Caminhão da Saúde chega a Aracaju nesta sexta-feira

0
Coordenador do Programa Municipal de Controle ao Aedes, Jeferson Santana, (Foto: Ana Lícia Menezes)

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, segue com ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Entre dias 26 e 28 de janeiro, será a vez da praça de eventos Hilton Lopes, localizada entre os mercados centrais, receber o Caminhão do Mosquito, uma ação do Ministério da Saúde que traz informações sobre o Aedes por meio de atividades interativas.

No total, o caminhão irá percorrer cerca de 4.400 km, desde a saída de Brasília até a sua volta, no dia 10 de fevereiro.  Ele esteve em Salvador (BA) entre os dias 19 e 21, fica em Aracaju até o dia 28, e daqui segue para Recife (PE), onde ficará entre os dias 2 e 4 de fevereiro, cumprindo sua missão de combater o mosquito antes de retornar à capital do país.

De acordo com o coordenador do Programa Municipal de Controle ao Aedes, Jeferson Santana, a chegada do Caminhão do Mosquito é mais uma ação do projeto Verão Sem Aedes.

“Apesar da Aracaju ter bons índices, toda e qualquer informação é sempre bem-vinda. E o caminhão traz isso de forma didática, de fácil acesso, e as pessoas absorvem muita coisa. É uma forma diferente de passar informação”, informou.

Segundo ele, a expectativa é que cerca de mil pessoas visitem o caminhão e façam o Circuito Interativo de Combate ao Mosquito, que busca explorar a interatividade e a experiência em seis passos pensados para despertar a conscientização da população. “O Caminhão vai estar num local de grande movimentação, principalmente no final de semana. O nosso objetivo é conseguir atingir o maior número de pessoas possível. A luta contra o Aedes é de todos e não pode parar”, destacou Jeferson Santana.

Circuito Interativo

A ideia do Circuito Interativo de Combate ao Mosquito nasceu há mais de dois anos. A primeira etapa do Circuito é a Casa Cenográfica, onde mensagens educativas e baseadas em histórias e relatos verdadeiros aparecem sobre uma tela de LED. Em seguida, para saber sobre os sintomas e o tratamento das doenças transmitidas pelo Aedes, serão disponibilizadas informações em três telas touch screen. Já o terceiro ambiente é uma tela com foto touch, onde a pessoa registra sua participação no Circuito e pode enviar a imagem por e-mail.

Mais adiante, um tapete interativo vai possibilitar que o morador da região se depare com focos de mosquito na área da casa fictícia projetada no painel. É possível ver os locais de potencial criadouro do inseto, além de espaços e objetos já usados pelo mosquito em sua reprodução, e saber como eliminar esses perigos. Depois disso, as pessoas terão a experiência de, por meio de uma projeção interativa, eliminar com as mãos ou uma raquete alguns mosquitos voando bem à sua frente.

De acordo com os responsáveis pela concepção da ideia, aplicada para contar a história do combate ao mosquito Aedes em formato de vídeo case, após toda a ação, explorar a experiência, a tecnologia e a interatividade, facilita a informação e a conscientização.

LIRAa

De acordo com o relatório  Levantamento de Índice Rápido do Aedes (LIRAa) Nacional 2016, que mapeou a presença do Aedes aegypti no Brasil, a região Nordeste tem Recife e Aracaju como capitais em alerta há pelo menos dois anos, desde o relatório de 2015. Salvador teve a situação de alerta determinada em 2016, após o estudo que aconteceu nos meses de outubro e novembro do mesmo ano.

Em Aracaju, dados do primeiro LIRAa realizado pela Secretaria Municipal da Saúde este ano apontam que a cidade está com índice de infestação 0,8, considerado de baixo risco.  Com esse percentual, Aracaju atingiu o menor índice de infestação do mosquito Aedes aegypti dos últimos 11 anos. Hoje, apenas 35% dos bairros de Aracaju estão com índice acima de 1,0 de contaminação do mosquito.

Fonte: PMA

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais