Agora é tarde

0

O Ministério Público Estadual tem solicitado o afastamento de prefeitos sergipanos que atrasaram os salários dos servidores. É o caso de Carira, onde a prefeita Gilma Chagas (PSC) não paga a folha de pessoal há meses. Estão corretos os promotores de Justiça, só que a punição aos maus pagadores chega tarde demais, pois daqui a 45 dias eles deixarão os cargos e uma série de dívidas para os sucessores. Seria interessante que, além do afastamento, o Ministério Público Estadual também pedisse o bloqueio dos bens desses administradores irresponsáveis, até para apurar como alguns conseguiram em quatro anos aumentar consideravelmente o patrimônio pessoal.

Recordações

Embora de partidos opostos, Albano Franco e Luiz Inácio Lula da Silva se uniram em favor da manutenção do Senai por entenderem a importância da entidade como formadora de profissionais. Foi durante a Constituinte de 1988, segundo lembrou o próprio Lula durante a abertura da 7ª Olimpíada do Conhecimento do Senai, ocorrida esta semana em São Paulo.

Papo chato

Está ficando insuportável esse lenga-lenga sobre o empréstimo de R$ 727 milhões que o governo estadual deseja fazer. Até parece que não existe mais qualquer projeto em tramitação na Assembleia. Do contrário, os bem pagos deputados já teriam aprovado ou rejeitado o tal pedido de empréstimo. A impressão que se tem é que a oposição ao governo está com medo da reação popular, senão já teria saído desse nem Ford, nem sai de Sinca.

Transporte

O juiz de Direito Raphael Silva Reis decidiu pelo prosseguimento da licitação do transporte coletivo em Aracaju. O processo licitatório deve ter continuidade, sob pena de multa diária, caso não seja cumprida dentro do prazo de cinco dias. Na decisão, o magistrado também deixou claro que o Tribunal de Contas do Estado não devia ter colocado o bedelho nessa história por não ter competência para tal. Putz grilo, que chupa de peito!

Há vagas

A Faculdade Estácio FASE abriu processo seletivo para professor auxiliar nos cursos de Educação Física Licenciatura, Redes de Computadores, Psicologia, Nutrição e Direito. Os interessados em participar da seleção poderão se inscrever até o dia 5 de dezembro próximo, através do preenchimento do formulário que se encontra disponível no link https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dGFTTmt6SU42SHctRWNld3FwTGZTbUE6MQ .

Sem água

A Deso realiza hoje serviços de ampliação do sistema de abastecimento de água da Barra dos Coqueiros. Para realizar os trabalhos a companhia vai interromper o fornecimento de água durante todo o dia em alguns bairros de Aracaju, na própria Barra e na Atalaia Nova. A previsão é que o abastecimento volte ao normal a partir das 18h.

Corre-corre

A jornalista Rita Oliveira publica hoje no Jornal do Dia que é grande o corre-corre nos corredores e gabinetes do Tribunal de Contas do Estado. Tudo porque a presidência da Corte vai reduzir em 50% o número de comissionados e servidores cedidos ao TCE. Segundo Rita, a galera está tentando se segurar na ‘boquinha’, mas se o Tribunal não reduzir a folha de pessoal terá sérios problemas com o Ministério Público. Uau!

Imposto

Os impostos incidentes sobre produtos e serviços terão que ser discriminados nas notas fiscais ou afixados em cartazes em todos os estabelecimentos comerciais. É o que prevê projeto de lei aprovado ontem pela Câmara dos Deputados, que seguirá para sanção presidencial. A casa comercial que descumprir a norma estará sujeito a multa, apreensão do produto e até a interdição, total ou parcial.

Rejeitado

Os vereadores rejeitaram ontem por oito votos contra quatro o projeto de lei que reformulava o Estatuto dos Servidores da Prefeitura de Aracaju. A matéria havia sido aprovada em 1ª discussão, mas ontem a maioria da Câmara mudou de posição. Há quem diga que a repentina mudança ocorreu depois que o vice-prefeito eleito José Carlos Machado (PSDB) teve uma conversa com alguns vereadores.

Do baú político

O Plano Collor, concebido em 1990 pela ex-ministra da Fazenda Zélia Cardoso de Mello e que confiscou todo o dinheiro que estava nas contas correntes dos brasileiros, deixou quase a totalidade dos prefeitos sergipanos com as calças nas mãos. É que, para se beneficiarem da elevada inflação verificada no Governo Sarney, eles transferiam os recursos das Prefeituras para suas contas pessoais. A grana ficava por alguns dias rendendo elevados juros e só depois era retransferida para o município, naturalmente sem o gordo rendimento. Quando o Plano Collor entrou em vigor, não houve tempo para se fazer a transação bancária e, como o dinheiro estava nas contas pessoais dos prefeitos, tudo foi confiscado pelo Plano Collor. Sem alternativa, os prefeitos tiveram que confessar a malandragem que vinham fazendo há muito tempo. Foi preciso a intervenção de lideranças políticas nacionais para que a durona Zélia Cardoso de Melo permitisse que os recursos fossem transferidos para as Prefeituras. Pior é que nenhum dos culpados recebeu qualquer punição.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários