5 erros comuns no Inbound Marketing

0

Apesar de considerado uma das principais vertentes da atualidade (a mais relevante, na minha opinião), no universo digital, o Inbound Marketing ainda é algo recente. No Brasil, as empresas já começam – com razão – a dedicar maior atenção ao assunto, dada a riqueza do conjunto de estratégias para conduzir o internauta, da atração à conversão e, claro, à fidelização na web.

Porém, muitos esforços acabam não rendendo os resultados esperados. Justamente, pela falta de conhecimento e adequação das ações, muitas vezes, colocadas em prática de forma desalinhada com as recomendações do Inbound.

A fim de auxiliar o mercado na otimização dos indicadores, a HubSpot – criadora do termo “Inbound Marketing” e grande referência mundial no tema – lançou um e-book, elencando os principais erros cometidos na área. Aqui, separamos cinco deles, sendo que o livro traz dez:

1) Começar sem objetivos claros e metas definidas
Como não há estas definições, as decisões acabam sendo tomadas com base em critérios subjetivos. Ao invés de o foco serem os objetivos da empresa e as reais necessidades do público, são as tecnologias ‘da vez’ e a mídia que determinam o rumo das ações. No Inbound, tudo deve ser mensurável e estar bem traçado: objetivos de crescimento, metas de vendas, perfis de comprador, potencial de atração e conversão para diferentes produtos e serviços. A intenção, com isto, é identificar as iniciativas que oferecerão o melhor ROI (Retorno Sobre Investimento), no curso médio e longo prazos.

2) Colocar a tecnologia à frente da estratégia
Uma pesquisa realizada pelo Gartner apontou que, já em 2017, os investimentos feitos em tecnologia, pelo departamento de Marketing, deverão ultrapassar até mesmo os feitos pela própria área de TI. Automaticamente, então, os diretores de Marketing se tornarão uma figura central, na condução do perfil tecnológico das organizações. A ressalva, porém, é que uma boa parte dos executivos de Marketing ainda não está preparada para chancelar a melhor tecnologia para seus negócios. E, assim, acaba ocorrendo uma inversão de prioridades: adquire-se uma tecnologia específica primeiro para, depois, adequar a estratégia da empresa à mesma. O correto, entretanto, é definir a estratégia e aonde se quer chegar antes, para, só então, selecionar o apoio tecnológico capaz de dar suporte a ela.

3) Acreditar que Inbound Marketing vai resolver todos os seus problemas
Apesar de ser bastante abrangente, é sempre importante lembrar que o Inbound não esgota, sozinho, a totalidade das ações que a sua empresa deve encabeçar. Seja nas áreas de Marketing, Vendas ou qualquer outra. Necessário, entretanto, que todas as iniciativas estejam interligadas e devidamente alinhadas à estratégia macro definida.

4) Querer fazer tudo ao mesmo tempo
Para ilustrar este erro, o e-book traz a seguinte situação: “se a sua empresa tem, digamos, 10 linhas de produto, e cada linha tem dois perfis diferentes de comprador ideal, você pode pensar que começar seu projeto de Inbound Marketing com 20 campanhas simultâneas, uma para cada perfil, é o caminho natural a seguir, até porque você tem meta de vendas para todos os produtos. Acredite, não é”. A melhor maneira, neste caso, é eleger dois ou três perfis principais e focar nos mesmos. Para isto, utilize os seguintes critérios: 1) o peso de cada combinação entre linha de produto e perfil de comprador para o atingimento das metas de vendas; 2) o potencial de atração e conversão de conteúdo sobre os assuntos que interessam a cada perfil de comprador, expresso em métricas como o volume de buscas no Google, por exemplo.

5) Publicar apenas conteúdo genérico – ou chato pra caramba
Tenha em mente: seu conteúdo SEMPRE precisa ser útil e interessante para o seu comprador ideal. É necessário ser específico, falar a língua dele, deixar claro que você pode (e quer) ajudá-lo. “Chato pra caramba” é aquele material que tem, como único propósito, vender a sua marca. É orientado a algo meramente comercial, com foco na sua empresa – e não nos interesses do seu cliente. Seja relevante! Naturalmente, as oportunidades de negócio começarão a surgir, como consequência natural do conteúdo de qualidade que a sua empresa está oferecendo.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários