João fujão

0

O prefeiturável João Alves Filho (DEM) ficará marcado na história política de Aracaju como o candidato que foge de debates como o diabo foge da cruz. Durante toda a campanha, ele evitou o ‘cara a cara’ ao vivo com os adversários, preferindo a segurança do estúdio de gravação, onde sua fala é previamente escrita pelos marqueteiros. Ao contrário do que pensam João e seus assessores, o eleitor entende que o debate ao vivo permite observar as reações do candidato, sua surpresa, insegurança, firmeza, serenidade e domínio da situação. Portanto, quem possui propostas concretas não foge do confronto de idéias, deixando a cadeira vazia, como fará Alves Filho hoje à noite no debate da TV Sergipe. Aquele que procede assim afronta o eleitorado, demonstra despreparo e falta de coragem para encarar os opositores, além de levantar a suspeita que tem algo muito grave a esconder.

Grand finale

É muito provável que o prefeiturável Almeida Lima (PPS) anuncie hoje à noite, no debate da TV Sergipe, sua desistência da disputa eleitoral. Vaidoso, Almeidinha aproveitará o confronto verbal, tido como o grand finale da campanha, para usar sua metralhadora giratória contra os adversários. No final, fixará a câmara em sua frente e anunciará a renuncia ao vivo e em cores para todo o estado. Duvida?

Às escuras

E a polícia sergipana anda mesmo em petição de miséria. Pois não é que a Energisa cortou o fornecimento de energia elétrica da delegacia de Bomquim por falta de pagamento? No escuro, os policiais não podem registrar boletins de ocorrência e tomar depoimentos. Até para assistir aos noticiários, o delegado e agentes têm que recorrer ao “televizinho’. Uma lástima.

Sem divulgação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não terá condição de julgar todos os recursos de registros de candidatura negados pelos tribunais regionais até o próximo domingo. Isso significa que os candidatos que tiveram os registros negados e estão recorrendo não terão seus votos contabilizados no próximo domingo. Quando o recurso for julgado, se o TSE mudar a decisão deferindo o registro, o resultado anunciado inicialmente poderá ser modificado.

Está no páreo

O pedindo de impugnação da candidatura do médico Albino Tavares de Almeida Neto (PSD) a prefeito de Porto da Folha foi negado ontem pelo juiz eleitoral Edno Aldo Ribeiro Santana. O magistrado não acatou a acusação feita pelo Ministério Público dando conta que o prefeiturável estava trocando consultas médicas por apoio eleitoral.

Pede votos

Internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratar de um câncer no estômago, o governador Marcelo Déda (PT) apareceu ontem à noite no horário eleitoral. Primeiro, agradeceu as correntes de oração, a torcida e o pensamento positivo em favor do seu restabelecimento. Depois, pediu aos aracajuanos que votem em Valadares Filho (PSB). “Não adianta trazer de volta aqueles que representam o passado. Agora é hora de fazer uma escolha pelo futuro”, disse o petista.

Ajuda extra

Para votar, o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança, ainda que não tenha feito o pedido antecipadamente ao juiz eleitoral. Caso o presidente da mesa receptora de votos verifique ser imprescindível que o eleitor com deficiência seja auxiliado por pessoa de sua confiança para votar, ele autorizará o ingresso dessa segunda pessoa, com o eleitor, na cabina, podendo esta, inclusive, digitar os números na urna.

Último dia

Termina hoje a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Nos últimos 45 dias, candidatos a prefeito, a vice-prefeito e a vereador puderam divulgar suas plataformas de campanha. Nas cidades com mais de 200 mil eleitores onde nenhum dos candidatos conseguir a maioria dos votos e for necessária a realização de segundo turno, a propagando eleitoral no rádio e na televisão voltará a ser exibida a partir do dia 13 de outubro, com término no dia 26.

Boa música

O músico sergipano Heitor Mendonça lança no próximo dia 19 seu primeiro CD, com 13 músicas entre autorais, parcerias e instrumentais. O lançamento vai acontecer no Teatro Atheneu. Satisfeito com o resultado da gravação, Heitor destaca as parcerias com Gilton Lobo, Wedmo Mangueira e com o pai dele, maestro Muskito, além dos belos arranjos feitos pela Orquestra Sinfônica de Sergipe. Vale a pena conferir!

Do baú político

Em 1989, o deputado estadual Chico de Miguel (PFL) precisou se licenciar para tratamento de saúde. Ficou surpreso, no entanto, ao ser informado que para obter a licença precisava antes passar por uma junta médica, coisa nunca vista na Assembléia. O verdadeiro motivo não era saber se o pefelista realmente estava doente, mas impedir que o suplente Nelson Araújo (PMDB), critico radical do governo, assumisse por quatro meses. A tal junta entendeu que três meses de licença seriam suficientes para a recuperação de Chico de Miguel. E por que 90 e não 120 dias? Porque o suplente só assume quando o titular se afasta por, no mínimo, quatro meses. Insatisfeito, Nelson Araújo recorreu à Justiça, que concedeu liminar autorizando a licença de 120 dias para Chico de Miguel e determinou a imediata posse do suplente. O peemedebista passou quatro meses infernizando, com suas críticas fundamentadas, o governador Antônio Carlos Valadares e o ministro do Interior João Alves Filho.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários