Intoxicações por metais: as diversas formas de evitá-las

0

O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. (Fernando Pessoa)

Existem muitos inimigos à boa saúde rondando silenciosamente e soturnamente à nossa volta, um deles é quando em vez de carência, temos excessos de metais no organismo.

Infelizmente, não nos alertamos para o fato de que o ar e as águas das grandes cidades estão contaminadas com resíduos industriais poluentes e tóxicos., e  que os vegetais e legumes que chegam a nossa mesa podem conter metais pesados presentes nos agrotóxicos (arsênio e mercúrio), além do que as carnes, de um modo geral, também não escapam dos pesticidas com que as pastagens são tratadas, assim como os peixes, da contaminação do mar.

Os metais tóxicos também estão largamente incorporados aos hábitos mais corriqueiros, como o uso das panelas de alumínio, medicamentos, embalagens de cremes e pomadas, próteses dentárias e inúmeras outras vias de contaminação.

Atualmente, muitos dos sintomas que chegam aos consultórios, como alguns tipos de alergias, insônia, gastrite, constipação intestinal, estresse, agitação extrema da criança, podem estar relacionadas a uma intoxicação metálica.

Um dos grandes vilões dessa história é o alumínio, metal abundante e, depois do aço, o mais largamente usado no mundo, considerado altamente tóxico, sua presença em níveis excessivos no organismo está associada ao Mal de Alzheimer.

Mas, de uma maneira em geral todos os metais, têm uma característica comum: são altamente reativos e responsáveis pela formação de radicais livres no organismo.

No entretanto o que devemos salientar é que a atuação dos radicais livres sobre lipídios, carboidratos, proteínas e ácidos nucléicos, desencadeia  um fenômeno chamado estresse oxidativo ,que leva a modificações da função e estrutura celular, que, por sua vez, conduzem a morte celular.

Da atuação desses radicais sobre os ácidos nucléicos decorrem modificações estruturais da molécula do DNA, implicando mutações genéticas; provocando quebras nas cadeias dos carboidratos, que resultam em alterações importantes no metabolismo energético celular e que  podem estimular a uma divisão celular descontrolada (câncer); causando o que chamamos de  peroxidação protéica, com perda ou

alteração da atividade enzimática; podendo também associar-se a ocorrência da peroxidação lipídica, responsável pelar alterações na membrana celular e consequentemente pela transformação do colesterol.

É extremamente importante frisar que a intoxicação metálica também causa alterações no comportamento, pois a mente humana é imensamente influenciada por eles, por exemplo, a intoxicação por chumbo pode tornar as pessoas extremamente agressivas (pesquisas em condenados à morte por crimes violentos revelam que eles apresentam  altas concentrações cerebrais  de chumbo).

A prata torna as pessoas ansiosas e agitadas, em alguns casos sujeitas a pavor de altura, enquanto que as pessoas expostas ao zinco tornam-se dispersivas, com dificuldade em fixar atenção; já a  exposição ao alumínio as torna apagadas e esquecidas, apresentando, em casos extremos, os sintomas da doença de Alzheimer, com dificuldades em reconhecer entes queridos e perdendo a noção da própria identidade.

A presença de altas doses de algum elemento tóxico pode ser detectada em exame de urina ou num mineralograma, descoberta na atual evolução do conhecimento médico (exame que dá a dosagem dos minerais e metais pesados através de fios de cabelo), e que foi desenvolvido há pouco mais de trinta e um anos, evidenciando ocorrer problemas no organismo não apenas com as carências mas também com os excessos de minerais.

Essa técnica permite ao médico entender de forma complexa o que se passa com o ser humano, dadas as suas carências e sobrecargas,carências que a alopatia sabe preencher com vitaminas, antibióticos e vários outros medicamentos, e agora se renovam com uma medicina nutricional como a terapia baseada na interação molecular do organismo com o meio ambiente.

Função agora comprovada matematicamente pelo espectrômetro, aparelho que realiza o mineralograma, portanto, todo cuidado é pouco na condução do nosso dia a dia da vida.

Forma de Intoxicação e seus efeitos:

Alumínio

Forma de Intoxicação: panelas de alumínio, latas de conserva e refrigerantes, tubos metálicos de pasta de dente, antiácidos, papel alumínio, leite longa vida e comida congelada em embalagens “quentinhas”.

Efeitos: Oleosidade no couro cabeludo e queda de cabelo, ansiedade, humor variável, paralisia nos membros inferiores, laringite crônica, doença de Alzheimer.

Chumbo:

Fontes:Latas de conserva, tintas em geral, produtos para escurecer cabelos.

Efeitos: Fortes dores de estômago, cólicas menstruais e intestinais, câncer de mama, também ataca o sistema nervoso.

Cobre:

Fontes:Através das canalizações de água quente e obturações dentárias.

Efeito: Câimbras, tosse, asma.

Enxofre:

Fontes: Sucos de frutas engarrafados ou em caixinhas aluminizadas, polvilhos antissépticos, cremes antiacne.

Efeito: Dores na coluna, crises de ciática, irritabilidade.

Ferro:

Fontes: Algas marinhas, germe de trigo, gema de ovo, melado,feijão, fígado, carnes em geral, panelas de ferro.

Efeito: Apesar de indispensável à formação de hemoglobina do sangue estimular o crescimento, as deficiências de ferro causam anemia,já o  excesso provoca tendência a vômitos, diarreia, dores abdominais, estados letárgicos e irritabilidade.

Fósforo:

Fontes:Uso abusivo de inseticidas organofosforados, levedo de cerveja.

Efeitos: Fraqueza, perda de peso, dores ósseas, falhas de memória e raquitismo são provocados pela falta de fósforo no organismo, já a osteoporose, arteriosclerose, a perda de dentes,predisposição à tuberculose são causados pelo excesso.

Mercúrio:

Fontes: Obturações dentárias de amálgama, peixes como atum.

Efeitos: Dor aguda nos ovários, tremor nas mãos, anemia profunda, infecções na garganta, perturbações emocionais, cansaço e sonolência.

Níquel:

Fontes: Ligas de aço, usadas por alguns dentistas em obturações,e grande parte de bijuterias, e latas de conserva.

Efeito: O contato com a pele provoca dermatites, além disso constatou-se ainda que quando alguém sofre um infarto, o sangue está sempre saturado de níquel.

Ouro:

Fontes: Jóias e restaurações dentárias, associado à prata, ao níquel, cobre e menores quantidades de paládio e platina,além de tintas e medicamentos para artrite reumatóide

Efeitos: Erupções cutâneas, eritema nodoso, púrpura (pequenas hemorragias generalizadas), descamação na pele, depressão.

Às vezes ataca os rins, provocando edema facial e nos tornozelos.

Prata:

Fontes: Ligas metálicas das obturações dentárias, objetos de prata, produtos fotográficos e jóias.

Efeito: O contato persistente provoca manchas cinzentas na pele, ansiedade, incapacidade de ficar parado, conjuntivites repetidas.

Zinco:

Fontes: Xampus, medicamentos antiestresse.

Efeito: Perda de apetite e falta de paladar são provocados pela falta de zinco no organismo,já o excesso causa perda de concentração,repetitividade de gestos, dificuldades de aprendizado e autismo.

Vamos ter uma vida saudável isenta de efeitos colaterais e acima de tudo com muita Paz…

Uma Boa Semana.

Comentários