Merenda: novas perguntas

0

Na condição de ex-assessor de comunicação da Secretaria de Estado da Educação e buscando ser ético na defesa do ex-secretário, o publicitário Pedro Rocha viu-se obrigado a travar um debate com o presidente do Síntese, Joel Almeida. N momento em que o sindicalista denunciava irregularidade na compra de 123 toneladas de carne tipo bife e músculo efetuadas no governo anterior que custaram quase  R$ 1 milhão e que de acordo com a investigação iniciada pelo Conselho Estadual de Alimentação Escolar as escolas não receberam a carne, embora alguns diretores e coordenadores tenham atestado o recebimento. Na defesa que tentou fazer o ex-assessor não conseguiu sustentar determinadas afirmações e não conseguiu responder alguns dos questionamentos. Embora tenha afirmado que a reunião do CAE era a única realizada no ano de 2006 foi imediatamente desmentido pela diretora Iara Viana, outros aspectos não foram bem explicados tais como:

1- Para que a empresa recebesse o valor do contrato alguém na Secretaria da Educação teria que ter atestado o recebimento do produto. A informação é de que a empresa MSS era responsável pela venda e conseqüentemente pela entrega do produto na Secretaria, enquanto que a distribuição seria responsabilidade de um departamento da Secretaria que possui tal finalidade;

2 – Houve a afirmação de que a carne adquirida seria para suprir a merenda escolar até março de 2007, mas pela proporcionalidade do que já foi supostamente entregue, a quantidade que falta não corresponde ao planejamento adequado;

3- É bom verificar se as datas de recebimento das faturas mantém alguma afinidade com as datas das assinaturas que atestam o recebimento, porque circularam informações de que algumas das pessoas que assinaram, havia assumido o cargo duas semanas antes de ter assinado a guia e que esse seria o motivo pelo qual não exigiram  a colocação das datas;

4- A pergunta final é: “Se essa é a única grande concorrência para entrega de alimentos ganha por essa empresa na gestão passada?”. Porque salvo engano ou coincidência nas inicias, a coluna lembra que essa tal de MSS apareceu no programa de Gilmar Carvalho numa denúncia que envolveu o Corpo de Bombeiros adquirindo produtos de uma loja de Vídeo Game.

5- Por várias vezes essa coluna recebeu informações de que alguns Editais  são elaborados de forma viciada e quando os licitantes prejudicados tentam denunciar o fato acabam ficando marcados pela cúpula dos órgãos, que são responsáveis pela elaboração dos mesmos, onde em alguns casos quem elabora é a empresa que será beneficiada. Dessa forma a licitação já é direcionada na confecção do Edital.

6- Outro aspecto, são as exageradas exigências contidas nos Editais com o objetivo de amedrontar e reduzir o número de participantes. São exigências absurdas, onde se o ganhador for alguém que a administração do órgão não deseje terá que cumprir fielmente tais exigências, impossíveis e desnecessárias. Enquanto se o ganhador for à empresa esperada, o cumprimento das exigência serão ponderados o tempo todo.

   São apenas ponderações que devem ser analisadas pelo Ministério Público e todos que desejam que este caso seja apurado para que não deixe nenhuma dúvida para a sociedade sergipana.

 

Reivindicações dos governadores do NE a Lula

Deu na coluna Painel da Folha de São Paulo de hoje:Fatura. Governadores do Nordeste vão apresentar no encontro de amanhã em Natal (RN) uma lista de pedidos a Lula. Querem a conclusão da Transnordestina, a construção de um gasoduto, dinheiro para revitalizar o rio São Francisco e o aumento no valor do Bolsa-Família”.

 

 

Coronel Magno assume diretoria de trânsito da SMTT

O novo superintendente da SMTT, Antônio Samarone, nomeou como diretor de trânsito daquele órgão o experiente coronel Magno. Ele terá a dura missão de substituir o tenente-coronel Carlos Augusto que passou algum tempo à frente do órgão e foi exemplo de trabalho e dedicação.

 

Usuários têm dividas de milhões com a Deso

Um funcionário da Deso que estiver mais atento pode consultar no sistema da empresa a dívida dos usuários que soma algumas dezenas de milhões de reais. Se fosse uma empresa privada funcionaria desta forma? É claro que não. Aliás, a coluna está em busca de uma relação de bairros onde na campanha eleitoral passada eram proibidos cortes de contas de água em Aracaju. O certo é que deixaram a empresa na berlinda na torcida para privatizar a mesma.  O novo governo deve acionar estes débitos judicialmente. Não são de usuários pequenos não, tem grande usuários que não pagam nem que a porca torça o rabo…

 

 

Samu Estadual pode reduzir números de cidades

Os primeiros levantamentos do Samu Estadual, implantando a “toque de caixa e repique de sino” no governo anterior, demonstra que é necessário que seja reduzido o número de cidades atendidas pelo serviço e a necessidade de chamar mais funcionários. O serviço foi implantado sem ter condições, nem estrutura para atender a todo Estado como foi divulgado pelo governo anterior. Muita coisa foi comprada em excesso, mas sem critérios. A situação do almoxarifado geral da Secretaria de Saúde é espantosa, muita coisa…  A verdade é que o Samu, realmente foi colocado a funcionar de qualquer jeito. Isto sacrifica a população, mas também os profissionais que têm as vidas das pessoas sob sua responsabilidade. Cadê  o MP?

 

Debate aberto sobre o sistema hospitalar

Ainda sobre o artigo Problemas do Coração: “Parabéns pelo artigo e pela coragem em tocar nesta ferida. Infelizmente a corda sempre vem quebrando no lado mais fraco, que é o paciente. Nessa relação que envolve muitos protagonistas, existe um segmento que precisa ter a sua atuação melhor esclarecida, que são os fornecedores de materiais de órtese e prótese, utensílios necessários para a realização das cirurgias cardíacas. Tem que haver uma discussão aberta e franca sobre este obscuro “comércio”, envolvendo os órgãos de defesa do consumidor, o Ministério Público, a imprensa, as entidades médicas e outros setores envolvidos, uma vez que os custos referentes a esses materiais impactam de forma expressiva na conta hospitalar”.

 

Genival será empossado hoje na Adema

Será empossado hoje o novo diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA), Genival Nunes Silva. A solenidade será realizada às 11h, no auditório da Codise. Ele foi indicado para o cargo pelo secretário de Estado do Meio Ambiente, Márcio Macedo. Segundo Genival Nunes, seus principais objetivos vão ser a adoção de ações corretivas da degradação ambiental. “Pretendo trazer para essa gestão tudo o que tive como prioridade enquanto ambientalista, que é a preservação do meio ambiente, além da firmeza e a determinação política de um gestor que precisa ficar atento às mudanças que permitam a melhoria das condições sociais e um meio ambiente melhor e sustentável”, disse Genival Nunes.

 

 

Posse amanhã na Jucese e ITPS

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Jorge Santana, dá posse a dois auxiliares de governo na manhã da próxima quinta-feira, dia 11. Seguindo uma determinação do governador Marcelo Déda, o secretário empossa os novos presidentes da Junta Comercial (Jucese) e do Instituto de Tecnologia e Pesquisa de Sergipe (ITPS). O contador José Marcos de Andrade será conduzido ao cargo de diretor presidente da Jucese durante solenidade marcada para as 8 horas, na sede do órgão. Já o doutor em química, José do Patrocínio Hora Alves, assume a direção do ITPS no mesmo dia, às 11 horas. Os dois órgãos são vinculados à pasta que tem como missão principal fomentar o desenvolvimento econômico do Estado de Sergipe.    

 

Veículos no meio de crianças no Parque da Cidade I

De uma leitora preocupada com justa razão: “Mais uma vez recorra a sua coluna, estive visitando o nosso Parque da Cidade no domingo, estou até o presente momento assustada com o que presenciei. O Parque provavelmente pela nova atração – Teleférico – encontrava-se com muitos visitantes, para minha surpresa transitava na mesma pista e nos dois sentidos veículos e pedestres (principalmente crianças), como bem sabe a pista e bem estreita sem conservação e sem sinalização. Caso as autoridades competentes não tomem providencias poderemos ter graves acidentes.

 

Veículos no meio de crianças no Parque da Cidade II

Continua a leitora: “Observei que não existe pista para pedestre que caminha junto com os carros vindo nos dois sentidos. Observei também falta de policiamento. Sem sombra de duvida é mais uma obra inacabada do ex-governo. Mais fica o alerta para o atual. Quem sabe em parceria com a PMA através da SMTT possam fazer um bom trabalho de sinalização e controle dos veículos. Não construíram novos estacionamentos para atender a nova demanda, além  dos carros trafegarem nos dois sentidos numa pista estreita ainda estacionam. Não se encontra também numero de funcionários para garantir segurança e informar aos visitantes principalmente turistas”. Está dado o recado.

 

 

Abandono da orla preocupa leitora I

De uma leitora:Como é do conhecimento de todos, Sergipe hoje é detentor de uma das mais lindas orlas do país. Muitos turistas têm vindo a Aracaju encantados com o que se propaga sobre a mesma. Os lagos encantam a todos com suas fontes luminosas; os patinhos divertem crianças e embelezam os lagos; as quadras, a tranqüilidade, a hospitalidade do povo sergipano e o oceanário completam um quadro de aconchego e representam um convite para que mais e mais turistas venham a nosso Estado e assim sendo gerem mais empregos e divisas aos cofres públicos. Ocorre que essa semana ao visitar a orla como o faço corriqueiramente me entristeci com o quadro que me deparei visto que a mesma se encontra lotada de lixo, o gramado está seco, a cidade da criança já tem até seu jardim  de entrada desfeito denotando um total abandono. Em alguns locais a grama não resistiu e morreu”.

 

Abandono da orla preocupa leitora II

Continua a leitora: “Temos que acabar com a idéia de patrimônio político onde os governantes acabam por abandonar as obras construídas pelos seus antecessores. O político que se preza conserva e se espelha nas grandes obras para construir outras tão grandes quanto ou até maiores. Não podemos e não devemos enquanto cidadãos deixar que esses patrimônios sejam destruídos e esquecidos porque são construídos com o suor de nossas frontes através de nossos empregos mediante a cobrança  de impostos.Deixo aqui o meu apelo ao então governador Marcelo Déda para que ele dê uma atenção especial à orla de Aracaju porque afinal de contas o turista não sai de sua terra para visitar destruição, sujeira e lixo. Além do que o turista satisfeito propaga o nome dos administradores do Estado.

 

Colunista encontra-se em São Paulo

Este jornalista pede a compreensão a alguns leitores porque desde o último sábado encontra-se em São Paulo e por conta disso não tem respondido alguns e-mails e até mesmo telefonemas. O ritmo normal de responder aos e-mails dos leitores volta na próxima semana, porém o leitor já percebeu que a linha da coluna continua inalterada mesmo estando tão distante.

 

Leitora critica altos salários da Deso

De uma leitora sobre a folha de pagamento da Deso: “Bem como sua leitora fiquei indignada com os altos salários pagos pela Deso aos seus funcionários, acho que essa empresa precisa ser privatizada urgente… afinal o serviço oferecidos à população é de péssima qualidade. Não dá para aceitar que em bairros como o Cidade Nova falta água na torneira, mas a conta chega todo mês, e o pobre coitado paga a conta na esperança de durante a madrugada encher os baldes de água para usar durante o dia, enquanto os Marajás da Deso recebem seus altos salário. Acho que Deda só tem duas soluções ou privatizar a Deso ou um PDV para enxugar a folha de pagamento dessa empresa”.

 

Informe da assembléia do Movimento Operação Padrão I

A coluna recebeu o seguinte informa da “assembléia mais que extraordinária” organizada pelo Movimento Operação Padrão,no dia de ontem às 15 hs, no auditório do Sindipetro: “Foi analisado junto com a categoria uma proposta de projeto de lei que atribui o requisito do nível superior ao agente de polícia judiciária, como já ocorre com os escrivães e eleva os vencimentos-base dessas carreiras e da carreira de agente auxiliar de polícia judiciária. Nessa proposta, há um real incremento remuneratório, mais do que merecido, à base policial civil. O requisito de escolaridade (nível superior) é lugar comum quando se fala em polícia judiciária, pois muitos Estados já incrementaram essa mudança. Esse é ainda um dos pilares insertos no Projeto de Modernização da Polícia Civil Brasileira, desenvolvido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, órgão do Ministério da Justiça. É o caminho da profissionalização da polícia civil. Nada em matéria de polícia investigativa tem sentido sem essa verdadeira mudança. É a premiação da inteligência. O incremento remuneratório é questão de justiça, pois é essa base da polícia civil que efetivamente coloca a mão na massa. Somos nós “que carregamos o piano”. O abismo salarial entre as carreiras policiais civis, criado pelos governos do passado, fez com que o trabalho policial civil

virasse um bico”.

 

Informe da assembléia do Movimento Operação Padrão II

Continua o informe: “Hoje, a maioria dos colegas policiais civis da base tem uma segunda e terceira fonte de renda, o que os fizeram relegar a atividade policial civil para um segundo plano. Com isso, instaura-se silenciosamente a impunidade, pois os processos criminais nascem nas delegacias, com os procedimentos policiais civis (inquéritos, termos circunstanciados etc.). Estes, quando mal feitos, geram maus processos criminais, restando aos juízes soltar os delinqüentes que voltam a cometer crimes. É a impunidade. A população passa a achar que a justiça não funciona, questiona os direitos humanos. Parte da mídia, felizmente uma pequena parcela, utiliza-se disso sensacionalisticamente, desinformando a população, notadamente a mais

carente. É um circulo vicioso que culmina no caos. Caos esse já vivido intensamente em São Paulo e Rio de Janeiro, quando os marginais atacam a própria polícia, nunca clara demonstração de desrespeito ao Estado e a suas autoridades. Caos também embrionário, emergente, por terras sergipanas, com as fugas das delegacias e dos presídios, com os constantes assaltos a ônibus, com as invasões a casas e condomínios residenciais. O marginal não teme mais o policial, pois tem a certeza que este não tem condições de manter a própria família, quanto mais cuidar da segurança da sociedade”.

 

Informe da assembléia do Movimento Operação Padrão III

Prossegue o informe:Há muito a se concertar (e não consertar) na Polícia Civil, construção e reconstrução de delegacias, compra de novas viaturas e manutenção das atuais, compra de material de trabalho (armamento, insumos de rotina), mas a grande prioridade, a grande sinalização para a Mudança nos rumos de nossa briosa Polícia Civil é, sem dúvida, a efetiva recuperação salarial da sofrida e valente base policial civil. Que o Governador receba com carinho a proposta a ser encaminhada pelo Movimento Operação Padrão e que vivamos melhores e mais seguros tempos em nosso querido Sergipe”.

 

Frase do Dia

“Com efeito, o Estado não pode estar a serviço de poucos e sempre.Não basta, também, substituir os autores e beneficiários da bonança; impreterível, ai sim, a transformação do homem e a mudança de mentalidade.Servidor Público, como o próprio nome indica, é para servir ao coletivo, e não enriquecer as suas custas”. De um leitor indignado com os escândalos na área pública em Sergipe.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários