Déda, Maria e Itabaiana

0

Definitivamente o governador Marcelo Déda (PT), vai suar a camisa literalmente no município de Itabaiana. Ontem, 30, ao participar da convenção municipal que homologou o nome de Maria Mendonça (PSB), como candidata à reeleição Déda foi claro: “Se ela não perdeu a eleição sem Déda no governo, vocês acham que ele perderá agora com Dedinha e Lulinha?”

 

Déda lembrou que Itabaiana é uma terra exemplar em Sergipe, que forma excelentes advogados, comerciantes, empresários e que tem um povo com as mãos calejadas do trabalho e que não sabe dá marcha ré: “Não é possível que na hora que Dedinha chegou ao governo colocou a primeira marcha numa ladeira alta e, agora, depois de muito esforço, está conseguindo descer a ladeira, com as graças Santo Antônio, onde faremos grandes realizações nos próximos dois anos vão cometer a burrice do retrocesso político” alertou.

 

Quando fala em retrocesso Déda se refere ao volume de ações nos últimos três anos em Itabaiana, com a implantação de um Campis da UFS, construção de 771 casas; reforma de 35 das 56 escolas; construção de praças de lazer; uma unidade descentralizada do CEFET (cujas obras começam em agosto e as aulas em março de 2009); Centro de Hemodiálise; matadouro regional (obra iniciada); aterro sanitário (liberação de R$ 18 milhões pelo Governo Federal); a construção de Clínicas da Família; uma Escola-Creche; Pavimentação e drenagem de dezenas de quilômetros de ruas e avenidas; Melhoria de estradas vicinais após a aquisição de uma patrol. Registram-se ainda ações como: a construção da fábrica de doce de batata; Reequipamento da Fábrica de beneficiamento de castanha de caju (Pelo Pronese); Projetos culturais como o reequipamento da Orquestra Sinfônica e outros projetos contemplados com emendas parlamentares.

 

Marcelo Déda cobrou de Maria Mendonça que não chame ele apenas para os comícios grandes, mas para todos. “Se fizer quatro comícios grandes nos bairros e povoados pode me chamar. Visite casa por casa, se tiver uma casa com o número 15 (Luciano Bispo), visite, entre, porque ela pode virar 40. É, pelo jeito Déda  colocou Itabaiana entre os municípios que terá sua presença constante até o dia 5 de outubro.

 

Candidatos em Aracaju

Chapas fechadas em Aracaju: Mendonça Prado e Pedrinho Valadares, ambos do DEM; Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Silvio Santos (PT); Almeida Lima (PMDB) e José Alves Dantas (PTdoB); professor Anderson e Adriano Cruz, ambos do PCB e a sindicalista Vera Lúcia do PSTU cujo vice será indicado pelo PSOL.

 

Processo histórico em Aracaju

Já no final da tarde em Aracaju, Déda participou da convenção que homologou os nomes de Edvaldo e Silvio Santos e fez um elogio ao desprendimento e à compreensão do processo histórico demonstrado pelos militantes do PT, que elegeram Edvaldo o nome de consenso para reunir as forças progressistas. “Estamos aqui para oficializar o resultado dos debates e discussões realizadas pelo partido, e em defesa de um projeto político que construímos juntos e se tornou juma referência nacional, elevando Aracaju à posição de capital brasileira da qualidade de vida”, sentenciou Déda. “A partir de agora, a militância vai às ruas com a estrela no peito e a bandeira na mão, aliada ao povo de Aracaju, defendendo a participação popular, a inversão de prioridades e o combate às desiguldades. Essas são nossas bandeiras de sempre para travar a batalha cívica em defesa da Aracaju de todos”, anunciou Déda.

 

Problemas com o PSDB

Lideranças do PSDB não gostaram do que viram ontem no CIC, durante a convenção que homologou o nome de Edvaldo. Tinham umas placas nas laterais bem assim: Ulices é Edvaldo; Jackson é Edvaldo; Fulano de tal é Edvaldo, mas nada de Albano é Edvaldo ou Fabiano é Edvaldo. O tucano Albano foi avisado e ficou uma arara.

 

Lagarto: “Os de lá me deixaram”

Ao discursar ontem, 30, em Lagarto, apoiando a candidatura de Walmir Monteiro, Déda lembrou que “estou aqui porque os de lá (Reis) me deixaram. Não deixem ninguém, me abandonaram na estrada e buscaram suas conveniências”, disse, pedindo que a campanha seja propositiva, baseada em idéias, na auto-estima e sem baixarias.

 

Luiza confirma candidatura em Lagarto

Em Lagarto os Ribeiros vão estar divididos. Enquanto Cabo Zé tem o filho, Junior Ribeiro como vice de Walmir Monteiro, a sobrinha Luiza Ribeiro – filha do ex-deputado Riberinho – confirmou ontem a candidatura e disse que é uma mulher de palavra, não se rende a cargos e nenhuma barganha. Já anunciou o vice: Pezão, conhecida liderança do povoado Brasília, que tem a mulher, Marlene, como vereadora. O candidato do prefeito é Lila Fraga que tem como vice, Manoel da Lagartense.

 

Fim do impasse em Dores

Em Dores, depois de várias reuniões foi fechada a chapa encabeçada por Dr. Gilberto, do PT, tendo como vice, Aldon, do PSB. Eles disputam com José Américo ex-prefeito do PMDB.

 

Talento de Déda

Em Estância, ao participar dos festejos juninos na semana passada, o governador Marcelo Déda (PT) mostrou o talento para cantar, prestrando uma homenagem a Luiz Gonzaga. Ao lado de um trio Pé de Serra cantou por 10 minutos músicas como Xote das Meninas (ela só quer, só pensa em namorar),Asa Branca e Mandacaru. O vídeo foi parar no You Tube.

 

Sobre a saída de Batalha da disputa

No DEM existe uma insatisfação por parte de alguns candidatos porque Carlos Batalha desistiu da candidatura em Aracaju, pois pensavam que ele seria um “puxador de votos”. Ontem, um leitor lembrou que na semana passada Batalha colocou durante 50 minutos o ex-governador João Alves para ser entrevistado deixando na sala de espera vários convidados. Depois da campanha eleitoral de 2006, alguns políticos se recusam a passar pelo programa, entre eles o governador Marcelo Déda e o prefeito Edvaldo Nogueira. Qual será o motivo?

 

Candidatos em General Maynard

Em General Maynard os candidatos são: Dr Evangelista, do PSB, contando com uma coligação com o PT, o PMDB, o PPS, o PSC e o PV. Já o atual prefeito, Gilson da Bolandeira, lançou Miraldo, do PRB, que tem a coligação formada pelo DEM, PSDB e PDT.

 

Disputa acirrada em Canindé

Mesmo com o apoio do grupo de Heleno Silva e do PT, o atual prefeito de Canindé, Orlando Andrade, vai ter que trabalhar muito pela reeleição. A chapa de oposição é forte, tendo como candidata Rosa Maria e vice Paulo de Deus.

 

Japaratuba

Em Japaratuba o candidato a vice-prefeito de Helio Sobral – candidato do PMDB – é o professor Luciano do PT. Eles enfrentarão a candidata Lara Moura, do PSC.

 

Estância

Em Estância o candidato a prefeito Filaldelfo Alexandre, do PMDB, terá como vice o professor Dudu, do PT. Lá o prefeito Ivan Leite, do PSDB, tenta à reeleição. Com a chegada da plataforma Piranema no município, Estância virou o desejo de muitos.

 

Pergunta para Aélio Argolo

O amigo jornalista Aélio Argolo, do PSC, não é candidato a prefeito em Socorro e apoiará o candidato de José Franco. Em 2004, após o pleito municipal, Aélio ingressou com um processo contra José Franco por abuso do poder econômico. E agora, quem mudou?

 

César Mandarino é candidato

Como este blog vem anunciando há várias semanas Victor Mandarino não é candidato em Itaporanga. O deputado César Mandarino é o candidato para tentar derrotar a atual prefeita, Gracinha. Com as candidaturas dos deputados Cesar e Walmir Monteiro (Lagarto), ficam na berlinda (em caso de vitória dos dois), os suplentes, Gorete Reis e pastor Antônio dos Santos (que é candidato a vereador pelo PSC em Aracaju).

 

Moura sem candidato em Pirambu

Até o fechamento desta edição estava certo que o grupo dos Mouras teria desistido de lançar Helinho, como candidato a prefeito em Pirambu. Estavam certas as candidaturas de Zé Nilton, pelo PMDB, tendo como vice, Dr. Marcos, do PSB. O outro candidato é Vado de Gago, pelo PT, tendo como vice, o jornalista Claudemir, do PV.

 

Candidatos em Santo Amaro das Brotas

O DEM sai com o atual Prefeito Ivaldo Costa candidato a reeleição, tendo como vice o Dadau. O Chileno será seu adversário tendo como vice o ex-prefeito João Marinho, apoiados pela Aparecida do PDT e Eng. Bosco do PT, e todos que fazem parte do PT, PRB, PDT, PPS, PP, PMDB, PSDB e PV. A convenção, realizada no domingo contou com a presença de mais de 500 pessoas, entre elas o secretário Rogério Carvalho, Severino Bispo, Jorge Alberto, Pastor Mardoqueu. Na proporcional o PT sai com o PRB, o PV com o PDT e o PPS com o PMDB, PSDB e PP.

 

Absurdo do BB

A desconsideração do Banco do Brasil com os usuários da sua Agência São José é uma agressão sem a mínima justificativa. Há exatamente seis meses (isso mesmo, seis meses) que aquela agência simplesmente começou a reformar (?) a calçada em frente ao prédio onde funciona e o serviço continua inacabado. Daria tempo para construir uma nova agência, mas, parece que o “Banco que é de todos nós” faz questão de demonstrar o quanto a burocracia gera incompetência e desconsideração. As pessoas idosas que buscam atendimento naquela agência do Banco do Brasil, a par de não ter condições de acesso compatível com o “Estatuto do Idoso”, no seu interior reserva um único caixa para atender “gestantes, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção”…mas, como se isso não bastasse os “velhinhos, as gestantes e os aleijados” têm de entrar na fila, de pé. Sim, porque para essa turma não tem ficha seqüencial, nem assentos.

 

Nota de Esclarecimento da SEED

A Secretaria de Estado da Educação reafirma o seu compromisso em manter o pagamento da Progressão Vertical a todos os professores que tiverem direito, não procedendo qualquer informação contrária. O secretário de Estado da Educação, professor José Fernandes de Lima, esclarece que, de janeiro a junho, já foram pagos os benefícios a mais de dois mil docentes da rede estadual e 282 processos já estão analisados e serão encaminhados para pagamento neste mês de julho.

 

Ministro da Cultura em Aracaju

Nesta terça-feira, 01, o ministro da Cultura interino, Juca Ferreira, e o governador de Sergipe, Marcelo Déda Chagas, firmam acordo de cooperação para a implementação do Programa Mais Cultura no Estado. A solenidade de assinatura será realizada às 14h, no auditório do Palácio Governador Augusto Franco, em Aracaju (Avenida Adélia Franco, nº 3305, Grajeru). Em seguida, haverá entrevista coletiva à imprensa. Lançado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em outubro do ano passado, o Mais Cultura vai proporcionar aporte de recursos de cerca de R$ 4,7 bilhões na Cultura brasileira nos próximos três anos. O Programa é uma das estratégias do MinC para ampliar o apoio e os investimentos do Governo Federal em todas as regiões brasileiras. A iniciativa prevê a criação e modernização de centenas de bibliotecas, a implementação de 20 mil Pontos de Cultura, a criação de linhas de financiamento para micro e pequenas empresas do setor cultural, além de operações de microcrédito e ações para a ampliação do acesso da população aos bens e serviços culturais.

 

Reforma da mureta da Avenida Rio Branco

A Emurb está reformando a mureta da Avenida Rio Branco (rua da frente). O problema é que constantemente são roubados os tubos galvanizados (alguns são de fibra de carbono) da mureta. Um absurdo. Até as luminárias são roubadas, os vândalos não deixam nada.

 

Blog não está censurado na Deso

Da assessoria de comunicação empresarial da Deso: “A Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) esclarece que em hipótese alguma existe censura ou qualquer tipo de conduta repressiva partida da direção da empresa. Mais além: em momento algum desde que a direção foi empossada, em janeiro de 2007, houve este tipo de determinação, muito embora algumas pessoas insistam em faltar com a verdade ao levantar tal acusação. Lamentamos que existam pessoas mau intencionadas, sem compromisso com a verdade, absolutamente desinformadas e preocupadas em criar falsas afirmações, prestando, desta forma, um absoluto desserviço com polêmicas que em nada contribuem para a sociedade. Desta forma, esta empresa se coloca, como sempre se colocou, aberta ao nobre jornalista para que compare as informações e independente de contato com qualquer diretor constate a inverdade que foi colocada irresponsavelmente por essas pessoas”.

 

Sobre os furtos de equipamentos da Deso

Ainda da assessoria de comunicação empresarial: “Sobre os atos de vandalismo com furtos de equipamentos, a Deso tem mantido contatos com a SSP não apenas ao registrar a ocorrência, mas passando informações que ajudem a polícia a prender os criminosos. Por sua vez, a Deso tenta dificultar os furtos com ações preventivas, porém, em alguns locais não há possibilidade de evitar tais incidências por serem pontos afastados da zona urbana, até em local de difícil acesso. Como foi divulgado junto à imprensa na última sexta-feira, no município da Barra dos Coqueiros estaremos reduzindo drasticamente este tipo de ação por conta da entrada em operação de uma nova adutora que foi implantada para substituir alguns poços mais vulneráveis à ação de criminosos. Da parte da Deso, ações que possam evitar ou mesmo reduzir os furtos de equipamentos estão sempre sendo estudadas, assim como um trabalho paralelo junto à SSP para coibir tal prática”.

 

Sobre a política salarial da Deso

Do leitor, M. Barbosa:O Jornal Cinform desta semana traz matéria sobre apadrinhamento na contratação para emprego temporário e uso do Hemolacen para fins eleitoreiros. Na Deso pode não ser muito diferente, lá continua a contratação de funcionários por firmas e por prefeituras, deixando vários aprovados no concurso na rua da amargura. Antes, no governo passado o sindicato denunciava essas contrações como irregulares. Um TAC foi firmado pela Deso no Ministério Público do Trabalho para se regularizar sob pena de multa. Hoje tudo continua como antes e  ninguém fala mais disso. É como tivesse deixado de ser irregular. A tabela salarial da Deso, do ano passado para cá, enfrenta um achatamento que chega a quase 10%. A direção da Deso rasgou o Plano de Cargos e Salários que prevê o interstício de 5% entre um nível e outro. Esses mesmo diretores que num passado bem recente lutou, participou de paralisações pela correção da tabela salarial e conseguiram, são os mesmo que agora negam. O Sindicato pra não dizer que não fez nada simplesmente entrou na justiça e se aquietou.  Até parece que o sindicato vendeu o carro de som”.

 

Cotinguiba campeão de campeonato na Bahia

O time de futebol infantil Sub-15 do Cotinguiba de Aracaju, sagrou-se campeão da 11ª Copa Sul Bahia, realizada em Camamu. O time, dirigido pelo técnico Gilson Morais tem como destaque o volante Bruno, de 14 anos.

 

Organização do concurso de quadrilha da rede Globo

De um leitor: No sábado, dia 28, fui prestigiar o espetáculo apresentado no concurso de quadrilhas juninas do Nordeste, que foi mesmo coisa de cinema. Os dez grupos representando todos os estados nordestinos deram um show de cultura, beleza e alegria. O problema mesmo foi a organização do evento, feita pela Rede Globo Nordeste, de Recife, em parceria com a TV Sergipe. Na verdade, esses organizadores subestimaram o evento e montaram uma arena armengada para quatro mil pessoas na orla da Atalaia, só que com duas mil pessoas acomodadas na área interna, o espaço já estava entupido de gente. Um erro de cálculo que provocou transtorno para muita gente. E o que se sabe é que a maioria das pessoas ficou do lado de fora acompanhando as apresentações através de telão. Lá dentro, era um inferno só, pois muita gente teve que chegar ao local às 14 horas para garantir lugar. Detalhe: a disputa começou por volta das 18 horas, terminando mais de 2h da manhã. No fim, ganhou a quadrilha Zé Testinha (Ceará). As sergipanas Pioneiros da Roça e Unidos em Asa Branca conquistaram os quarto e quinto lugares, respectivamente”.

 

Crendices e simpatias

Permanece em cartaz até o dia 16 de julho a exposição coletiva “Crendices e Simpatias”, apresentando uma reflexão sobre as crenças nordestinas, sonhos e valores do período junino, através de linhas, formas, traços, cores e emoção dos artistas plásticos sergipanos. Estão expostas obras de Adauto Machado, Alan Adi, Ana Carolina, Beto Pezão, Camilo, Elias Santos, Fábio Sampaio, Hortência Barreto, João Valdênio, Joel Dantas, Liliu, Marcos Vieira, Marly, Raquel Lima, Zeus.A exposição, que conta com o patrocinada pela Petrobras e Governo do Estado de Sergipe, está exposta na Galeria Jenner Augusto (Espaço Cultural Semear Petrobras).

 

“Beber cair e levantar”   I

Do leitor Dinho Santana: Embora adepto da bebida aos finais de semana em mesas de bares e restaurantes; sou totalmente favorável a Lei 11.705, de 19 de junho de 2008, só que a exemplos de outros tantos assuntos… No Brasil de tantas “LEIS”, o senhor José Luiz Joveli, delegado de polícia em Americana(SP), mestrando em Direito pela Universidade Metodista de Piracicaba(UNIMEP), Breves considerações sobre a Lei nº 11.705/08. A questão da embriaguez ao volante e os testes de alcoolemia Texto extraído do Jus Navigandi

http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=11432

 

“Beber cair e levantar”   II

Extraindo parte do seu comentário de  27/06/2008 e introdução do e-mail recebido citando o senhor José Luiz Joveli: “O eleitorado, na maioria das vezes, reclama dos políticos, mas na hora de votar não tem o mínimo de preocupação em escolher um com o passado limpo e que tenha ética ao trabalhar com os recursos públicos. Como bem disse Carlos Britto: “Quando se cogita contratar alguém para a prestação de serviços particulares, todo o cuidado é pouco, mas quando se trata de investigar alguém em cargo público não se toma nenhum cuidado?” Ou como disse o presidente nacional da OAB, César Britto, “quem deve cuidar da coisa pública tem que ter um passado confiável”. Portanto, caro leitor e eleitor, pense bem antes de votar, para depois não reclamar do leite derramado…” Dirigir o País Embriagado Pode? Os senhores congressistas, e o Presidente também, têm motorista pra dirigir o carro, nosso por sinal, após uma festa.Mas os patrões deles não! Agora precisam criar uma lei proibindo a direção do Brasil sob efeito do álcool e outras drogas.Obrigado Congresso Nacional e Excelentíssimo Presidente da República por mais uma lei a favor da corrupção. Quero ver filho de Juiz, Desembargador, Político entre outros serem presos”.

 

“Beber cair e levantar   III

Já foi questionado em sua coluna que: “O que sente os advogados que nunca foram envolvidos em escândalos?”. Como bem dito nosso querido sergipano e presidente da OAB nacional Cezar Britto: “Quando se cogita contratar alguém para a prestação de serviços particulares, todo o cuidado é pouco, mas quando se trata de investigar alguém em cargo público não se toma nenhum cuidado?”. Sendo assim é que faço minhas as palavras do professor Bruno do dia 28/06/2008: Ética, pão e circo Do professor Bruno: “Não podemos ignorar as dificuldades pelas quais passamos neste país, sendo que o resultado é uma gama de fatores históricos ainda não resolvidos. Todos praticamos alguma forma de corrupção, a política já é discutida do ponto de vista da desonestidade com afirmações do tipo: Ele tem dinheiro! Ele ganha! É assim que vivemos, acreditando que todo mundo pode ser comprado, todos tem um preço. Deus! Somo ainda uma sociedade sem ética política formada, onde o boa parte do povo ainda vota no “Doutor”. As eleições que se aproximam mostraram o que o nosso povo sempre faz, como exemplo são as mudanças que aconteceram na eleição passada. Muda-se o governo majoritário, mas as candidaturas proporcionais foram mantidas no poder, mostrando grande contradição histórico política. Não acredito sinceramente que agora será diferente, pois, o nosso povo não tem a capacidade de se indignar com o absurdo da violência e corrupção no nosso estado, imagina no país! O que precisamos é de uma revolução cultural que mude as idéias do nosso povo, que o faça pensar. Caso contrário, nós os tidos “pensantes” ficaremos a mercê do povo que parece adorar pão e circo”. Que assim como defende o agora sergipano e presidente do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, Carlos Ayres Brytto, a exposição dos políticos com Ficha Suja, faça o mesmo a OAB nacional com os advogados que se utilizam da Lei ludibriando o incauto povo que acredita nos ditos doutores defensores da Lei sem ÉTICA. Vamos passar o país a limpo sem o imbróglio de quem defende quem$$$

 

Concerto cívico

Neste próximo dia 3 de julho, em comemoração à emancipação política do estado de Sergipe, a Orquestra Sinfônica de Sergipe realizará concerto de gala, com a regência do diretor artístico Maestro Guilherme Mannis e solos do jovem pianista paulista Cristian Budu. Marcando o começo das apresentações de julho da Temporada 2008 no Teatro Tobias Barreto, que abrangerão ainda a vinda de dois grandes regentes convidados, a apresentação terá início às 20h30, a preços populares.Em relação às peças cívicas, além do Hino Nacional Brasileiro, será apresentada a nova e oficial orquestração do Hino de Sergipe, cuja melodia foi composta em 1836 por José Pacífico Salles, mais conhecido como Frei José de Santa Cecília (1809-1859). Natural de São Cristóvão, o sacerdote utilizou para a composição do hino, como era de praxe entre os compositores da época, trechos específicos da Abertura da Ópera “A italiana em Argel”, de Gioacchino Rossini (1792-1868). A utilização de trechos de peças conhecidas para peças cívicas poderia fazer com que o público gravasse melhor as melodias, e, conseqüentemente, absorvesse rapidamente a música do hino.

 

Situação em Ribeirópolis

De um leitor: “A situação de Ribeirópolis não está definida ainda, hoje, 30, vai ter uma manifestação do povo em frente a porta da prefeita Uita Barreto, a população está revoltada com  a forma que foi feita a escolha do vice. O secretário Bosco Costa indicou o nome da esposa Vanda, o que não foi aceito por alguns presentes na reunião , então foi proposto uma votação entre os mesmos, para escolher entre Vanda e Dr. Elias, o nome de Miguel sequer foi citado pelo secretário. Na votação, Dr. Elias obteve 14 votos contra 6 de Vanda. Quando a população já comemorava a escolha, o secretário Bosco Costa informou a prefeita Uita Barreto que não aceitava esse resultado e então contra a vontade da maioria das pessoas, o nome de Miguel da loja foi imposto de última hora, o que revoltou os que estavam presentes na convenção. Dessa forma, a população espera uma definição até sexta-feira”.

 

PT, PDT e PSDB  juntos,  uma vergonha!

Do leitor Anselmo Bittencourt: “Já se passaram quase 19 meses de Governo e mudanças profundas prometidas na campanha eleitoral ainda não foram implementadas, infelizmente! As crises aparecem e seu governo continua “alheio” aos grandes problemas de Sergipe; tudo pela GOVERNABILIDADE ! Entendo que essa governabilidade se adquire com competência, ética, transparência política e acima de tudo, respeito aos cidadão Sergipanos!!! Não consigo engolir porque tantos fatos negativos aconteceram na gestão anterior e continuam respingando na sua gestão, sem que decisões firmes e corretivas sejam adotadas e os responsáveis punidos. Nós cidadãos Sergipanos temos o direito de saber como vossa Excelência recebeu o Governo e o que está sendo feito para corrigir os desmandos administrativos cometidos, pois o que estamos vendo são ações pouco eficazes e até um tanto estranhas! E, vergonhosamente, o governador e o Sr. Prefeito fecham acordo com duas personalidades ilustres de Sergipe, parceiros antigos e corretos politicamente, que por interesses outros, resolveram tomar rumos distintos e que agora, sem um habitat natural para repousarem, resolvem aconchegar-se de mansinho em seus ninhos de outrora; quanta hipocrisia!!!!”

 

Vocês deram um  tapa na cara dos seus eleitores……

De um leitor de Itaporanga: “No domingo foi concretizada e respaldada em Convenção,a chapa da pré-candidatura a reeleição desta terra de Maria das Graças, apelidada carinhosamente de Gracinha (PSDB), que terá como vice o ex-prefeito Antônio Silveira (PSDC). Onde ficou certo também duas chapas de coligações proporcionais, a 1ª reúne o PSDB, PRP, PMDB e PSDC com um total de 18 candidatos a vereador. A 2ª reúne o PCdoB, PSB, PV, PTN, PPS e PP totalizando também 18 candidatos. E para enfrentá-la, a oposição em uma “entrevista” extensa de mais de duas horas na rádio local, anunciou a substituição do pré-candidato Vitor Mandarino (PSC) pelo irmão, o atual dep. estadual César Mandarino, também PSC. Que tem em sua vice a Célia Sobral, conhecida como Celinha (PRB). A substituição de Vitor por César não altera muito a disputa, afinal é outro lado de uma mesma moeda, mas deixa uma questão muito inquietante aos eleitores: Por que um candidato que em recente pesquisa encomenda dizia-se ter 57% das intenções de voto foi substituído antes mesmo de começar o pleito? Com a palavra a Oposição e seus pré-candidatos”.

 

CONTINUAÇÃO DO DEBATE SOBRE SISTEMA DE COTAS

 

Absurdo: sistema de cotas I

Do leitor Rocha: Se existe um absurdo inaceitável, se é que existe algum absurdo aceitável, chama-se cotas para as universidades. Quem as defende, não tem a competência suficiente para enfrentar um vestibular e, principalmente, concluir o curso. Pode até entrar na universidade, mas por falta de base, nunca concluirá o curso e ficará sempre ocupando uma vaga e gastando dinheiro público. Primeiro deve-se levar em consideração que no Brasil não existe raça. Ninguém neste país pode se considerar branco ou preto legítimo. Nós somos a mais democrática mistura de raça do mundo e isto é a maior de todas as nossas qualidades. É evidente que existe uma ou outra piada, de mau gosto, sobre racismo e, um ou outro imbecil que se proclama racista. Mas, a verdade mesmo é que não existe uma raça definida para o povo brasileiro. Quem defende as cotas utiliza a razão mais detestável e antiquada, que é a ladainha que o acesso à universidade pública é para os ricos e abastados. Faça uma pesquisa, séria, entre os alunos da universidade pública e você terá como resultado que a grande maioria, a infinita maioria mesmo, é oriunda da classe média baixa que luta a duras penas para manter o seu filho na universidade. E, sabe como: reduzindo o número de filhos, reduzindo gastos, sacrificando férias, lazer e até mesmo, alimentação, para custear os estudos dos seus filhos no ensino fundamental nos colégios privados, nos cursinhos, para torná-los competitivos para o vestibular. E, a este sacrifício, qual a recompensa que este governo demagogo nos dá? Restringe e dificulta o acesso dos nossos filhos, desvalorizando o nosso sacrifício e as nossas economias com a criação de cotas.

 

Absurdo: sistema de cotas II

Continua Rocha:Então, ao criar cotas, o governo está tirando da sua responsabilidade a melhoria do ensino fundamental, agindo demagogicamente, para apresentar estatísticas que o favorecem. Não tem como não fugir deste debate: no lugar de cotas o ensino fundamental público deve voltar a ter a mesma qualidade que tinha nos anos 60/70. Estudei no Atheneu Sergipense por onde passou, entre outros, na minha época, o atual governador do nosso estado. E, se bem lembro, não éramos ricos e nem abastados. Só este exemplo é o suficiente para demonstrar que é um absurdo o sistema de cotas. Alguém afirma, em uma pesquisa desconhecida, que os cotistas estão tendo desempenho melhor que os demais alunos. Se isto é verdade considero mais uma razão para não existir cotas. No entanto, para quem governa com estatísticas, considerando números e não resultados, o sistema de cotas é o ideal. Se assim deve prevalecer passaremos a adotar os seguintes sistemas de cotas: cota para Papa, (nunca tivemos um papa negro), cotas para vereadores, deputados, governadores, senadores e presidentes, para padres, para passageiros de ônibus, funcionários públicos, para concursos públicos, para taxistas, etc, etc, etc . Será que nunca seremos um país sério?”

 

Combate à pobreza

Do leitor James: “O leitor Cesar Henriques participou do debate e disse que “os negros estudam majoritariamente em escolas públicas sucateadas”. Mais adiante o mesmo leitor diz esperar mais justiça, mas a leitora Maria Eulina, que se identifica como negra, toca no ponto crucial da questão. Ora, se a escola pública está sucateada, é sinal de que não vai haver justiça social e a criação de cotas é um mero paliativo. E paliativos não resolvem o problema. Está se abrindo um precedente perigoso de distinguir cidadãos pela aparência física, o que é lamentável. Devemos combater é a concentração de renda e o sucateamento do ensino público.As ações afirmativas em relação a deficientes físicos e idosos não tem conteúdo racial. Se tivesse, também seria perigoso. O foco é o combate à pobreza e à falta de educação, sem distinção de raça”

 

Redução da desigualdade I

Do leitor Fernando Pires, estudante de jornalismo: “Como bem disse o leitor Odirley Batista Moreira, o debate sobre as cotas já ultrapassou muitos dos pontos que muitos relutam em discutir. Para entrarmos em termos práticos e não ficarmos apenas no âmbito filosófico e moral da discussão, a Universidade Federal de Sergipe (UFS) já está com um projeto para implantação das cotas sociais em tramitação nos conselhos universitários, que têm função semelhante à do poder legislativo. As cotas, a depender do prazo da tramitação, pode entrar em vigor já no próximo vestibular. O projeto que está em discussão na UFS segue muitos dos pontos do Projeto de Lei 73/99, que teve sua votação na Câmara Federal dos Deputados adiada no final de maio. As cotas sociais reservam 50% das vagas em todos os cursos no vestibular para alunos que estudaram todo o ensino médio e pelo menos quatros anos do ensino fundamental em escolas públicas. Desse percentual, 70% são para estudantes que se declarem negros, pardos ou indígenas. O projeto ainda prevê uma vaga para portadores de necessidades especiais. Vale lembrar que as vagas são divididas em todos os cursos e, portanto, cursos como Direito e Medicina, que têm mais de 90% de alunos oriundos de escolas particulares, também entrariam no sistema de cotas. A quantidade de vagas reservadas para as cotas também pode ser alterada, a depender da discussão e decisão nos conselhos universitários. E no caso de não haver candidatos suficientes que optaram por concorrer às vagas pelo sistema de cotas, as vagas voltam para a classificação geral”.

 

Redução da desigualdade II

Continua Pires: “Respondendo a pergunta de outro leitor, o projeto também prevê a criação de uma Comissão de Acompanhamento e Permanência, que tem a responsabilidade de acompanhar o desempenho dos alunos que entraram pelo sistema de cotas. Essa comissão fica encarregada de propor auxílio financeiro (com a disponibilização de bolsas de estudo), pedagógico (com a criação de grupos de estudo e avaliação do desempenho escolar dos estudantes) e psicológico. Após cinco anos de operação, o sistema é submetido a uma avaliação para verificação de sua eficácia e pode ter alguns pontos alterados para otimizar o seu funcionamento. As cotas sociais, portanto, não são nenhum instrumento de discriminação ou tampouco de resolução para os problemas que atingem o nosso sistema educacional. Elas visam apenas a redução a curto/médio prazo da desigualdade no acesso à universidade, sem o abandono de outras frentes de trabalho. Por outro lado, o sistema de cotas não fere a lógica do mérito. Penso, inclusive, que um estudante de escola pública que faz 12.000 pontos no vestibular tem o mesmo mérito que um de escola particular que faz 13.000, por exemplo, pois a diferença na pontuação pode ser um reflexo das diferentes condições de acesso ao ensino básico. As cotas apenas enxergam o mérito como uma condição coletiva, e não apenas individual. Embora possa mostrar algumas disparidades em sua execução, que poderão ser corrigidas ao longo do tempo, as cotas são uma tentativa de se mudar a nossa realidade, o que demonstra a preocupação de alguns setores na criação de políticas públicas que contemplem a sociedade como um todo, e não apenas privilegiem minorias.Agradeço desde já pelo espaço e o parabenizo pelo empenho em fazer dessa coluna um espaço privilegiado de discussão de assuntos relevantes”.

 

Cotas: política pública de reparação de danos I

Do leitor Florival Filho sobre o texto do leitor Narcizo Machado Filho: O Sistema de Cotas é um processo importante e complexo para a sociedade brasileira”. A começar o texto com a afirmação acima, o responsável pelo mesmo, parece que iria apresentar um sólido artigo sobre o tema “ações afirmativas”, tão caro à sociedade e Estado brasileiro, por terem sido executores e cúmplices de um crime contra a humanidade, no caso do Brasil, contra os africanos e indígenas, e perpetuado este crime sobre os seus descendentes (homens e mulheres negras e indígenas) até os dias atuais, e nesse sentido, o projeto criminoso da escravidão; usurpação de direitos; aviltamento de pessoas; chega ao seu quinto século de existência e permanência. Somos contra ao sistema de cotas, basicamente porque esse processo é discriminatório, ao ler o art.5º da Constituição Federal entendemos que todos são iguais”.  Vejamos agora, mais um frase-pérola do autor, que tem todo direito de ser contra as cotas, mas precisa entender um pouco mais sobre Direito; Reparação e Histórica… devido a  falta de conhecimento do Sr. Narcizo, precisamos dizer-lhe que: a origem das ações afirmativas é atribuída aos Estados Unidos nos anos de 1950 e 1960, em luta do movimento pelos direitos civis, ( mais uma vez os descendentes dos africanos em luta pois nos EUA, também tiveram seus ancestrais escravizados ) porém há autores que mencionam sua origem em 1948 na Índia para garantir aos dalits, ou intocaveis, o acesso ao emprego e às universidades. Este debate Sr. Narcizo, sobre ações afirmativas entra na pauta brasileira com o reconhecimento por parte do Governo Federal da existência de discriminação contra negros no Brasil, prometendo instituir modalidade específica de ação afirmativa (cotas) para propiciar maior acesso de negros, e indígenas ao ensino superior.  A prática de racismo é crime inafiançável (inciso XLII), o racismo é entendido como resultado de uma discriminação e desigualdade racial. O sistema de cotas é a própria pratica do racismo. Ao afirmar que racismo é  crime inafiançável, o senhor está certo, mas quanto às cotas,  não é um sistema mas uma forma de política pública afirmativa de reparação de direitos e tratamento desigual para com os desiguais, igualizando-os. Mas Sr. Narcizo, leia essa definição sobre ações afirmativas: “Ações afirmativas são um conjunto de políticas públicas e privadas de caráter compulsório, facultativo ou voluntário, concebidas com vistas ao combate à discriminação racial, de gênero, por deficiência física e de origem nacional, bem como para corrigir ou mitigar os efeitos presentes da discriminação praticada no passado, tendo como objetivo a concretização do ideal de efetiva igualdade de acesso a bens fundamentais como a educação e o emprego” (Reskin, ap. Heringer, 1999 ). Ou seja, é preciso promover uma transformação, observando os princípios da diversidade e do pluralismo, de tal sorte que opere uma transformação no comportamento e mentalidade coletiva, objetivando eliminar os efeitos persistentes (psicológicos, culturais e comportamentais ) da discriminação estrutural do passado que tende a se perpetuar e conformar barreiras artificiais e invisíveis que emperram o avanço dos negros, indígenas e mulheres, e tendem a subalternizá-los e são como se sabe, moldados pela tradição, costumes.

          

Cotas: política pública de reparação de danos II

Continua o debate: “Se não vejamos, os negros são pessoas normais como as outras, a única diferença e a cor”. Outra pérola do Sr. Narcizo, e eu lhe pergunto: se a única diferença, está na cor, antes de reafirmar, leia a citação desses sociólogos: Mais de 300 anos de escravismo resultaram na concentração dos brasileiros negros nas áreas mais atrasadas do país e sua restrição a um status de subordinado. Após a abolição final, o racismo, a discriminação e a segregação geográfica dos negros, bloquearam os principais canais de mobilidade social ascendente, perpetuando graves desigualdades raciais e a concentração de negros e pardos no extremo inferior da hierarquia social”. Hasenbalg, Carlos apud Cardoso, Fernando Henrique. “Se um deles ( negros ) passar no vestibular quem o impedirá de estudar na universidade? Ninguém os impedira de estudar, porque vivemos em um estado democrático de direito. Ele (o negro) tem escola pública como os brancos, se tiver dinheiro estudará nas mesmas condições dos brancos”. Mas veja o que diz um renomado professor da USP, o Professor Antonio Junqueira de Azevedo:  a Constituição dispõe que o ensino será ministrado com base no princípio da igualdade de condições para acesso e permanência na escola; no entanto, dando aula há 28 anos na Faculdade de Direito da USP, para, em média, 250 alunos por ano, e tendo tido aproximadamente 7.000 alunos, dou meu testemunho de que nem cinco eram negros!” (in Folha de São Paulo, p. 3, nov. 1996). “Há de se perguntar – Será que todos serão beneficiados?” A resposta para essa pergunta, pode ser feita à história de maus tratos, exclusão, preconceito e discriminação que o Estado brasileiro exerceu sobre a parcela negra da população e nesse sentido pergunto-lhe: Quando no Brasil, o negro(a) foram vistos como cidadãos, sem que antes a tez da pele fosse um item de primeira avaliação realizada pelos brancos, ou seja, quando o negro(a) é bom, tem no mínimo a “alma branca”. “Ora para fazer o vestibular é necessário ter no mínimo o nível médio, para passar no mesmo é preciso estar preparado, quantos negros concluem o nível médio, e deste quantos têm condições de passar no vestibular é uma reflexão importante a fazer”. Senhor Narcizo, faz cinco séculos que estamos preparados e construindo as históricas fortunas brancas deste país, sem recebermos nenhum tipo de indenização, no entanto, quando nos utilizamos de uma ferramenta democrática de luta como garantia dos nossos direitos, vêm os racistas afirmando que somos incapazes e que causaremos prejuízos letais às instituições de ensino e pesquisa do Brasil, gostaria de informar-lhe que um dos mais importantes geógrafos do mundo, foi o negro brasileiro, Milton Santos, que considerava o vestibular, apenas mais uma arma branca para excluir os negros(as) das universidades. Mas o senhor já deve ter ouvido falar da Lei do Boi, isto é:, a Lei 5.465/68. Art. 1º, que diz: “Os estabelecimentos de ensino médio agrícola e as escolas superiores de agricultura e veterinária, mantidos pela União, reservarão anualmente, de preferência, cinqüenta por cento de suas vagas a candidatos agricultores ou filhos destes, proprietários ou não de terras, que residam com suas famílias na zona rural, e trinta por cento a agricultores ou filhos destes, proprietários ou não de terras, que residam em cidades ou vilas que não possuam estabelecimentos de ensino médio”(Gomes,2002p.125). Isso foi cotas para os brancos.

 

Cotas: política pública de reparação de danos III

“Os negros precisam de dignidade, quer andar com as próprias pernas, conquistar seu próprio espaço, quer escolas, quer professores e qualidade como princípio de justiça social, em suma quer ser cidadão”. Aqui, faço-lhe outra pergunta: Como reagirá a elite branca brasileira quando os negros deixarem de ser apenas 3% de alunos(as) nas universidades públicas? Já que o ensino superior detém as maiores taxas de retorno (ascensão social) para o indivíduo como forma de ruptura do ciclo de pobreza que afeta os negros(as). Ou estar na universidade não é inclusão, não é cidadania, não é conquistar seu próprio espaço na sociedade? “O Governo precisa é investir na qualidade do ensino público, através de novas escolas, ampliação das existentes e recurso para que os professores possam desenvolver seu trabalho na sala de aula com qualidade e dignidade. Cobrar dos professores relapsos, mais responsabilidade com o ensino”. Neste parágrafo, vejo que o senhor não acompanha a transformação que o Governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem realizado na educação do país, lamento mais uma vez informá-lo que o Pro-Uni ( Programa Universidade para Todos ) já colocou nas universidades e faculdades brasileiras, mais de 300.000 jovens com bolsas de estudo parcial e integral; o Pro-Jovem, vem reduzindo positivamente o número de pessoas que não conseguiram em governos anteriores, concluir o ensino fundamental; isso tudo sem falarmos na ampliação dos Campos Universitários no Brasil, só em Sergipe, a UFS, foi estendida à Estância, Laranjeiras, Lagarto… e no teto salarial nacional para o professor, isso para o senhor, não é melhoria do ensino público? “Estamos na era das mudanças porque não pagar aos professos por hora aula, assim como é feito nas escolas particulares, talvez assim, o ensino público torne-se mais eficiente e não seja necessário aplicar o sistema de cotas, porque todos terão as mesmas condições de aprendizagem, com professores mais dedicados”. Sr. Narcizo, as Cotas, são apenas mais um  tipo das chamadas ações afirmativas, por exemplo, “passe escolar; vale-transporte; reserva de  determinado percentual de vagas para portadores de necessidades especiais em concursos públicos; reserva de 30% para as mulheres no parlamento…  portanto não precisa ficar com tanto receio desse tipo de política, pois ela é legal e legítima, posto que está amparada pelo bom senso humano e é uma forma legal de reparar dívidas para com grupos historicamente prejudicados por outros tipos de política, como a racista, que legou aos negros(as) institucionalmente, através do Estado, o abandono e desprezo no tocante à educação formal, saúde, trabalho…  problema que não será resolvido apenas com melhores salários, mas sim, com sensibilização e conscientização da sociedade, visto que é um problema de todos(as). “Temos no Brasil, vários autoridades negras, o que fizeram eles para chegar a onde chegaram, estudaram de uma forma ou de outra para atingir seus objetivos, se sofreram algum tipo de discriminação foi pela sua inteligência e não pela proibição de estudar”. Essa parte do texto já respondi com a citação acima, do professor Antonio Junqueira de Azevedo, retorne ao texto e veja como sua argumentação mais uma vez é incipiente. “O sistema de cotas é uma forma de preconceito, eles próprios se discriminam”. A política de  cotas, não é um preconceito, mas sim, uma forma de política pública de reparação dos danos historicamente causados pelo Estado, a grupos étnicos que foram aviltados ao longo dos séculos, negros, mulheres, indígenas, portadores de necessidades especiais. E mais uma vez, discordo do Senhor, vejo que és branco, quando diz: “eles próprios se discriminam”, ledo engano seu, pois nós negros(as) estamos irmanados nesta luta, com posições que optam pelas cotas raciais e outras pelas cotas sociais, mas com um argumento de que é preciso que o Estado efetive de uma forma ou de outra a política de cotas, e assim, repare sua dívida com estes grupos étnicos. “Isso só ajuda a eles ( os negros ) adentrar na universidade sem o menor esforço”.Nesse ponto, o Senhor demonstra que fala sem ler, sem conhecer a realidade dos dados atuais das universidade e faculdades que têm alunos cotistas e, como és do grupo étnico branco, não me assusta, esse seu argumento, visto que é o mesmo dos que se utilizam de tal falácia para desqualificar mais uma vez na história, a luta da população negra, feminista, indígena… tentando marcar-nos como incapazes, da mesma forma que faziam a “ferro e fogo” nas Casas Grandes.

 

Cotas: política pública de reparação de danos IV

“Esses alunos no futuro serão discriminados por serem profissionais incompetentes, a capacidade intelectual do ser humano não deve ser medida pela cor da pele, pela raça e sim pelo seu conhecimento, pelos o esforço que cada um deve ter para ingressar numa universidade.”. Senhor Narcizo, que neste período de festas juninas, São João, o perdoe por tantos absurdos, oriundos da vossa falta de conhecimento sobre o tema, mas quero dizer-te que os negros são discriminados no Brasil, desde o ventre, pois vivemos em uma sociedade racista, sexista, machista, homofóbica, lesbofóbica, etc… só por isso, dá para qualquer pessoa que tenha bom senso, ver e sentir que neste país, inferioridade/superioridade é medida sim, pelo critério raça/cor da pele, se esta for clara a pessoa está mais propensa a ter os espaços de poder, inserção no mercado de trabalho, inserção na mídia, nas universidades… com muito mais facilidade que aqueles(as) que têm a tez da pele mais escura, basta recorrer aos resultados das pesquisas da PNAD, Instituto Ethos, IBGE … e quanto ao esforço que o Senhor fala, digo-lhe que não houve maior esforço que o da população negra para construção deste país e da riqueza da burguesia branca, ( cafeicultora, mineradora, canavieira…) neste caso, basta o Senhor que tem nível acadêmico, retornar ao nível fundamental e relembrar um pouco da História do Brasil, mesmo a historiografia oficial, escondendo a verdade.   O sistema de cotas nos Estados Unidos, não ajudou a diminuir a prática do racismo, lá a guerra racial é mais aberta do que no Brasil. Portanto, o sistema de cotas que deveria e deve existir e o da condição social, forma mais fácil de mensurar. Senhor Narcizo, desculpe-me, mas abster-me-ei de comentar este último parágrafo visto que pouco ou nada sabe sobre a realidade das políticas de cotas no Brasil, como então afirma que nos Estados Unidos não aconteceu isso ou aquilo. Finalizo minha resposta ao seu texto, informado-lhe com esses dados: Em 1999, 57,4% dos adultos brancos (pessoas de 25 anos ou mais) não tinham completado o ensino fundamental contra 75,3% dos adultos afrodescendentes.Em 2001 as taxas de analfabetismo eram: 18% para os afrodescendentes e 8% para os brancos. No Nordeste a taxa era de 26% para os afrodescendentes e 19% para os brancos. No Sudeste onde encontram-se as maiores taxas de analfabetismo do Brasil, os afrodescendentes eram 11,5% e os brancos 5,4% (Shicasho,2002). Em 1999 dos jovens brancos de 15 a 21 anos , 41% não haviam completado a oitava série, no entanto esse índice é inexpressivo se comparado à realidade dos jovens afrodescendentes nessa faixa etária, 66,5%. Em 1999 dos jovens brancos de 18 a 23 anos, 63,1% não haviam completado o ensino secundário contra 84,4% dos jovens afrodescendentes. (Florival FilhoBel. em Sociologia/UFS; Licenciado em Sociologia/UFS; Especialista em Educação e Relações Étnico-Raciais/UESC-BA e Mestrando em Sociologia/UFS).

 

Frase do Dia

“Não há equívoco maior do que confundir homens inteligentes com sábios”. Francis Bacon.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais