Higienização das mãos é essencial para redução das taxas de infecção

0
O Huse tem estudos que mostram o impacto significativo que o aumento da adesão a higiene das mãos causa nas taxas de infecção (Foto: Flávia Pacheco)

O hábito de higienizar as mãos no ambiente hospitalar é essencial para a prevenção e redução das infecções, promovendo a segurança dos pacientes, profissionais e demais usuários dos serviços de saúde. No Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), esse ritual é colocado em prática diariamente, colaborando para uma saúde individual e coletiva. A higienização das mãos é, sem dúvidas, a rotina mais simples, eficaz e de maior importância no controle da disseminação de infecções, devendo ser praticada pelo profissional de saúde nos cinco momentos.

Como as mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência prestada ao paciente, conscientizar os funcionários e os acompanhantes dos pacientes a respeito da importância de sempre lavar as mãos é uma medida simples e que ajuda a salvar vidas. As bactérias e germes encontrados nas mãos podem ser eliminados com a ação mecânica de higienização com água e sabão, além da formulação antiséptica de álcool a 70% em gel, eficaz contra todos os tipos de germes.
De acordo com a enfermeira do Núcleo de Segurança de Paciente do Huse, Ellen Karla Koga, a higienização das mãos é a principal forma de prevenir as infecções hospitalares. “A Organização Mundial da Saúde, vem incentivando o uso da preparação alcoólica e para melhorar a adesão a gente vem trabalhando com educação continuada com os profissionais para que isso faça parte da cultura do hospital e para ter as práticas incorporadas no dia a dia de trabalho”, explicou.
O Huse tem estudos que mostram o impacto significativo que o aumento da adesão a higiene das mãos causa nas taxas de infecção. Corroborando com o que a literatura já diz, inclusive com impacto na redução da mortalidade por infecção hospitalar. Utilizar o álcool em gel é eficaz contra todos os tipos de germes, incluindo o vírus da gripe H1N1, além de comprovadamente eliminar mais de 90% das bactérias
Quando lavar as mãos
As mãos devem ser higienizadas sempre, principalmente no início e no fim da jornada de trabalho, antes e após utilizar o banheiro, depois de manusear material contaminado, após assuar ou coçar o nariz, cobrir a boca para espirrar, antes de comer e beber ou manusear alimentos, após manusear lixo comum, biológico ou caixas de descarte de materiais perfuro cortantes, entre outros.
Em ambiente hospitalar, existem momentos específicos para a realização da higienização das mãos que são os cinco momentos. Para realizar a higienização das mãos é fundamental retirar primeiramente anéis, pulseiras e relógio, ensaboar as mãos aproximadamente 3 a 5 ml de sabão (líquido), enxaguar as mãos e antebraços em água corrente abundante, enxugar as mãos com papel toalha ou realizar a higiene das mãos com 2 ml de preparação alcoólica.
Fonte: SES
Comentários