ENERGÉTICOS PODEM PROVOCAR ARRITMIA

0

As mortes de cinco pessoas que consumiram o energético Monster Energy estão sendo investigadas pela agência que regula alimentos e remédios nos Estados Unidos. Entre os incidentes está o de uma menina de 14 anos, que morreu de arritmia cardíaca depois de tomar latas grandes do energético. No Brasil, a morte inesperada do irmão do funkeiro MC Gui, Gustavo Castanheira, de 17 anos, chamou a atenção de todos. O rapaz passou mal após um churrasco com os amigos e já chegou morto ao hospital. Inicialmente, a imprensa divulgou que a causa da morte teria sido infarto fulminante. O pai do jovem afirmou que Gustavo Castanheira ingeriu muito energético antes de passar mal. O laudo médico divulgado pelo IML apontou arritmia cardíaca seguida por uma parada cardiorrespiratória como causa da morte de Gustavo.

O tema “uso de energético” precisa ser debatido, pois muitos jovens não sabem que o excesso pode causar arritmia cardíaca. Uns jovens dizem que “é bobagem falar do assunto, já que muita gente usa e nunca viu ninguém morrer”. Agora, os casos de óbitos, possivelmente ligados aos energéticos, começam a surgir.

Uma arritmia é um distúrbio do batimento ou ritmo cardíaco, como batimento muito rápido (taquicardia), muito lento (bradicardia) ou irregular. Quem regula essa atividade cardíaca, reduzindo-a ou acelerando-a de acordo com a demanda, é o sistema nervoso autônomo, que age sobre o sistema elétrico interno do coração, comandado pelo nó sinusal, que consiste em um grupo celular capaz de gerar estímulo elétrico. As arritmias se manifestam quando ocorre algum problema na geração ou na condução desse estímulo elétrico, desorganizando a atividade do coração e, algumas vezes, provocando verdadeiros curtos-circuitos. O distúrbio pode provocar desmaios seguidos de rápida recuperação, que decorrem da redução do fluxo sanguíneo no cérebro ou provocar sensação de palpitação. Em casos mais graves, a arritmia chega a se manifestar com confusão mental, fraqueza, queda de pressão arterial, falta de ar e dor no peito ou mesmo com parada cardíaca.  Uma das causas de arritmia é o uso abusivo de algumas substâncias ou drogas, como por exemplo, as anfetaminas, a cafeína e cocaína.
As bebidas energéticas apresentam, além dos carboidratos, taurina (aminoácido) e vitaminas, a cafeína.  A cafeína é uma substância que estimula o sistema nervoso central e aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial. Além de ser uma droga que pode provocar dependência, o excesso, pode causar agitação, ansiedade, dor de cabeça, insônia. O abuso na quantidade ingerida e a existência de alguma doença cardíaca prévia podem ter como consequência a morte súbita.

Muitos jovens associam os energéticos com as bebidas alcoólicas, com o objetivo de disfarçar o gosto do álcool (principalmente no caso de destilados), além de esticar a balada. Por ser estimulante, o energético carrega o mito de anular os efeitos depressivos do álcool. A associação do álcool com energéticos pode estimular o alcoolismo, dando mais disposição para beber (a pessoa fica mais tempo em uma balada ou bar bebendo, por exemplo) e tornar o indivíduo mais suscetível aos problemas relativos ao consumo de álcool.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários