Saiba como denunciar eventos irregulares e aglomeração na pandemia

0
Bares, restaurantes e eventos terão capacidade reduzida a partir da próxima sexta-feira, 18 (Foto: Pixabay)

A partir da próxima sexta-feira, 18, entra em vigor as novas medidas anunciadas pelo Governo do Estado para impedir ainda mais o avanço do Covid-19 nas festas de final de ano. Bares, restaurantes, lanchonetes e eventos terão a quantidade de pessoas reduzidas nos espaços, e fica proibido o funcionamento de pistas de dança. A população pode denunciar eventos irregulares e aglomeração.

O coordenador da Vigilância Sanitária de Sergipe (Covisa), Ávio Brito, pede a colaboração da população e dos empresários no cumprimento do decreto, e lembra que desobedecer ao decreto é infringir a legislação.

“Descumprir o decreto é infringir a lei. As medidas foram adotadas porque são necessárias para conter a curva do Covid-19. É preciso que a população se conscientize e os empresários também. Não temos braços para fiscalizar todo mundo, o que podemos fazer é conscientizar as pessoas de que aglomerar, além de se colocar em risco, é não respeitar sua própria família, porque você está levando o vírus para seu pai, sua mãe, seus avós, enfim, para todo mundo que convive com você”, alerta.

Coordenador da Vigilância Sanitária da SES, Ávio Britto, pede ajuda da população na fiscalização de eventos, bares e restaurantes. (Foto: SES)

O coordenador explica que a Vigilância trabalha em parceria com as vigilâncias municipais tanto na capital quanto no interior. “Estamos cobrindo todos os bairros da capital, indo nos estabelecimentos, conversando com as entidades, indo às feiras livres no interior, fazendo ações nos grandes centros para conscientizar, mas a população precisa fazer sua parte. Temos locais na Atalaia que aglomeram na porta de bares 300 pessoas sem máscara. Tem food truck de salão de beleza na Orla de Atalaia com fila de carro aguardando atendimento, inclusive, pedimos a Emsurb que faça essa fiscalização de ambulantes e pessoas que usa o espaço público sem autorização”, aponta.

Ávio pede à população que denuncie eventos irregulares e aglomerações em espaços públicos e privados. “As pessoas podem ligar para a Ouvidoria da Saúde no número 156 para denunciar esse tipo de aglomeração, não precisa se identificar, é totalmente sigiloso. E nesses casos quem vai acabar com esse tipo de situação é a Polícia Militar, então, também podem ligar para o 190 e registrar a denúncia”, orienta.

Eventos

Quem for realizar eventos precisa mandar para a Secretaria de Estado da Saúde (SES) o projeto detalhado com as medidas sanitárias adotadas para a aprovação da Vigilância Sanitária. “Esse projeto pode ser enviado um dia antes do evento, a depender da nossa demanda, mas é melhor que envie antes. Vamos analisar e, se tiver tudo ok, vamos deferir e fiscalizar o local para saber se tudo que consta no projeto foi adotado. Não adianta fazer aquele projeto de qualquer jeito porque não vamos deferir, e festas sem projetos autorizadas não são regulares”, explica.

Os eventos fechados só poderão ter até 100 pessoas e os abertos até 150, uma redução de 50%. Já nos bares e restaurantes a capacidade foi reduzida de 75% para 50%, e pelo novo decreto, durante o período de permanência no estabelecimento, os clientes deverão permanecer predominantemente sentados.

Também está proibida a utilização de pistas de dança ou a disponibilização de espaços equivalentes. Permanece autorizada a realização de apresentação artística de pequeno porte, com até dois artistas, que deverão utilizar máscaras durante toda a apresentação obrigatoriamente.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais