Da dengue a insegurança

0

 

 

Pelo andar da carruagem dois problemas graves continuarão sendo manchetes na mídia de Sergipe por algum tempo: a dengue e a insegurança. A dengue que quase se tornou uma epidemia em Aracaju há três anos está voltando com toda força e as ações parecem tímidas. Os casos se multiplicam e muitos deles são diagnosticados como “virose”, nome encontrado para explicar o “inexplicável”.

 

Como bem escreveu Eliane Cantanhêde, em artigo da FSP de hoje, 25, a Febre amarela e dengue são doenças graves, transmitidas pelo Aedes aegypt e podem matar, mas há uma enorme diferença entre elas: a febre amarela é prevenível por vacina, a dengue não. Esse é um fator decisivo entre pegar ou não a doença, morrer ou não. A mídia teve um papel fundamental ao alertar a população para o aumento da  incidência da febre amarela, seus riscos, o combate ao mosquito e a vacinação. Nunca vai se saber quantas centenas de vidas foram salvas neste país pela ação diligente de jornais, rádios, TVs. Apesar disso, a mídia, ao invés de receber só elogios por cumprir seu papel, está ameaçada de processos por ter “gerado pânico” (?!). Era janeiro, logo viriam fevereiro e março, três meses duplamente perigosos: muito chuvosos, favorecem a proliferação do Aedes; de férias, Carnaval, Semana Santa, multiplicam viagens, deslocamentos. E as áreas de risco praticamente cobrem o país, alastradas por 19 Estados no Norte, Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste e até partes de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Santa vacina! No caso da dengue o aumento da incidência em Aracaju é um fato. É preciso uma ação imediata não só da Prefeitura, mas do Governo do Estado para que o ritmo não aumente como no Rio de Janeiro, onde a epidemia é uma realidade cruel, contaminando uma pessoa por minuto.

 

Já a insegurança, quanta incompetência. O artigo de ontem, 24, com o título “De quantos Pipitas Sergipe precisa?”, gerou uma série de e-mails de leitores mostrando que a sociedade está atenta as tentativas de “maquiar” uma realidade que é cada vez mais cruel. Com bem lembrou um leitor: Se qualquer cidadão comum, necessitar de  uma queixa em delegacia do interior, a queixa é dada, mas o mesmo sai sem comprovante de que prestou a queixa, a autoridade policial se nega e diz que não entrega a mesma e como fica? Claro que o pobre cidadão não vai bater boca nem exigir que o mesmo o entregue, porque ele tem a força. É preciso mudar o direcionamento do trabalho realizado no interior. Os delegados e toda equipe precisam participar da vida da comunidade. Existe uma parede entre a segurança e a sociedade em quase todos os municípios. Ou muda ou continua o caos.

 

Um e-mail que retrata bem a atual realidade da segurança pública em Sergipe: “É muito difícil fazer qualquer manifestação de defesa ou de apoio às polícias sergipanas. A incompetência é evidente. Falta tudo, menos recursos materiais. Agora, que os nossos policiais são mal preparados e sem qualquer noção de planejamento, eu repito, isso é uma verdade  inquestionável. É uma pena, porque o governador Marcelo Déda, tenho certeza, imaginava uma coisa bem melhor em termos de segurança para os  sergipanos. Porém, está vendo que na prática as coisas são bem  diferentes. Inclusive, o secretário de segurança, um homem da Polícia  Federal, a instituição da esfera da segurança pública do Brasil mais  respeitada pela população, não está conseguindo repassar para os seus  comandados os preceitos, técnicas e formas de procedimentos praticados  no seu órgão de origem. Os casos se sucedem e são emblemáticos: o  policiamento desordenado em Aracaju (não há comando), o policiamento  de eventos culturais (com excessivo emprego violência), a falta de  foco (pega-se um suspeito que é uma pessoa de bem, porém pobre, e  quebra-se os dois braços tentando algemá-lo, numa falta de respeito às  leis e aos princípios pregados pelo dirigente maior, o nosso  governador, e de seu partido), e por fim, esse caso do adolescente Pipita. Onde nós estamos? Estão se desperdiçando recursos escassos caros, mão-de-obra, viaturas  movidas a combustível não renovável, etc, e está sendo preterida a  matéria-prima mais importante, que é usada com fartura pela Polícia  Federal, que é a inteligência. E ainda ficam dando entrevistas na  imprensa, como se não tivessem nada com o assunto. A polícia precisa de prestígio: o governador chama os principais líderes  e dá-lhes uma reprimenda. Assim como fazem os pais com os seus filhos. É preciso utilizar mais a inteligência, os recursos principalmente de  tecnologias de informação”.

 

Helicópteros: perguntar não ofende

Para os que defendem que o Governo do Estado volte a alugar um helicóptero a um preso absurdo como foi feito no governo anterior uma pergunta: Os dois helicópteros usados na operação “Pipita para que serviram? A marca do amadorismo na operação mostrou que de nada adiantou. Um helicóptero, não alugado, mas comprado pelo governo, poderia ajudar muito na área da saúde, mas na área da segurança está demonstrado que o amadorismo prevalece.

 

Faz de conta na segurança

 De nada adianta equipamentos modernos e tudo mais com policiais com salários defasados e trabalhando cansados por conta dos “bicos” feitos no dia anterior. Ou melhora os salários para cobrar o fim dos “bicos” ou continuará o “faz de conta” na segurança pública. É a realidade, nua e crua.

 

De olho em licitação que será aberta

Hoje, 25, será aberta uma licitação para adquirir computadores, som, dvd, vídeos e outros na Seed. O blog está de olho inclusive na comissão formada, porque tem gente com familiares com empresas que podem aparecer na licitação. Só um detalhe: anotem essas duas letras “R” e “A”. Depois o blog conta toda a história…

 

São Cristovão: os Filhos dos Ex

Os comentários que se espalham na velha cap. “São Cristóvão”,  é de que as eleições deste ano para a Câmara de Vereadores serão difíceis para os candidatos sem apadrinhamento político, isso por que alguns candidatos vem com forte apoio político. Eles, “os filhos dos ex” estão vindo com força total todos apadrinhados pelos seus pais e/ou irmãos lideranças políticas daquele município, entre eles estão Michael Almeida filho do Ex-Prefeito Izaias Almeida, Gileno filho do Ex-Vice-Prefeito José Ayrton, Horácio Lima filho do Ex-Prefeito Horácio Souza Lima, Derlan irmão do Prefeito afastado Zezinho da Evereste e do atual deputado estadual Wanderlê Corrêa, Armando Junior filho do Ex-Prefeito e deputado estadual Armando Batalha, Alex Rocha atual prefeito interino vereador e filho do Ex-Prefeito Lauro Rocha de Andrade, esse se não for disputar a eleição a prefeito já que está sentado na cadeira de tal. Esta é a política hereditária de São Cristóvão, vai passando de pai pra filho, confirmando essas expectativas, provavelmente restarão 4 vagas para os demais interessados já que naquele município são só 10 cadeiras.

 

E Wanderlê Corrêa renunciou ao mandato?

E o deputado estadual Wanderlê Corrêa que iniciou o mandato tão atuante. Parece que renunciou? Cadê as informações do Tribunal de Contas solicitadas no requerimento aprovado por unanimidade na AL sobre a folha de pessoal, terceirizados e tudo mais? Isso está cheirando a acordo político! Será? Wanderlê se faz de cego, mudo e surdo. Só falta ir a tribuna enaltecer o trabalho do TC.

 

A liderança de Albano

Depois que Albano disse que não é eleitor cativo de João Alves uma breve lembrança. Em 2006, Albano brigou com vários amigos, como Ulices, Bosco Costa, Jorge Araujo, Maria Mendonça e outros para compor com João Alves. Deu no que deu. Hoje os ex-tucanos, quase todos no ninho do PDT, vão lançar 32 candidatos a prefeito e outros 15 candidatos a vice. E o PSDB? O PSDB para um partido que passou oito anos no governo é quase nanico. A piada que corre nos bastidores é que Albano é líder: dele e de Fabiano Oliveira. E só…

 

Machado não votará contra Sergipe

O deputado federal José Carlos Machado (DEM) explicou ontem que vem acompanhado de perto as discussões sobre a reforma tributária e não votará em nenhuma proposta que prejudique Sergipe. Machado entende que três pontos são importantes: a diminuição da carga tributária, a simplificação dos impostos e uma forma de proteção do contribuinte.

 

Reajuste salarial dos servidores municipais

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, irá anunciar durante coletiva à imprensa o reajuste dos servidores públicos municipais e repassar mais detalhes sobre a política salarial da Prefeitura de Aracaju nesta quarta-feira, dia 26, às 08h30, no auditório da Sociedade Semear.O reajuste do funcionalismo vem para atender o novo salário mínimo do país, que passou recentemente de R$ 380,00 para R$ 412,40: um ganho real de 8,5%. O novo mínimo foi anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no último dia 1º de março e será incorporado aos vencimentos dos trabalhadores brasileiros a partir de abril.

 

Extensionismo vai fortalecer Arranjos Produtivos Locais

Em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) está trazendo para Sergipe o Programa de Extensão Industrial Exportadora (PEIEx) que tem como principal objetivo a resolução de problemas gerenciais e tecnológicos visando incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora em Arranjos Produtivos Locais (APLs).O programa consiste no atendimento direto às micro e pequenas empresas através de técnicos extensionistas que serão contratados e treinados para identificar gargalos gerenciais e tecnológicos, buscando soluções individuais ou coletivas que serão proporcionadas pelas instituições que fazem parte do Núcleo Estadual de APL (APL-SE). O núcleo foi instalado no ano passado, sob coordenação da Sedetec, com intensa participação de entidades representativas da classe empresarial, instituições financeiras e Sistema S.A equipe do PEIEx será formada por 7 técnicos extensionistas e pessoal de apoio que irão atuar, durante 14 meses, assistindo 250 empresas de APLs situados na Grande Aracaju, Itabaiana, Itabaianinha e Tobias Barreto. Os APL selecionados pelos técnicos da Sedetec são: confecções, cerâmica vermelha e móveis.

 

SMTT no Siqueira Campos

De um leitor:A criação do binário formado pelas ruas Bahia e Pernambuco, com certeza desafogará trânsito no bairro Siqueira Campos. No entanto antes da sua implantação, para garantir melhor fluidez do trafego, a SMTT e a EMURB deveriam recuperar todo o pavimento da rua Pernambuco que se encontra todo irregular. A criação de um binário não pode ser feita apenas sem observar as condições das vias. Há tempo ainda para corrigir”.

 

Convocação dos concursados

O MP em Maruim tem que cobrar a convocação dos concursados na área da educação. Vários profissionais da área gastam seus poucos recursos realizando concursos públicos, passam e depois não são chamados. Maruim é um exemplo, há tantos contratados nas escolas do município, ou pior, professores atuando fora da sua formação, tomando o lugar dos concursados. Em Gararu, para se ter uma idéia, no colégio do estado Nelson Rezende só tem um professor que é efetivo os outros  são contratados. Essa realidade não é diferente em Poço Redondo, Maruim etc. O Estado não chamou mais ninguém e faz questão de publicar a data do término do concurso. Assim é bom, bom não, ótimo…fazer concurso, deixar o tempo correr até o prazo final e não chamar mais ninguém.

 

Extração de água no semi-árido                

O senador  Valadares (PSB) cobrou hoje uma política agressiva do governo para extração de água do semi-árido nordestino. Lembrando a passagem do Dia Mundial da Água (no último dia 22),  Valadares chamou a atenção para o fato de o semi-árido ter um potencial de extração de água da ordem de 20 bilhões de metros cúbicos por ano, embora até agora a extração esteja ainda inferior a um bilhão de metros cúbicos. “Tecnologia para perfurar poços nós temos (como exemplo citou Petrobrás e DNOCS) o que está faltando é determinação política”.  Valadares ainda salientou o fato de que somente no semi-árido as reservas subterrâneas estão estimadas em 135 bilhões de metros cúbicos, “adormecidos em berço esplêndido, água não utilizada, água plenamente disponível”, enfatizou. E concluiu seu discurso dizendo que já passou da hora de uma política determinada, bem definida, bem forte em função de superar a escassez de água, mudar o destino do nordestino de ter que sofrer com a seca ou viver na escassez. “O sofrimento da seca é uma criação do homem, não da natureza”. 

 

“A polícia me parou. E agora?”

Por meio da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, o governo federal irá distribuir a partir do mês que vem 1 milhão de exemplares de um minifolheto com o seguinte título: “A polícia me parou. E agora?”. O objetivo, estampado abaixo do título e de um grande ponto de interrogação, é explicar “como se comportar e quais são os seus direitos diante de uma abordagem policial”. O público-alvo são os jovens, em especial os de periferias. Ao abrir o folheto, esse jovem terá, no lado esquerdo, algumas dicas sobre o que fazer durante a abordagem. Entre elas: “fique calmo e não corra” e “deixe suas mãos visíveis e não faça nenhum movimento brusco”. Do lado direito, vem a lista de “direitos” numa abordagem, como “saber a identificação do policial”, “ser preso apenas por ordem do juiz ou em flagrante” e “não ser algemado se não estiver sendo violento ou tentando fugir da abordagem”. Para Isabel Figueiredo, diretora nacional do Programa de Apoio Institucional às Ouvidorias de Polícia e Policiamento Comunitário, vinculado à Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência, o objetivo é esclarecer dúvidas da população. “Nada é contra a polícia, muito pelo contrário. É fruto de abuso [policial], mas, além disso, é fruto de dúvida mesmo. Às vezes as pessoas não conhecem as coisas básicas”, afirma. O panfleto será distribuído nos 14 Estados que já têm ouvidorias de polícia – do Sul (RS, PR e SC) e do Sudeste (SP, RJ, ES e MG), além de MT, GO, PE, RN, CE, PA e BA. (FSP). Novamente Sergipe ficou fora…

 

MPF/SE quer OAB prestando contas ao TCU

Foi protocolada na Justiça Federal uma ação civil pública contra a Ordem dos Advogado do Brasil, secção Sergipe (OAB/SE). O Ministério Público Federal em Sergipe (MPF/SE) pede que a entidade dos advogados – especialmente o conselho seccional e a Caixa de Assistência dos Advogados de Sergipe (Caase) – preste contas ao Tribunal de Contas da União (TCU). A ação se estende também à União.A procuradora regional da República Gicelma Santos Nascimento alega que a OAB, uma espécie de autarquia pública federal, não tem prestado contas sustentada numa decisão de 1951 do então Tribunal Federal de Recursos. “Esta decisão que beneficiava a OAB baseava-se na Constituição de 1946. Com o advento da Constituição de 1988, não restam dúvidas que entidade é obrigada a prestar contas ao TCU dos recursos públicos que recebe”, disse a procuradora.Além desta ação do MPF/SE, existem mais três outras ações semelhantes nos estados do Maranhão e da Bahia, e no Distrito Federal. Na Bahia, a Justiça Federal determinou que a OAB mantenha em bom estado toda documentação financeira e contábil da entidade nos últimos cinco anos. No Maranhão, a decisão judicial foi além: determinou a fiscalização dos técnicos do TCU nas contas da OAB nos últimos cinco anos, além de obrigar a ordem a realizar licitação pública para contratação de obras e serviços.

 

A ilusão do futebol I

Artigo de Maria Helena Braun no Jornal dos Sports publicado no último dia 20: Numa dessas tardes de preguiça e sem tarefas a cumprir, liguei a TV num canal de esportes e comecei a ver um programa cujo tema era a ilusão do mundo do futebol. Craques, ou promessas de craques que, ao se depararem com o sucesso meteórico, dinheiro, fama, mulheres, se deslumbraram e meteram os pés pelas mãos. Perderam a boa forma, ao cair na vida de noitadas e, rapidamente gastaram o bom dinheiro que já haviam acumulado e foram esquecidos pela mídia. Um programa interessantíssimo, que aborda realmente uma realidade. Enquanto via o programa, me lembrei de uma reportagem que fiz na época em que era repórter da revista Placar, fim da década de 70 início dos anos 80, e que não é exatamente o mesmo que retratava o programa, mas tinha um final parecido, fosse ele promessa, craque ou gênio. Cheguei à redação e a minha pauta era simplesmente achar o Garrincha. Por onde andava Mané. Não era bem uma tarefa, era um desafio. Procura daqui, checa dali, telefona para um, consulta outro. Quem saberia do paradeiro do homem que nos deu duas Copas?

 

 

A ilusão do futebol II

Depois de longa peregrinação, consegui a informação. Garrincha ganhava um trocado distribuindo panfletos na Rua Sete de Setembro, no Centro. Custei a acreditar, mas fui checar, levando na mão o endereço. Nervosa com a possibilidade de encontrá-lo, fui caminhando lentamente, olhando para os lados, prestando atenção na fisionomia das pessoas que distribuíam panfletos. Quando já estava quase certa de que a informação era furada, vi um homem sentado no batente de uma farmácia, com um bolo de papel nas mãos. Gelei!  Seria ele mesmo? Fui me aproximando, na companhia do fotógrafo. O homem tinha aparência maltratada, olhar triste, muitas rugas. Antes que eu me aproximasse, deu alguns passos para entregar um dos papeizinhos a quem passava e eu não tive dúvida: as pernas tortas,o andar inconfundível me deram a certeza. Estava eu diante de um dos maiores ídolos do futebol brasileiro. Meu coração disparou, mas tive frieza para me apresentar, apertar a mão dele e dizer que estava ali para uma entrevista. Convidei o gênio para um café no boteco da esquina e lá conversamos demoradamente. Ao relembrar esse inesquecível episódio, enquanto via TV,  nunca tive tanta certeza de que o futebol é real para poucos e uma ilusão para milhares de jogadores, até para os gênios.

 

 

Recadastramento do Mais Aracaju Escolar

Os estudantes que utilizam o sistema de transporte coletivo em Aracaju devem ficar atentos: este domingo, dia 31 deste mês, é o último dia para efetuar o recadastramento dos cartões Mais Aracaju Escolar adquiridos no ano passado. Após a data, os cartões eletrônicos que não tiverem sido recadastrados não poderão mais ser utilizados.  Pensando em facilitar cada vez mais esse processo de atualização de dados, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – SETRANSP – está disponibilizando o recadastramento on-line. Através do site www.maisaracaju.com.br/servicos, os estudantes podem baixar o formulário e preenchê-lo com maior comodidade. Depois, basta procurar um dos postos de atendimento do SETRANSP e entregar o documento. Quem não dispõe de acesso à internet, pode se dirigir diretamente a um dos Postos SETRANSP. Há dez opções de endereços.

 

Frase do Dia

“Os que não podem suportar a fumaça nunca alcançarão o fogo”. Provérbio Woaadabe  – África.

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários