Desmistificando os anúncios na web

0

Sua empresa está lançando um novo produto no mercado e lhe incumbiu da importante missão de levantar as opções de anúncio, para divulgar a novidade. Como você acompanha esta coluna, já sabe que o mundo tinha nada menos que 2,4 bilhões de internautas em maio deste ano, segundo a consultoria Kleiner Perkins Caulfield & Byers. De quebra, ainda esbarrou com a pesquisa WebShoppers, divulgada pela E-bit, e viu que os internautas estão realmente comprando via web. Só no Brasil, os e-commerces faturaram R$ 12,74 bilhões, no primeiro semestre de 2013, com um aumento de 24% em relação ao mesmo período do ano passado.

Diante destes e tantos outros indicadores favoráveis, você decide investir em publicidade online. Entra em contato com um veículo de credibilidade, pede informações sobre os números de acesso – para averiguar como andam as visitas efetivas ao site – e pergunta as opções de espaço publicitário disponíveis. É aí que começa a confusão.

Afinal de contas, que diabos significa dizer que um determinado anúncio tem um CPC ou um CPM de ‘x’ reais? E este bendito CTR, o que tem a ver com tudo isso? A partir de hoje – ou se você já fez uma rápida pesquisa no Google –, vamos acabar de uma vez por todas com estas dúvidas!

CPC significa custo por clique (também conhecido como PPC – pay per click –, no inglês). Isto quer dizer que, a cada vez que um internauta clicar no seu anúncio, você terá que pagar o valor estipulado para o CPC. Quem utiliza esta sistemática, por exemplo, é o próprio Google AdWords. Digamos que você gostaria que a landing page do seu novo produto fosse exibida entre os links patrocinados do Google, quando buscada uma determinada palavra ou expressão, cujo CPC é R$ 1. Sempre que alguém clicar no seu link, então, você pagará R$ 1. Já para relembrar o conceito de landing page, basta acessar o post Google como aliado nas vendas (parte 1).

O CPM, por sua vez, tem um viés diferente. O significado da sigla é custo por mil e ela estipula o valor a ser pago pelo anunciante, a cada 1 mil exibições do seu anúncio. Ou seja: a cada 1 mil vezes que o anúncio for exibido nas telas dos internautas, independente de eles terem visto e/ou clicado no mesmo ou não, a quantia do CPM deverá ser paga.

E o CTR, onde entra? Pois saiba que ele é dono de uma informação deveras importante para quem pretende anunciar com CPM. Afinal, é ele quem nos revela a média de cliques dados nos anúncios publicados em um determinado site, a cada 100 exibições. Justamente por isso o seu significado: Click Through Rate, que, no português, seria algo como “taxa de cliques”. O entendimento é simples: se um determinado veículo tem um CTR de 2%, significa que, a cada 100 impressões (exibições) de um anúncio, a média é de dois cliques no mesmo.

Vale lembrar, também, que alguns veículos trabalham com preços fixos para seus espaços publicitários, atrelados a um período de veiculação (Ex.: R$ 10 mil para um banner ser exibido durante um mês). Escolha aquele que melhor se adequa à estratégia da sua empresa e bons negócios virtuais!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais