Secretária diz que terceirização na saúde terá economia de R$ 500 mil

0
Secretária conversou com a imprensa no Nestor Piva (Foto: Portal Infonet)

A Prefeitura de Aracaju optou por terceirizar os serviços médicos prestados na Unidade Pronto Atendimento Nestor Piva, como solução para o impasse com a classe médica que vinha atuando em modelo de RPA [Recibo por Pagamento Autônomo] na mesma unidade, e se recusa a mudar o modelo para PJ [Pessoa Jurídica]. O contrato emergencial foi firmado nesta segunda-feira, 7, com o Centro Médico Trabalhador Ltda. Os serviços vão custar a Prefeitura R$ 2 milhões mensais, segundo a secretária municipal de Saúde, Waneska Barbosa.

A representante da pasta afirmou que levantamento do município apontou que os gastos com o Nestor Piva, anteriormente, eram em torno de R$ 2,5 milhões. “Vínhamos fazendo esse levantamento dos custos com esse hospital e avaliando melhor possibilidade de administrar, de forma mais eficiente e com serviços de melhor qualidade para a população”, justifica Waneska.

Com base nos números da secretária, portanto, a terceirização vai render mensalmente R$ 500 mil de economia aos cofres municipais. Waneska explicou ainda que, antes de efetivar o contrato, o município observou modelos de UPAs e hospitais semelhantes ao Nestor Piva por todo país.

Quem tem reagido com preocupação é o Sindicato dos Médicos de Sergipe. Em entrevista para nossa reportagem, o tesoureiro do sindicato questionou como será a relação da empresa com o município. “Será que essa empresa terá condições de suportar atrasos de pagamento por um período superior a 30 dias?”, indagou Argemiro Macedo. Antes, a prefeitura não tinha recursos para pagar os médicos, agora já tem para contratar empresa?”, complementou.

A Prefeitura tem também que resolver a resistência de enfermeiros do Nestor Piva, que estão recusando a transferência para outras unidades, já que suas vagas serão ocupadas pelo corpo profissional da empresa contratada.

Por Ícaro Novaes

Comentários