Mutirão realiza ações em prol da saúde dos diabéticos

0
Mutirão aconteceu em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Diabetes (Foto: André Moreira /PMA)

Em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Diabetes, a Prefeitura de Aracaju realizou, neste sábado, 23, um mutirão para intensificar a assistência aos usuários diabéticos do município. Chamada de “Dia de Combate às Complicações do Diabetes”, a ação foi promovida em parceria com a Sociedade Sergipana de Oftalmologia (SSO) e disponibilizou exames para identificar possíveis sinais relacionadas à doença, sobretudo as ligadas à visão.

O evento ocorreu no  Centro de Especialidades Médicas (Cemar) – Siqueira Campos, localizado na rua Bahia, e teve a oferta dos seguintes serviços: avaliação de fundo de olho (Fundoscopia Direta); aerificação de glicemia capilar; avaliação de lesão do pé; exame de função renal (Uroanalise); agendamento de consultas e exames encaminhados no local;  atividades educativas relacionadas à atividade física e alimentação saudável e cuidados com o diabetes e distribuição de material educativo.
Exames oftalmológicos foram realizados no mutirão (Foto: André Moreira/PMA)

Para a secretária municipal da Saúde, Waneska Barbosa, a inciativa demonstra a preocupação com esse público, que, de fato, requer atenção, afinal, a doença acomete cerca de 150 mil pessoas em todo o Estado. “O objetivo é fazer o rastreamento dos pacientes que possam ter a retinoplatia diabética e encaminhá-los aos tratamentos necessários, como a cirurgia ou o laser”, explica.

Waneska chama a atenção para o fato de os exames serem ofertados no dia a dia na rede de saúde do município. “Mas como a gente sabe que temos gargalos e uma demanda maior do que a oferta, no mutirão, em parceria com essas instituições, a gente consegue ampliar esse alcance”, ressalta.
O presidente da Sociedade Sergipana de Oftalmologia, Gustavo Melo, comemorou o sucesso da ação, que atraiu cerca de 2 mil diabéticos ou pré-diabéticos. “A gente estava preparado para fazer exames em cerca de 1.800 pessoas, mas como sempre há uma falta, a gente achava que ia fazer uns 1.200. Mas foi acima das nossas expectativas e no limite da nossa capacidade. Isso é bom, porque mostra que as pessoas entenderam a mensagem da importância dessa prevenção”, afirma Gustavo.
E esse, segundo o médico, era o objetivo principal. “Conscientizar a população quanto à importância da avaliação preventiva das complicações que o diabetes pode causar, além de fazer exames de fundo de olho, para detecção precoce da retinoloplatia diabética, que pode causar cegueira e é muito frequente: 1 em cada 10 diabéticos têm chancas grande de cegueira”, explica.
Quem apresentou alguma alteração no exame de fundo de olho, já foi encaminhado a uma avaliação do pé para verificar riscos de amputações. Também foram ofertados exames laboratoriais, de urina e sangue.
“Já os que tiveram alterações significativas no olho, estão sendo agendadas para o tratamento a laser, disponibilizado pelo SUS, em parceria com a Prefeitura. Ninguém vai sair daqui sabendo que tem um problema e sem a solução”, garante Gustavo Melo.
Josefa Ednalva da Cruz, 73 anos, foi uma das pacientes que procuraram os serviços. Ela foi diagnosticada como pré-diabética e fez questão de chegar cedo para realizar os exames. “Muita gente não tem recursos para ir na rede particular, então essa ação é muito importante para nós que dependemos do SUS”, reconhece.
Cerca de 150 voluntários, entre eles, 20 médicos, 30 estudantes de Medicina e outros voluntários que atuaram na organização e na logística do evento, participaram da ação, que também contou com a parceria da Sociedade Brasileira de Diabetes – Regional Sergipe,  da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e do grupo farmacêutico suíço Novartis.

Fonte: PMA 

Comentários