As trambicagens do Sr. Rodrigo Maia

0

Pelo menos até o final da tarde de ontem, o Presidente da Câmara dos Deputados, sr. Rodrigo Maia, não tinha retornado ao país de sua desastrada viagem à Espanha, para onde fora a fim de confabular com políticos daquele país sobre o regime político de lá, o parlamentarismo socialista. A expectativa pelo seu retorno se justifica, pois a Constituição é muito clara com aqueles que que manifestadamente se opõem ao regime vigente. Ultimamente, o Sr. Rodrigo Maia tem feito manifestações para adoção da troca de regime. Hoje, ele é parlamentarista “convicto”, pois seu futuro político estaria ligado a um novo cargo que poderia assumir, caso isso ocorresse. Ele seria o Primeiro Ministro. Esqueceu-se, porém, de uma coisa: a sociedade brasileira, por duas vezes já se manifestou contra o parlamentarismo, preferindo o presidencialismo, que é o que nos governa até agora. Mas sem perspectiva de continuar na linha de frente da política brasileira, Rodrigo Maia optou pelo parlamentarismo e tem justificado sempre a sua escolha, dizendo que este “seria o melhor regime para o Brasil”. Para o Brasil, não sei exatamente, para ele sim que poderia abraçar o cargo de Primeiro Ministro como uma tábua de salvação para continuar na curul dos políticos que mandam no País. O Presidente Bolsonaro, certamente, não vê essa troca de regime, com bons olhos, afinal o que está em jogo é a sua cadeira de Presidente. No regime parlamentarista, a figura do Primeiro Ministro é o mandão de tudo e a figura do Presidente é apagada, quase inexistente. Recentemente, Maia pôs Bolsonaro na parede: queria 30 bilhões de reais em suas mãos para enfrentar as eleições municipais em todo o país em outubro próximo. A exigência ia mais longe: 30 bilhões limpinhos, nada de prestação de contas. O jornalista Neumanne Pinto classificou o pedido como uma jogada equivalente a um roubo. Dizem que Bolsonaro tentou negociar em torno de 25 milhões, mas Maia respondeu: Ou 30 bilhões ou nem tem acordo. a chantagem se fez sentir logo: muitos projetos vetado pelo Presidente da República ainda não foi submetido à votação. Agora que ele anunciou sua volta ao país ele anunciou também que os vetos começarão a ser votados a partir de amanhã, terça-feira. Seria o fim da crise? Provável que sim Mas, o retorno de Maia ao país era aguarda sob intensa expectativa: é que, na hora de confabular em território estrangeiro sobre o tipo de governo brasileiro, Maia foi surpreendido com uma nota oficial do governo dando conta do que ele foi fazer por lá. Conspirando tão abertamente assim, não restou desculpas para Rodrigo Maia. Daí porque a expectativa pelo seu retorno. Ele poderia sair do Aeroporto já com as mãos algemadas, não iria para casa logo, mas para uma prisão federal. Acontecerá isso ou o governo Bolsonaro tentará contemporizar mais uma vez. O fato é que as conversações em Madri ferem drasticamente a Constituição brasileira – e o próprio Rodrigo Maia sabe disso, daí porque sua viagem ao Exterior foi quase um segredo que não pode se manter por muito tempo. Mesmo que continua presidente da Câmara dos Deputados não será um homem confiável – nem Bolsonaro, nem a qualquer outro político brasileiro. No sonho de poder de Rodrigo Maia ele contou muito com a colaboração do Presidente do Senado, Sr. Davi Alcolumbre. Mas, aí já é outra história.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários