MARIA DÁ O RECADO

0

Na última sexta-feira, a senadora Maria do Carmo (PFL) participou do programa Fala Cidade, exibido diariamente às 18:30, pela TV Cidade/ Net Aracaju. E, como era de se esperar, a audiência foi às alturas. Afinal, quem conhece o estilo da senadora Maria do Carmo ao falar sobre política e temas polêmicos não poderia deixar de acompanhar a entrevista com carinho, principalmente, agora, quando se sabe que a campanha para as eleições de 2006 já está posta nas ruas. Com Maria não tem meias-palavras. Quem a conhece sabe que ela não tem papas na língua e diz o que pensa, doa a quem doer.

Um exemplo claro disso foi a resposta direta quanto à possibilidade de aliança entre o atual governador, João Alves Filho (PFL), e o ex-governador, Albano Franco (PSDB), no ano que vem: “É impossível. Não há a menor chance de dialogo”, afirmou peremptoriamente a senadora.

Na avaliação do governo, ela também foi transparente. Reconheceu falhas da atual administração, mas disse que se está fazendo o possível com os parcos recursos disponíveis. Segundo ela, o governo federal tem dispensado um tratamento discriminatório ao Estado de Sergipe. Cita, inclusive, o projeto “Luz para Todos” – parceria entre União, Estados e empresas distribuidoras para levar energia a todos os cidadãos brasileiros – que no Piauí tem contrapartida zero, enquanto Sergipe participa com 50% dos recursos. Dois pesos, duas medidas. 

Quanto à política local, disse estar otimista. Acredita na reeleição de João Alves para um quarto mandato e deixou claro que pode abrir mão de sua candidatura ao Senado, se preciso for para a composição de alianças com outros partidos. A frase, neste caso, foi emblemática: “Não tenho apego a cargos”.

Questionada sobre o ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis, que, segundo a imprensa, estaria prestes a voltar ao ninho pefelista, Maria disse ver com naturalidade o retorno, caso ocorra, pois Jerônimo já estivera com João anteriormente. E será bem-vindo.  

Enfim, foi uma entrevista interessante e cheia de mensagens diretas aos correligionários e adversários. Bem no estilo Maria do Carmo (bateu-levou) que todo mundo conhece.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais