Aracaju: de Lula a Obama

0

Quem acompanha o trabalho do chamado marketing eleitoral em todo país é fácil constatar que várias campanhas de aliado do presidente Lula, estão pegando como mote a última campanha presidencial do petista. Movidos pelos excelentes índices de popularidade de Lula, estes políticos e marqueteiros entendem que o presidente pode eleger até “poste” (Duda Mendonça disse isso recentemente), e por isso estão copiando jingles e slogans das disputas passadas sem cerimônia.

 

Em Salvador, por exemplo, estão reforçando os programas federais. Em Salvador, o prefeito João Henrique, do PMDB, e o deputado Walter Pinheiro, do PT, adversários na disputa, usaram a palavra Brasil em seus slogans para lembrar ao eleitor a proximidade com o presidente. O peemedebista fala em “Força do Brasil em Salvador”. O petista batizou a coligação de “Salvador, Bahia, Brasil”, para reforçar também o apoio do governador baiano, o companheiro de partido Jaques Wagner.

 

Aqui em Aracaju, certamente o candidato Edvaldo Nogueira aliado do PT, deve usar o mote de Lula nos programas eleitorais. O interessante é que outro aliado, o senador Almeida Lima, do PMDB, deve tentar esconder a todo custo que faz parte do bloco de Lula no Senado Federal, já que tenta conquistar o voto da oposição aos governos estadual e municipal, e mais ainda, conquistar também os eleitores de João Alves Filho que não forem apoiar Mendonça Prado, do DEM.

 

Por isso os Almeida Lima e seu marqueteiro optaram por copiar uma campanha que está sendo sucesso nos Estados Unidos. A campanha de Barack Obama, candidato democrata a Casa Branca. O slogan “A gente pode”, que é um neologismo foi tirado do slogan de Obama “Sim, nós podemos”. O jingle de Almeida Lima também lembra o de Obama. Se a legislação eleitoral brasileira fosse aberta como a dos EUA, certamente Almeida teria virado um produto como vem ocorrendo como Obama. Para se ter uma idéia, caro eleitor, a campanha de Obama na Internet é sucesso absoluto. Ele voltou para os jovens, com espaço para debates on-line, site móbile, doação on-line, loja virtual, dezenas de comunidades por segmentos e até a BarackTV. Aqui, a justiça eleitoral proíbe quase tudo isso.

 

Só um exemplo, analisado por um marqueteiro brasileiro: “Em um comício no Central Parque, em Nova Yorque, no ponto alto do evento, depois de um discurso empolgante, Barack convocou os presentes a se juntarem à campanha. Como? Resumindo a história, gritou em alto e bom som algo como: “peguem seus celulares agora, digitem “Join” e enviem o SMS para o número X”. Feito. Isso foi o bastante para que os presentes se conectassem a campanha através do mais “íntimo” dos seus aparelhos. E foi também o adeus definitivo às velhinhas voluntárias que recolhem assinaturas no bom e velho papel, ao lado do palanque. O resultado de tudo isso não poderia ser diferente. Com essa campanha 2.0, Barack Obama conquistou um verdadeiro exército de eleitores jovens, todos empolgados em militar a favor de sua moderna campanha…”

 

Em Aracaju, Almeida Lima vem mostrando uma alta estrutura, mostrando que pretende segmentar e ao mesmo tempo descentralizar a campanha com a implantação de comitês em diversos bairros. Vem usando recursos como a mensagem pedindo voto pelos telefones fixos. Leitores de idade avançada, muitas vezes acreditam que estão falando “ao vivo” com o candidato pelo telefone.

 

Os outros dois principais candidatos, Edvaldo Nogueira e Mendonça Prado, iniciaram timidamente suas campanhas. Já Almeida Lima tenta passar uma sensação para o eleitorado que levará a eleição para o 2º turno eleitoral. Parece que ele terá fôlego até 5 de outubro. Resta saber se os marqueteiros adversários não vão criar a partir do slogan “A gente pode”, o slogan “Não, ele não pode”, lembrando os problemas causados pelo senador peemedebista no Senado Federal, como a defesa fiel e intransigente do então presidente Renan Calheiros que resultou em criticas e piada da imprensa nacional contra Almeida Lima.

 

CUT pede informações sobre a Fox

A Central Única dos Trabalhadores de Sergipe  – CUT/SE -, entregou na última sexta-feira, 18, na Procuradoria da República do Estado, em Aracaju, documento cobrando informações acerca dos encaminhamentos adotados pela PR, bem como a adoção das medidas legais cabíveis à apuração e investigação, visando a punição dos envolvidos e a restituição do dinheiro desviado dos cofres públicos, denunciados na Operação Fox, realizada em 18 de julho de 2006.

 

Movimento Brasil Competitivo

Dentro do 6º Congresso Internacional Brasil Competitivo, hoje, 22, em Brasília, a convite do empresário Jorge Gerdau, o governador Marcelo Déda, fará palestra no painel “O Movimento Brasil Competitivo e o programa Modernizando a Gestão Pública – Casos de Sucesso” A 6ª edição do Congresso tem como tema 200 Anos de Estado: A inovação na Gestão Pública, o evento terá a participação de lideranças e especialistas nacionais e internacionais que apresentarão casos práticos de sucesso na melhoria da gestão pública, com resultados na administração e otimização de recursos, redução de despesas e aumento na receita. Ainda hoje Déda terá audiência com o presidente Lula e alguns ministros. De lá segue para Teresina onde participará da reunião dos governadores do NE retornando a Sergipe na quinta-feira.

 

Apoio a projeto

Ontem, 21, durante visita à Presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Célia Pinheiro, juízes integrantes da Amase-Associação dos Magistrados de Sergipe externaram apoio incondicional ao foco da atual gestão, que é infância e juventude. O TJ vai elaborar projeto com objetivo de melhorar as condições de vida de crianças e adolescentes em situação de risco ou em conflito com a lei. Governo do Estado, Prefeitura da capital, Unicef e Ministério Público e outras instituições já demonstram simpatia pela idéia de Célia Pinheiro.

 

Casas: Banese não simula financiamento

O Governo de Sergipe, através do Banese, está financiando a aquisição de imóveis. Uma medida louvável, mas para competir no mercado o Banese deveria ter aberto uma ferramenta em seu site para possibilitar ao cliente simular o valor do financiamento como faz diversos bancos, a exemplo da Caixa. O mercado de financiamento de imóveis tem uma concorrência acirrada e o Banese tem que se adaptar a mesma.

 

Parcelamento do licenciamento com juros

Qual o motivo que leva o Detran a não fazer o parcelamento direto do licenciamento anual sem a necessidade de que os donos de veículos tenham que recorrer ao Banese, com a taxa de juros que é alta? É preciso facilitar para os donos de veículos e o governo do Estado não teria prejuízo se o licenciamento já chegasse com um desconto a vista e o parcelamento direto, sem a intermediação do Banese.

 

Alagoano em Ilha das Flores

O Ministério Público Eleitoral está de olho num candidato a prefeito de Ilha das Flores, que chegou de Alagoas. A denúncia é que estão sendo entregues cestas básicas de madrugada na casa das pessoas.

 

Souza e Luiz Carlos fora da lista dos inelegíveis

Dois nomes foram excluídos da lista do TRE dos políticos que estão inelegíveis este ano: Ascendino Souza, de Areia Branca e Luiz Carlos, de Pacatuba.  Os dois, através de ofício do Tribunal de Contas tiveram seus nomes retirados porque as contas deles ainda não foram julgadas.

 

Campanha de Maria Mendonça

Em Itabaiana, ontem, 21, a candidata à reeleição Maria Mendonça realizou uma passeata que, literalmente, fechou o centro da cidade. Lá a disputa é entre a prefeita e o ex-prefeito Luciano Bispo. A eleição deste ano promete ser a mais disputada dos últimos anos na cidade.

 

Justificativa de Almeida em posse na agricultura

Ontem, 21, na posse de Augusto César na antiga Delegacia Federal da Agricultura, hoje superintendência regional, o padrinho dele, senador Almeida Lima (PMDB) usou da palavra para explicar aos fiscais federais porque não atendeu um apelo para que fosse nomeado alguém dos quadros da autarquia. Disse que tinha que nomear alguém de sua “restrita confiança”. . Ou seja, não confia em ninguém dos quadros técnicos, da superintendência da agricultura. Em tempo: a antiga delegacia da agricultura é um celeiro de técnicos qualificados que orgulha o Estado de Sergipe.

 

Ministério Público e insensatez I

Do advogado e leitor Paulo Afonso de Almeida: “Começaram a pipocar no Judiciário Eleitoral de Sergipe as primeiras impugnações de registro de candidaturas daqueles políticos que desejam se submeter ao sufrágio popular, promovidas pelo Ministério Eleitoral, sob a alegação de existência de ações de improbidade administrativa, penais ou ação civil pública. Diante do esperado número de impugnações, a Justiça Eleitoral, certamente, já se aparelhou para o devido processamento de tais ações (AIRC).As impugnações ainda estão a aguardar decisão dos juízes das respectivas Zonas Eleitorais. O que vem causando espécie aos advogados que militam nas questões eleitorais é o fato de que, mesmo com a recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral(TSE),ocorrida em 10 de junho do corrente ano, respondendo à consulta feita pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, concluiu que “os políticos que são réus em processos criminais, ação de improbidade administrativa ou ação civil pública, sem condenação definitiva, podem se candidatar nas eleições 2008”.

 

Ministério Público e insensatez II

Continua Paulo Afonso: “Segundo o ministro-relator da consulta, Ari Pargendler, que avaliou a lei de Inelegibilidade (Lei Complementar n° 64/1990), contem os critérios para a concessão de registro de candidatos. O ministro Eros Grau, chegou a afirmar que “o Poder Judiciário não pode, na ausência de lei complementar, estabelecer critérios de avaliação da vida pregressa de candidatos para o fim de definir situações de inelegibilidade”. Diante de tamanha clareza de decisão, como admitir que o Ministério Público Eleitoral, se arvore em patrocinar ações de impugnação de registro de candidatos que, mesmo com processos criminais, ações de improbidade administrativa e civil pública, ainda em andamento (portanto sem condenação definitiva), possa alcançar provimentos satisfatórios? Será que nesta campanha não seria mais útil que o MP se empenhasse mais para identificar e punir aqueles candidatos e cabos eleitorais que estão, na surdina da noite, cometendo flagrantemente crimes de compra de voto, ameaças do eleitor, etc.?”.

 

Minhas tripas possuem ciência da própria carne

Quem acompanha o Jornal do Dia deve ter notado a desenvoltura e a irreverência do jornalista Rian Santos que aos domingos, deleita a todos com um artigo sobre fatos da vida cotidiana. Rian tem vários leitores cativos, entre eles este jornalista. Já o jornalista Célio Nunes, considera o texto de Rian Santos, perto da insubordinação e da irreverência do saudoso Fernando Sávio. Um trecho do artigo de Rian publicado no Jornal do Dia no último domingo: “Os políticos se servem do discurso para seduzir auditórios, visando o interesse individual ou de grupos restritos, mas as minhas tripas possuem ciência da própria carne. Se não encontro pasto, dou de ombros e vou-me embora, atrás de uma sombra para me amparar”. Célio revela que não conhece pessoalmente Rian, mas vem acompanhando os seus textos que se insere o que literariamente se classificava como “malditos”, tendo Aracaju forjado dois desses malditos talentosos: Fernando Sávio e Newman Sucupira, todos dois, infelizmente falecidos precocemente. Registre-se que Newman deixou publicado (pelos amigos) o livro de contos: “Contos malditos e outras histórias”, uma rara e inestimável contribuição à literatura. 

 

Socorro, socorro, Itabaiana cidade sem lei I

Do cientista social, Jamyson Machado: “Cadê o Ministério Público? Cadê a polícia Militar? Cadê a Polícia Civil? Cadê a Justiça Eleitoral? Não é possível que uma cidade com todos esses mecanismos, entre outros  pagos pela comunidade, não seja suficiente para  coibir a barulheira e a falta de respeito nas eleições. Art. 8º Não será tolerada propaganda (Código Eleitoral,art. 243, caput): VI – que perturbe o sossego público, com algazarra ou abuso de instrumentos sonoros ou sinais acústicos (Código Eleitoral, art. 243, VI). Ninguém assiste televisão, ninguém atende  telefone, ninguém respeita hospital, enfermos, crianças recém nascidas, em resumo, não se respeita nem a própria justiça. Não existe mão nem contra mão, motos sem o redutor de ruído da descarga, sons automotivos e carros de sons abusivos, ou seja, a margem da lei”.

 

Socorro, socorro, Itabaiana cidade sem lei II

Do cientista social: “Curiosamente, há dois meses, qualquer carro com o som automotivo emitindo poluição sonora deveria ser cadastrado, sujeito a controle de volume, apreensão e pagamento de multa. Hoje, porque começou o período eleitoral a baderna pode acontecer? Será que há uma força maior oposta? Essa é a pergunta da comunidade! Se existe, que força é essa que nem o poder judiciário consegue controlar? Ou será que não existe? Ou será que a população está desprotegida, sem os seus representantes? Atrás de qual birô está escondido o responsável por essa baderna? Opa, estava esquecendo: Na Micarana foi proibido a utilização de sons na avenida da festa, na “Micarana” e agora? Tá complicado…”

 

Indique um amigo para ler a coluna: claudionunes@infonet.com.br

 

Seminário em Gestão Pública

A Secretaria de Estado da Administração (SEAD) convida Vossa Senhoria para participar do “1º Seminário para Capacitação em Gestão Pública”, nesta terça-feira, 22, a partir das 8h30. Em seu segundo dia, o seminário apresentará uma palestra sobre as compras públicas e contratações do Governo do Estado de Sergipe, com Márcio Zylberman, superintendente de compras centralizadas do Governo do Estado. Os debates prosseguem com o tema Gestão de contratos centralizados de publicidade e de eventos, com Aline Magna, da Assessoria Jurídica da Secom.  O “1º Seminário para Capacitação em Gestão Pública” é organizado pela CGE (Controladoria-Geral do Estado de Sergipe (CGE), Sead (Secretaria de Estado da Administração), PGE (Procuradoria-Geral do Estado), Secom (Secretaria de Estado da Comunicação Social), Seplan (Secretaria de Estado do Planejamento) e Sefaz (Secretaria de Estado da Fazenda), com apoio do Banese (Banco do Estado de Sergipe).

 

Jackson afina discurso

Durante caminhada no bairro São Carlos, Zona Norte da cidade, o deputado federal Jackson Barreto (PMDB) mostrou que está com o discurso afinado quando o assunto é o projeto de reeleição de Edvaldo Nogueira (PCdoB). “Nesse início de campanha, ele tem conseguido passar a mensagem de homem ético, sério e comprometido com uma cidade moderna. Não é à toa que Aracaju foi apontada como a capital brasileira da qualidade de vida. Claro que esse é um trabalho de muitas mãos, mas consolidado na atual administração”, comentou.

 

Governo coordena oficina do MDIC I

Esclarecer o papel do Grupo de Trabalho Permanente dos Arranjos Produtivos Locais (APLs), incentivar a participação do empresariado local e compartilhar as experiências observadas nos Arranjos. Essas são algumas das ações propostas pelo Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC) que juntamente com o governo do Estado, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) realizam em Aracaju, na próxima quarta-feira, dia 23, a “Oficina de Orientação aos Núcleos Estaduais”. O evento deverá reunir no auditório Terra Caída, do Centro de Convenções, integrantes do Núcleo Estadual de APLs, representantes do setor privado, das instituições parceiras, dirigentes municipais e interessados em discutir o tema. A oficina será aberta as 8h30 pelo secretário Jorge Santana e se estenderá até a tarde, com várias discussões sobre o tema.

 

Governo coordena oficina do MDIC II

Coordenado em Sergipe pelo Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais (APL-SE), o evento possibilitará aos participantes conhecerem a estratégia do governo federal articulada ao governo estadual, de fortalecimento dos APLs, tendo também como objetivos a consolidação dos Núcleos Estaduais de Apoio aos Arranjos, além de estimular a construção dos Planos de Desenvolvimento dos APLs definidos como prioritários pelo MDIC. Em Sergipe foram priorizados os APLs da Ovinocaprinocultura, Pecuária do Leite, Cerâmica Vermelha, Apicultura, Fruticultura, Piscicultura, Mandiocultura, Petróleo e Gás, Tecnologia da Informação, além de Confecções e Artesanato de Bordado. A secretária técnica do Grupo de Trabalho Permanente GTP APL e diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do MDIC, Cândida Cervieri, fará uma palestra técnica sobre o tema, abordando aspectos como a ação do grupo, metodologia de atuação integrada do GTP para a região Nordeste, o Plano de Desenvolvimento Preliminar (PDP), Sistema de Informações de APLs e Agenda de Trabalho da região. Em continuidade ao evento será apresentada a experiência do NEAPL-SE, pela diretora do Departamento Técnico da Sedetec, Sudanês Pereira, coordenadora do núcleo em Sergipe, seguida da apresentação de experiências dos APLs prioritários.  

 

Edital para concurso do STJ já está disponível

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) abre concurso para seleção de cadastro de reserva para cargos de níveis médio e superior. A seleção será organizada pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília (UnB). O salário é de R$6.067,57 para analista judiciário (com curso superior completo) e de R$ 3.711,74 para técnico judiciário (formação em ensino médio). Para os cargos de nível superior, as vagas são para as áreas judiciária (Direito), administrativa (qualquer curso superior) e de apoio especializado em Informática (graduação de nível superior na área acrescido de certificado de curso de especialização, em nível de pós-graduação). As inscrições podem ser feitas de 4 a 26 de agosto apenas pelo site www.cespe.unb.br/concursos/stj2008  , até às 23h59 do dia 26 de agosto. As inscrições custam R$ 70,00 para analista judiciário (nível superior) e R$ 45,00 para técnico judiciário (nível médio).

 

Sobre as novas medidas no trânsito I

Do engenheiro Rocha: “A princípio enfatizo claramente que sou totalmente favorável a “Lei Seca”, controle de velocidade, pardais, lombadas eletrônicas e as demais parafernálias que estão sendo colocadas para diminuir os acidentes de trânsito e, colocar de uma vez por todas na cabeça dos nossos motoristas, que o carro comum é um veículo de passeio, não um veículo de competição ou uma máquina de matar. Ao longo dos últimos meses o Governo federal tem lançado pacotes de medidas que visam exatamente educar e conscientizar os nossos motoristas. O que não concordo é que os nossos governos, seja o municipal, o estadual ou o federal, adotem estes pacotes como forma de arrecadar criando subterfúgios que não ajudam em nada a controlar a irresponsabilidade no trânsito. Os pardais ocultos e estrategicamente montados em pontos que arrecadam, como por exemplo, os instalados na saída da cidade e o colocado quase em frente ao Colégio Salvador, no Bairro Jardins não servem para nada. O sujeito pode passar em alta velocidade, atropelar alguém, mas será multado. Se houvesse sinalizações horizontais e verticais, sonorizador, que obrigasse o motorista a reduzir a velocidade aí sim, evitaria um atropelamento ou qualquer outro acidente. Para os nossos governantes, atropelar e matar pode, desde que seja multado. Nas rodovias federais acontece o mesmo. A PRF se posiciona estrategicamente em pontos de arrecadação onde quase nunca acontecem acidentes”.

 

Sobre as novas medidas no trânsito II

Continua Rocha: “Alguém já viu uma viatura da PRF estacionado e fiscalizando uma lombada? Ou uma ponte? Ou uma curva perigosa? Nunca vi, e, veja bem, eu viajo muito. Sempre vi em retas enormes, em trevos de acesso a cidades, em pontos de ultrapassagem visível, porém por alguma obra, posto ou qualquer outra coisa que proíba a ultrapassagem. Assim, como disse no início sou favorável a todas as medidas implantadas, mas, sem querer pedir muito, gostaria que os Governos Municipal, Estadual e Federal fizessem a parte dele. É simples: sonorize e identifique claramente todos os pardais e lombadas eletrônicas; assim, diminuiremos a nossa velocidade e evitaremos não somente a multa, como um acidente. Nas estradas federais e estaduais apliquem nosso IPVA, CIDE, e outros impostos na duplicação das pistas, na terceira faixa para carros pesados, nas cercas, na apreensão de animais, nos viadutos de acesso as cidades, nas passarelas, na sinalização. Ou seja, se o governo não fizer a parte dele os acidentes continuarão, multados é claro, mas continuarão. Caso nada disto seja feito continuarei concordo com as medidas, mas sempre acreditando que o objetivo é apenas arrecadar. E, apenas para lembrar, o carro que comprei tem um alarme sonoro que me avisa quando eu passo de 60km/h, e já estou “condicionado”. Toda vez que o alarme soa, eu tiro o pé do acelerador. Mesmo assim, não ultrapassando o limite, fui multado por um pardal, aquele em frente ao Colégio Salvador do Jardins. Questiono a multa e enviarei ao Papa que é o indicado para atender estes casos. Já a SMTT garante que os pardais são rigorosamente aferidos. Lembrarei desta afirmação daqui a alguns, poucos meses”.

 

Frase do Dia

“Sabemos todos dar melhores conselhos do que exemplos” (Marquês de Maricá).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários