João exonerou 1.258 cargos

0

   Circulou ontem o Diário Oficial do Estado de Sergipe do dia 29 de dezembro de 2006, com diversas exonerações de cargos comissionados assinadas pelo então governador João Alves Filho. Ao todo, apenas neste Diário Oficial, foram exonerados 1.258 cargos comissionados de natureza especial e simples. Por baixo, se calculado R$ 1.000,00 para cada cargo, chegasse a uma folha de pagamento de R$ 1, 2 milhão. Porém é muito mais, já que são vários cargos de natureza especial que vão de R$ 1 mil a R$ 6 mil. Seguramente estes 1.258 cargos comissionados custavam aos cofres públicos uma média de R$ 3 milhões.

   A coluna não tem como publicar o nome de todos e, também não vai publicar apenas os nomes que conhece de ex-prefeitos, ex-vereadores, agregados, sogras, noras, genros e toda espécie de parente, para não cometer o erro de citar alguns e deixar outros de lado. O certo é que no meio dos nomes tem muita gente que não trabalhava e o pior, não mora nem mesmo em Sergipe. É o caso de duas filhas de um ex-secretário que estudam em São Paulo.

  Alguns detalhes dos cargos exonerados. Na Secretaria de Estado de Governo, por exemplo, foram 210 cargos, sendo 52 deles de natureza especial (estes são os, digamos assim, os mais gordurosos) e 158 de natureza simples. Na Secretaria de Estado da Casa Civil, ao todo foram 650 cargos, sendo 350 de natureza especial e 300 de natureza simples. Na Secretaria de Articulação com os Municípios foram exonerados 344 cargos, sendo 189 de natureza especial e 155 de natureza simples. Além deles, foram exonerados cargos na Secretaria de Estado da Coordenação Política e Assuntos Institucionais e na Secretaria da Gestão Administrativa.

  Por incrível que parece o problema maior não é o número de cargos comissionados – que o novo governador já disse que vai enxugar em 30% – mas os sobrenomes de muitos deles. Vale a pena o leitor curioso comprar um exemplar na Degrase, com o trem da tristeza do João (lembram dos famosos trens da alegria?). É apenas R$ 3,00. Tem cada sobrenome de família que só vive aparecendo nas colunas sociais e parentes de políticos de todos os Estados. São ex-prefeitos, ex-vereadores, agregados e muito mais.

   Já pensou se um jornal destes caísse nas mãos de um promotor do Ministério Público? Sei não. Aliás, acho que alguém deve provocar o MP. Já pensou se mandasse devolver os recursos recebidos deste povo que mora fora do Estado? É fácil comprovar.

   Resta saber quantos diários destes ainda têm para serem impressos. Aliás, a nova diretoria da Degrase deve uma explicação também. Quantos atos do governo anterior estão para serem publicados ainda? E pode? Não é nulo de pleno direito? Espera-se também que no próximo ano, este mesmo espaço não esteja cobrando do atual governo a demora na publicação dos últimos diários oficiais do ano que passou. Essa pratica precisa ser acabada. Basta ter vontade política.

 

Descontos de pefelistas chegavam a quase R$ 100 mil

Os descontos autorizados em folha de pagamento de servidores do Estado, para repasse a partidos políticos, atingiam cerca de cem mil reais por mês. Esta coluna apurou que o PFL recebia exatos R$ 99.899,18 mensalmente, descontado de servidores com cargo em comissão.

 

Ex-vice-governadora pede licença de 5 anos

No Diário Oficial que circulou ontem foi publicada também a autorização da Secretaria de Estado da Administração, para que a ex-vice-governadora Marília Carvalho Mandarino, que é servidora pública (agente comunitário), fique de licença para tratar de interesses particulares por cinco anos.

 

João conferiu Galardão para Aécio Neves

De olho em 2010, com a possibilidade do tucano Aécio Neves ser presidente da República, o então governador João Alves Filho, no dia 27 de dezembro, conferiu ao governador de Minas Gerais, o Galardão da  Grã-Cruz da “Ordem do Mérito Aperipê”, pelos relevantes serviços prestados ao estado de Sergipe. E olhe que são muitos os “serviços relevantes”.

 

Prefeita de João Alves faz criticas ao pefelista

Na reunião do governador Marcelo Déda com os 70 prefeitos ontem chamou a atenção à prefeita de Tomar do Geru, Lara Soares, aproveitou a declaração de Déda de que vai demorar uns seis meses para colocar a casa em ordem e soltou o verbo: “é muito pouco para restabelecer a ordem no Estado de Sergipe”. A surpresa geral é que a prefeita e o marido, o ex-deputado Pedro de Balbino são (ou eram?) aliados de todos os momentos do ex-governador. Eu hem!

 

A tarde, Déda reúne prefeitos aliados.

Depois da reunião com todos os prefeitos Marcelo Déda almoçou no Palácio de Veraneio com alguns auxiliares e lideranças políticas. A tarde voltou a se reunir com os prefeitos, desta vez somente os da base aliada. Reafirmou o que disse pela manhã, de governar para todos, mas que em cada município tem seu aliados.

 

Relação entre PT, PSB e PCdoB fica amarga

Da coluna Painel da Folha de São Paulo de hoje: “Deu zebra 1. A disputa na Câmara enterrou o sonho do PT de formar uma frente permanente com PSB e PC do B, que envolveria um programa comum e coligação em todos os municípios estratégicos nas eleições de 2008. Deu zebra 2. Socialistas e comunistas dizem que a relação com o PT terá que ser reconstruída antes de se falar no assunto. O PT passou por cima de seus aliados históricos em nome da aritmética, diz Roberto Amaral (PSB)”.

 

Indira Amaral assume hoje a Fundação Aperipê

A radialista Indira Amaral vai assumir hoje o comando da Fundação Aperipê de Comunicação. A solenidade de posse está marcada para as 11h e será realizada na sede da Fundação. Indira foi uma das elaboradoras e estava na Coordenadoria Geral do Núcleo de Produção Digital (NPD) de Aracaju. O NPD faz parte das ações da Rede Olhar Brasil, programa do Governo Federal lançado na capital sergipana no ano passado pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil. Sergipe foi um dos 11 Estados escolhidos pelo Ministério da Cultura para integrar a Rede Olhar Brasil, que estimula a produção audiovisual.Indira Amaral é formada em Radialismo e TV pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) e estudou Edição de Vídeo na Escola de Comunicação e Artes do Senac em São Paulo. É editora da Revista ImagineSe, que aborda temas relacionados ao audiovisual e à cultura sergipana.

 

Jorge destaca reabertura de retorno

O novo superintendente da SMTT, Antônio Samarone reabriu o retorno que existia quase em frente a Casa do Cuscuz, na Avenida Pedro Valadares, nos Jardins. Ontem recebeu um telefonema do deputado Jorge Araújo, PSDB. “Foi uma decisão mais do que técnica, cidadã”, elogiou Jorge.

 

Disparidade salarial no concurso de Canindé I

A Prefeitura de Canindé de São Francisco realizará, nos próximos dias, concurso público para preenchimento de vagas para os níveis superior e médio. São profissionais tais como médicos, odontólogos, psicólogos, economistas, engenheiros, agrônomos, biólogos, geógrafos, turismólogo, pedagogos, professores e outros. Iniciativa louvável da administração municipal, uma vez que a população daquele município ribeirinho só tem a ganhar com a contratação dos profissionais. Mas, o que chama a atenção são os salários iniciais previsto para cada profissional. Enquanto que o salário inicial de um médico é de R$ 7.5000,00, o salário de um odontólogo é de R$ 3.300,00, o salário das outras categorias é de apenas R$ 945,00. E, pasmem, o salário de um  professor é de pouco mais de um salário mínimo: R$ 645,00. Ou seja, menos de 10% do salário de um médico. E todos com a mesma carga horária de 40 horas semanais.

 

Disparidade salarial no concurso de Canindé II

Em absoluto, a coluna deseja questionar o salário previsto para o médico. Acha o salário justo, mas, entende que, todos os profissionais merecem o mesmo tratamento e respeito e, não conhece um profissional de qualquer categoria que seja mais importante do que o outro. No dito popular, “cada macaco em seu galho”.O edital está no site www.pciconcursos.com.br/concurso/80277.

 

 

Trânsito no Parque da Cidade

Um leitor confirmou a denúncia publicada na semana passada nesta coluna sobre o trânsito de veículos em meio aos pedestres no Parque da Cidade: “Realmente a situação é gravíssima. Tem que ser tomada alguma medida urgente, a respeito do trânsito. Pois dentro de um parque não pode haver uma situação daquela; com tantos carros e motos circulando pelo meio das pessoas sem nenhuma fiscalização.Ontem (domingo) por volta das 17 h quando eu retornava com minha família, ao chegar onde dar acesso ao teleférico, ainda presenciei uma pequena perseguição de um Santana da policia que deve fazer a segurança do local a dois jovens em uma Biz, aumentando assim o risco de acidentes. Espero que alguma medida seja tomada urgentemente antes que aconteça algo que venha marcar negativamente aquele local tão bonito”.

 

Petistas começam a reclamar do tratamento recebido

Desde a semana passada que a coluna vem recebendo e-mails de alguns petistas do interior reclamando o tratamento que vem recebendo por parte do novo governo. Nos e-mails alguns petistas antigos relatam que os cargos em vários municípios importantes como Itabaiana, Propriá, Simão Dias, Itabaianinha e Estância estão sendo indicados por lideranças de partidos como PTB, PSB, PMDB e PSDB. A coluna vai procurar mais detalhes sobre o assunto.

 

Petrobras não vai prorrogar concurso

De um leitor: “Fiz o concurso da Petrobras 2005/01, homologado em janeiro de 06, e fui classificado para o cadastro de reserva no cargo em que disputei, numa colocação razoável. O concurso é válido por um ano e prorrogável por mais outro.A semana passada tomei conhecimento que o concurso não seria prorrogado e seria encerrado amanhã (hoje) 16/01/06. Hoje estive no setor de pessoal que me confirmou a notícia.Além de decepcionado, estou indignado uma vez que existe demanda para contratações. A prorrogação não custaria nada à Petrobrás e não a obrigava a contratar ninguém pois é cadastro de reserva. Com a palavra o Gerente Regional Eugenio Dezen”.

 

Leitor questiona a atuação do CREA em Sergipe I

De um leitor: “Se, como cidadão, quites com os impostos, tenho total direito de criticar qualquer assunto, como engenheiro civil, quites com as anuidades, tenho total direito de criticar a péssima atuação dos conselheiros e da diretoria do CREA-SE. Tratando-se de viagens para congressos e reuniões, com as despesas pagas pelo CREA – SE, eles são eficientes e, partem imediatamente para o “sacrifício” pelos profissionais do sistema. Em Pernambuco, na Paraíba, no Rio Grande do Norte, na Bahia e, em empresas públicas federais como a Codevasf, devido à atuação de seus conselhos regionais, os profissionais do sistema CREA recebem como salário inicial, o

salário mínimo previsto para os profissionais da categoria. Aqui, em Sergipe, por total omissão e peleguismo, é diferente. O CREA é omisso nesta questão, mas, não é omisso quando se trata de arrecadar”, desabafa o engenheiro.

 

Leitor questiona a atuação do CREA em Sergipe II

Prossegue o leitor:Comparando com outros estados uma simples ART que em outro estado se faz via Internet aqui, em Sergipe, o profissional tem que se deslocar para a sede do CREA e pagar R$ 1,00 por ART. Posso errar no preço, pois acredito que já tenha sido elevado, mas o procedimento é este. Nas secretarias estaduais, os profissionais do sistema CREA ganham pouco mais que um salário mínimo e, (algo como R$ 600,00/mês) a

anuidade do CREA, é quase o mesmo valor. Faça um inventário de quantos profissionais do serviço público estão em dia com o CREA. Não há como ficar em dia com o CREA. Se for verdade que trabalhamos seis meses por ano para pagar impostos, os servidores públicos do sistema CREA paga mais um com a anuidade do conselho. Pela presidência do CREA já passaram diretores de órgãos públicos, secretários e, nada fizeram. Agora, em eficiência de arrecadar e cobrar do profissional não existe nenhum conselho como o CREA-SE. Diante dos fatos fica a questão. O que o CREA tem a dizer sobre isto? Quais as ações que o CREA faz para o profissional? Lamento, mais a inoperância, a omissão e o peleguismo do nosso conselho leva a situações vexatórias como esta. Quanto aos demais profissionais, que os seus respectivos conselhos se manifestem”.

 

Governador de Alagoas barra reajuste

O governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), suspendeu o pagamento dos reajustes salariais dados a partir de abril de 2006 a todos os servidores públicos do Estado. Com a medida, os salários de dezembro do funcionalismo -que começarão a ser pagos hoje- terão o mesmo valor dos salários recebidos antes do último reajuste.Os servidores estaduais já começaram a se mobilizar contra o decreto. Em nota, o governador disse que a medida visa enquadrar o Estado nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Frase do Dia

“O homem mais rico do Mundo não é aquele que ainda guarda o primeiro escudo que ganhou; é aquele que ainda guarda o primeiro amigo que fez”.M. Manson.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários