Cuidados com as pesquisas

0

O candidato a prefeito pelo PRP, advogado Renato Sampaio, estava vibrando, no início desta semana, com o resultado de uma pesquisa que vinha sendo realizado por um dos sites da Internet em Aracaju. Entusiasmado, comunicou imediatamente a jornalistas, que estava um pouco abaixo do prefeito Marcelo Déda, uma espécie de empate técnico que o deixava realmente eufórico. Dez minutos depois, acompanhando atentamente a evolução dos números que lhe era favorável, José Renato já estava em primeiro lugar e isso o enchia de alegria por ter seu nome na preferência popular de um eleitorado virtual. Lógico que isso animaria qualquer candidato, mas não se pode levar em consideração, para tristeza de José Renato, o que as teclas estão escrevendo. Porque ninguém sabe quem está por trás do computador e nem como a pessoa consegue se virar para marcar o nome do candidato em várias máquinas diferentes. É que os números virtuais não batem com nenhum outro que esteja em pesquisa real. Essa questão de avaliação do eleitorado através de consulta à opinião pública é preciso ser vista com muito mais cuidado. Evidente que os dados captados através da Internet, onde mesmo que limite a um o número de eleitor por computador, é muito fácil usar de artifícios para melhorar o índice de preferência de todos os candidatos. Vai ganhar quem tiver maior capacidade de juntar amigos, aliados, empregados e simpatizantes para usar computadores diversos e teclar nos nomes de quem desejam eleito. A virtualidade faz milagres porque os truques dos programas eletrônicos transformam feras em belas. É da maior importância que a pesquisa tenha cunho científico, seja registrada no Tribunal Regional Eleitoral e informe o local de apuração, metodologia, nível profissional de quem a faz. Enfim, uma série de exigências para que se mostre um quadro do momento. Evidente que essas pesquisas via Internet fogem ao controle de quem faz sua tabulação, mesmo que o computador aceite apenas um voto por pessoa. O Tribunal Regional Eleitoral, como acontece em todo ano de eleição, baixou resolução sobre a realização das pesquisas. É uma série de sérias exigências que, se fossem cumpridas, realmente ofereceriam um quadro do momento da campanha, até chegar ao pleito final. O grande problema é que o TRE baixa normas e metas de pesquisas, mas não as fiscaliza. É possível que não haja tanta gente à disposição da Justiça Eleitoral, mas todas essas avaliações deveriam ser feitas com um representante da justiça e fiscais dos candidatos que estão sendo aferidos. Embora demonstre rigidez com essas pesquisas, o Tribunal Regional Eleitoral autoriza a realização delas por qualquer instituição, sem fazer quaisquer exigências em relação ao que ele próprio determina para que a avaliação eleitoral tenha cunho científico e obedeça a critérios técnicos para sua realização. É um absurdo que não se faça um levantamento dos responsáveis pelas pesquisas e qual o órgão que vai se responsabilizar por elas. Em razão da tolerância do órgão, também fiscalizador, neste período de eleições são realizadas dezenas de pesquisas sem nenhum fundamento científico, mas que são publicadas para atender a interesses de partidos e candidatos, todas com o autorizo do Tribunal Regional Eleitoral. Nas eleições municipais de 1996, só para dar um exemplo da vulgarização desse estilo de aferição e da banalidade na referência de quem é responsável por seus resultados, um candidato à Prefeitura de Aracaju – hoje um ilustre empresário distanciado dos mandatos eleitorais – transmitiu, via televisão, números de uma pesquisa, que lhe eram favoráveis, em frente ao TRE, quando funcionava no centro da cidade, durante o seu programa eleitoral gratuito. Está provado que a pesquisa influencia no eleitorado e até provoca mudanças de opinião. Quando demonstram um resultado falso é prejudicial aos candidatos e eleitores, porque a alteração dos números pode induzir o voto. Ninguém tenha dúvida que a partir de agosto vai ser disparada uma saraivada de pesquisas feitas com autorização do Tribunal Regional Eleitoral, todas com o objetivo de favorecer a candidatos e alterar a tendência de um eleitorado que, invariavelmente, prefere dar o voto a quem lidera as pesquisas, simplesmente porque não deseja perdê-lo. E é por isso que o TRE deve fazer uma maior vigilância de quem realiza a pesquisa, começando, inclusive, por autorizar somente aquelas que, comprovadamente, sejam realizadas por empresas idôneas e que tenham experiência na área. Tem que qualificar esse tipo de consulta à opinião pública, a começar da autorização para realização. Sem isso, o eleitor sempre será iludido por resultados falsos, que podem mexer com sua cabeça e alterar a sua intenção de voto. A responsabilidade é de todos, inclusive, e principalmente, da Justiça. REUNIÃO A candidata do PPS, deputada Susana Azevedo, esteve reunida, ontem pela manhã, com a equipe de marketing da sua campanha. Analisava uma pesquisa qualitativa, em que a população considerava Susana uma mulher forte, guerreira, determinada e com força de vontade. SLOGAN É exatamente desse perfil, traçado pela população, que o pessoal pretende extrair o slogan de campanha para a deputada Susana Azevedo. O primeiro que veio à cabeça foi “mulher de coragem”, mas esse já é utilizado por Marta Suplicy. Trocaram por “Mulher forte”, mas Susana não gostou. CAMPANHA A campanha de reeleição do prefeito Marcelo Déda (PT) tem previsão de gasto maior. Diz que chegará a R$ 2 milhões. Vera Lúcia Pereira da Silva (PSTU) é a menor: exatos R$ 16,2 mil, conforme dados constantes nas atas encaminhadas ao cartório da 27ª Zona Eleitoral da capital. SUSANA A segunda campanha mais cara será a da deputada estadual Susana Azevedo (PPS). Ela vai gastar R$ 1,8 milhão em toda a capital. Logo depois vem a do deputado federal Jorge Alberto (PMDB), cuja coligação “Aracaju Melhor” registrou apenas R$ 700 mil. RENATO O procurador geral de Justiça aposentado, Renato Sampaio (PRP), prevê gastar em toda a campanha apenas R$ 600 mil. Já o professor Adelmo Macedo (PAN) pretende arrecadar para gastar na campanha um total de R$ 200 mil. UTOPIA Evidente que os números registrados pelas duas campanhas que vão polarizar o pleito são utópicos. Nenhum deles gastará menos de R$ 15 milhões. Uma campanha de vereador hoje, com a redução dos números, não custará menos de R$ 800 mil para conquistar o mandato. CÁLCULOS Pelos cálculos do advogado Clarkson Ramos, especialista em legislação eleitoral, uma coligação para eleger o primeiro vereador em Aracaju, só com 13.500 votos válidos. Se Clarkson estiver certo, muita gente vai lamentar por ter um bom percentual de votos e perder para quem obteve muito menos. SESSÃO Deputados que participam das sessões da convocação extraordinária, dizem que os parlamentares que protestam são os primeiros a procurar saber do depósito do salário extra. Segundo um parlamentar, nenhum deles deixa de receber ou devolver o que foi depositado em conta, “essa minoria trabalha para a platéia”. BOSCO O presidente regional do PSDB, Bosco Costa, tem conhecimento de que o senador José Almeida Lima (PDT) está interessado em filiar-se ao PSDB. Disse que isso pode ter fundamento pelo que “estou ouvindo e vendo alguns senadores do PSDB interessados em seu ingresso”. ENCONTRO José Almeida Lima já entrou em contato telefônico com o deputado Bosco Costa marcando um encontro para conversarem. Talvez isso aconteça na segunda-feira. Bosco Costa diz que não briga por partido e lembrou que no início se falou em intervenção federal no Diretório de Sergipe, “mas disso não existe possibilidade”. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse que a tendência natural do ex-governador Albano Franco é filiar-se no Partido Liberal. Segundo Machado, “Albano Franco só não se filia ao Partido dos Trabalhadores porque a militância não quer. Mas a tendência dele é estar no partido do presidente da República”. ALBANO O ex-governador Albano Franco não está falando em política e já disse que não pretende se filiar nem ao Partido Liberal e nem ao PTB. Albano já disse, também, que não está se envolvendo na questão do PSDB, mas garante que até o momento não foi comunicado de nada, apesar de ter amigos influentes no partido. RENATO O candidato a prefeito pelo PRP, José Renato Sampaio, já disse que não disputa por indicação de ninguém, embora tenha ao seu lado o Prona e o PDT. Ele volta a aparecer com uma faixa que lhe dá um toque de independência: “Contra o acordão de Déda e João, Renato Sampaio é a solução”. Notas VIATURAS O governador João Alves Filho, às vésperas da viagem à China, entregou viaturas ao Corpo de Bombeiros e, em seu discurso, disse que os últimos veículos recebidos pela instituição foram no seu segundo mandato, há mais de 10 anos e o comandante da corporação era o coronel Valdir. João Alves Filho disse que se sentia muito feliz passando as novas viaturas para o coronel Magno, que é filho de Valdir e acrescentou que ainda pretende entregar mais veículos para os Bombeiros ao neto do coronel Magno. GENOINO O prefeito Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, conversou com o presidente nacional do partido, José Genoino, e o convidou para vir a Aracaju, na inauguração do comitê central, dia 22. Genoino disse que se não viesse mandaria um representante da Executiva Nacional. O show de inauguração será de Jair Rodrigues. Sábado o prefeito participa de passeata por todos os bairros da região sul da capital e no domingo distribui adesivo na orla. Lá também estará um trio elétrico que aproveitará o jingle da eleição passada com modificações. IMPUGNAÇÃO Já existem, junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cerca de 450 pedidos de impugnação de candidaturas em todo o Estado. O volume é muito grande, e virão muitos outros, para julgamento rápido pelos juízes. Muitos advogados estão sendo contratados, desde que foram realizadas as convenções. Alguns candidatos podem ficar de fora das eleições municipais porque não entregaram todos os documentos exigidos no ato do registro. Esse luta no tapetão sempre aconteceu neste período de disputa eleitoral. É fogo A candidata a prefeita pelo PPS, deputada Susana Azevedo, assistiu, ontem à noite, ao show do cantor Lulu Santos. O pessoal jovem que a acompanhou fez panfletagem durante o show. A deputada também fez caminhada no Lourival Baptista. O governador João Alves Filho telefona todos os dias da China para transmitir os contatos e saber informações de Sergipe.. O prefeito Marcelo Déda reuniu-se, ontem à noite, com a militância do partido, para convocá-la a ir às ruas para agitar a campanha. Marcelo Déda reconhece que, independente de qualquer coisa, a galera do PT “é o nosso diferencial”. A Justiça Eleitoral em Itabaiana não recebeu pedido para a colocação de outdoors dos candidatos naquela cidade. Como o prazo para o pedido acabou, nenhum candidato vai colocar sua imagem para os 50 mil eleitores de Itabaiana. Em alguns municípios e na periferia de Aracaju tem gente disposta a acionar o Ministério Público para acabar com o abuso dos carros de som dos candidatos. O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB) está em campo tentando aliados para apoiar a candidatura de Zezé Rocha à reeleição. José Raimundo Ribeiro (Cabo Zé) trabalha firme para retornar à Prefeitura de Lagarto, ao lado do irmão Ribeirinho. O faturamento do sistema bancário com prestação de serviços aumentou 54,5% nos últimos três anos. Chegar ao final do ano com três ou quatro senadores e cerca de 12 a 14 deputados federais é um dos objetivos do PSOL. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais