainda segundo a SES, dos 27 leitos disponíveis no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), para o tratamento mais intensivo da doença, 26 já estão ocupados. Já no Hospital de Cirurgia, todos os 10 leitos ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão ocupados.

O boletim da SES aponta também que a maior quantidade de leitos disponíveis se encontram em unidades hospitalares do interior do estado, a exemplo do Hospital Amparo de Maria e do Hospital Regional de Estância. Ainda segundo a SES, dos 127 leitos públicos de UTI, 70 já estão ocupados, o que responde a 55,1%. No domingo, só para se ter uma dia, esse índice chegou a 59,1%.

Avanço da doença em Sergipe

Segundo informações divulgadas nesta segunda-feira, 19, pelo ‘Boletim Covid-19: Sergipe e Território Nacional’, O número de novos casos de Covid-19 em Sergipe continua aumentando. De acordo com os dados, por duas semanas epidemiológicas seguidas houve um ligeiro aumento no número de novos casos. Na semana epidemiológica (S 42) que se encerrou sábado, 17, foram cerca de 1,6 mil casos, frente a cerca de 1,5 mil casos da S 41.

Ainda de acordo com o Observatório de Sergipe, na semana epidemiológica 42, a maior incidência de novos casos, por cem mil habitantes, foi na região da Grande Aracaju (94,9), seguida do Leste Sergipano (91,9). Na comparação com a incidência da semana anterior (S 41), observa-se que houve aumento de casos no Centro Sul (51,4%), Leste Sergipano (22,9%), Grande Aracaju (11,5%) e Agreste Central (5,6%), as demais regiões tiveram queda no número de casos.

por João Paulo Schneider 

Comentários