Movimento sucessório

0

Aracaju amanheceu ontem “inundada” pelo boato de que o governador João Alves Filho (PFL) e o prefeito Marcelo Déda (PT) tinham um entendimento abrangente, que passava pelo Palácio do Planalto e se estendia até as eleições de 2006. Algumas evidências foram levantadas, mas o deputado federal José Carlos Machado (PFL), considera que não passam de coincidências, assegurando que não existe nada entre o Planalto e os Despachos. A mesma coisa falou o também deputado federal Mendonça Prado, hoje ocupando a Secretaria da Administração. Prado afasta qualquer possibilidade de acordo e revela as razões dos recursos enviados para Sergipe, todos eles através de empréstimos da Caixa Econômica Federal. Aproveita para uma proposta irônica: “mas claro que João Alves Filho ficaria satisfeito se o presidente Lula resolver pagar os empréstimos concedidos a Sergipe”. O deputado federal Ivan Paixão (PPS), que ocupa a cadeira de Mendonça Prado por, no mínimo, quatro meses, deve ter alguma missão diferente do que a alegada por ele: teria sido o cumprimento de uma promessa de campanha. É verdade, mas isso deveria ter acontecido em março e não agora. Paixão está se vinculando a ala socialista que acompanha o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes. E vai permanecer à frente do mandato votando nos projetos do presidente. Quer dizer: ficou na vaga de um parlamentar que votaria contra. No âmbito político do Governo tem quem revele outros fatos que fizeram Paixão assumir o mandato, mas que devem ser revelados posteriormente: “não chegou o momento”, disse uma das fontes bem abalizadas. De qualquer forma, o deputado Paixão é favorável, de forma explícita, que o governador João Alves Filho abra o diálogo com o Planalto. Na sua visão, se não o fizer, pode ser surpreendido com a ascensão dos tucanos ao poder central, o que não lhe seria favorável. Evidente que composições políticas surpreendentes já aconteceram em Sergipe e não foram bem sucedidas. O último exemplo foi o acordo entre o atual deputado federal Jackson Barreto (PTB), com o ex-governador Albano Franco (PSDB). À época causou um terremoto em Sergipe, que não agradou aos eleitores de Jackson Barreto. O resultado desse acidente de percurso foi a derrota do parlamentar para o Senado, inclusive dentro de Aracaju, à época o seu mais forte reduto eleitoral. Um fato da natureza exposta pelo boato, até mesmo de forma superficial e sob vários mantos intransponíveis, provocaria um tornado que destruiria as esperanças de um lado e de outro. João Alves Filho, do PFL, e Marcelo Déda, do PT, são substâncias políticas que formariam uma solução heterogenia, com chances reais de explodir e fazer um estrago eleitoral muito grande no perfil de cada um. Aliás, neste ponto, o próprio deputado Mendonça Prado, um dos mais cáusticos críticos do prefeito, tem uma opinião absolutamente correta: Marcelo Déda e João Alves Filho, em suas linhas ideológicas, são os políticos mais coerentes, porque continuam no mesmo partido, em pólos contrários. Sorriu quando o repórter lhe lembrou a lei da Física, em que “os contrários se atraem”. Da China, onde se encontra, a notícia chegou até o governador João Alves Filho, que a recebeu com uma certa surpresa: “só uma mente doentia poderia imaginar que eu apoiaria a reeleição de Marcelo Déda, para enfrentá-lo em 2006, na disputa pelo Governo do Estado”. Mas o que se falou é que o prefeito petista disputaria o Senado Federal. Evidente que as ondas desse boato também atingiram os ouvidos de Marcelo Déda que, lógico, não gostou: “o que existe é a tentativa de tumultuar a campanha”. E admitiu que se tratava de balão de ensaio. O fato dos dois recusarem a informação seria natural em um processo sigiloso, mas na prática, com o campo aberto, não dá para perceber qualquer tipo de tentativa de aproximação, que não seja a do deputado Ivan Paixão integrando a base de apoio ao presidente Lula da Silva. Entretanto, tudo isso será bem visto no decorrer da campanha para a Prefeitura de Aracaju, em cujo pleito o PFL só participa com uma coligação proporcional e, claro, com o decorrer do processo pós-eleição. Neste momento a sinalização é de disputa ferrenha, mas nada de inconveniente em se formalizar um entendimento para o futuro, desde que seja de interesse das lideranças que estão em jogo e do recado que soprar do Planalto. Ainda há muito que se conversar… PAIXÃO O deputado federal Ivan Paixão declarou que o governador não conversou nada com ele sobre uma aproximação com o presidente Lula. Disse que assumiu por compromisso na eleição e também pelo conhecimento que ele tem com o pessoal vinculado ao ministro Ciro Gomes, ao qual ele vai se integrar. RETORNO Ivan Paixão reconhece que entrar na luta ferrenha contra Lula, “só faz facilitar o retorno do PSDB a Brasília”. Considera que “isso não é bom para o governador João Alves Filho”. Paixão mostra que a esquerda brasileira não tem outro nome para substituir a Lula e ser oposição a ele fortalece apenas a Fernando Henrique Cardoso. JUVENTUDE O governador João Alves Filho (PFL) já teria deixado escolhido o novo nome da Secretaria da Juventude, Esportes e Lazer. Manuel Luiz é o nome dele. Manuel Luiz é presidente da Confederação de Handebol e foi quem projetou todos os planos de Governos anteriores para o esporte sergipano. João optou por um técnico… PROBLEMA Dizem, entretanto, que há um problema sério para isso, porque a Confederação de Handebol tem o patrocínio da Petrobrás. Um cidadão vinculado ao esporte disse que fica difícil conciliar as duas coisas, já por questões meramente políticas. A Petrobrás pagar R$ 1 milhão para manter o handebol. MENDONÇA O secretário da Administração, deputado Mendonça Prado (PFL) disse que ainda não entendeu porque estão divulgando uma aproximação entre João Alves e Lula. Disse que os recursos enviados para Sergipe, destinados aos projetos agrícolas, foram adquiridos através de empréstimos junto à CEF. COERÊNCIA Mendonça Prado reconheceu que o prefeito Marcelo Déda (PT) e o governador João Alves Filho (PFL), dentro de suas linhas ideológicas, são os políticos mais coerentes. “Os dois estão nos mesmos partidos, em pólos contrários, sem alterar suas posições políticos. Enquanto a maioria dos políticos variou de partido e ideologia”, disse. MARCELO O prefeito Marcelo Déda considera que há uma tentativa de tumultuar a campanha sobre um entendimento com João Alves: “tudo não passa de balão de ensaio”. Quanto ao bom relacionamento do Estado com o Planalto, o prefeito diz que quem pode responder é o governador João Alves Filho (PFL) e o presidente Lula da Silva (PT). ATIVIDADE Quanto à atividade de campanha, Marcelo Déda teve ontem um encontro com os candidatos a vereador e amanhã se reúne com a militância. Quer o pessoal nas ruas. Sábado fará uma carreata, no domingo distribuição de adesivos e no dia 22 inauguração do Comitê Central, com a participação do cantor Chico César. TUDO CERTO A fonte é bem avisada: já está tudo certo para o PSDB ficar com o senador José Almeida Lima em Sergipe. O senador inclusive já teria aceitado. Segundo a mesma fonte, o ex-governador Albano Franco chegou a procurar o senador Tasso Jereissati e poderia se transferir para o PL ou PTB. DESCONHECE O ex-governador Albano Franco desconhece qualquer coisa desse tipo e confirma que procurou Tasso Jereissati, mas já há algum tempo. Albano diz que não foi consultado e nem comunicado de nada: “continuo filiado ao PSDB, onde tenho amigos”. Disse que não cogita de filiação ao PTB ou PL. JORGE ALBERTO A candidatura de Jorge Alberto (PMDB) está segura. Ontem ele passou o dia em reuniões, tratando do andamento da campanha e do setor de marketing. O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, diz que a campanha está fria porque o mês de julho é assim, “mas em agosto vai esquentar para valer”. SUSANA A candidata Susana Azevedo (PPS) está conversando com alguns políticos e se movimentando nas instituições, além de visitar feiras e bairros. Ela diz que ainda não tem material de campanha, mas está trabalhando firme. Esta semana ela começa a visitar os órgãos de imprensa. RECURSOS O projeto Jacaré/Curituba é uma obra do Governo Federal e foi retomada depois que uma equipe do Ministério da Integração visitou a área, no período das enchentes. Foi solicitado ao governador João Alves Filho autorização para uso, no projeto, de R$ 7,5 milhões de emenda orçamentária atual, aprovada para outro fim. João Alves consentiu. MEU BAIRRO A promoção “Meu Bairro é o Melhor”, lançada pela Secretaria da Juventude, no período de Genecildo, não tinha estrutura. Em 48 horas se viu que não havia material para nada. Faltava bolas, camisas, troféus e tudo mais que totalizavam 181 mil reais. Ainda tinha o prêmio de um automóvel e dinheiro para os vencedores. Notas BRINCADEIRA Segmentos do Partido dos Trabalhadores não acreditam que o senador José Almeida Lima (PDT) e o governador João Alves Filho (PFL) estejam prestes a cortar relações políticas por causa da demissão do secretário da Juventude, Esporte e Lazer. Acham que se trata de estratégia política de campanha. Avaliam que o candidato José Renato Sampaio ganhou espaço na TV para bater em Marcelo Déda, como, inclusive está fazendo. Eles não vêem sentido numa coligação PRP, PDT e Prona. Os três não se combinam. SOBRE ROLA Para quem não sabia ou tem memória curta, o já famoso Rola, que foi vetado como candidato a vereador, antes de virar uma figurinha chata do folclore político sergipano, era conhecido no bairro industrial, onde morou por muito tempo, como Zezinho. O que não tem a menor importância. Se tivesse registrado o seu nome com esse apelido, certamente poderia ter sido aproveitado como candidato. Mas Zezinho não tem graça, não agita as multidões, não cresce em nada. Já como Rola, ele faz a festa. NOVIDADE Uma boa novidade aos trabalhadores que têm pressa em receber o 13º Salário. Alguns bancos já estão antecipando a bonificação que as pessoas irão receber apenas no fim de novembro e até 20 de dezembro. Em Sergipe, o Banese já faz essa antecipação dentro da forma de pagamento das empresas e do Estado. A linha de crédito especial aberta pelos bancos permite que o trabalhador antecipe valores que vão de 50% a 85% do salário extra de Natal. Os juros cobrados pelo empréstimo variam de 3,41% a 4,30% ao mês. É fogo A notícia de que o governador João Alves Filho está se entendendo com o prefeito Marcelo Déda, tomou conta de Aracaju desde ontem. O secretário da Administração, deputado Mendonça Prado (PL), foi surpreendido com a pergunta de um amigo: “quando você vai deixar crescer a barba?” O governador Albano Franco disse que só participou de alguma coisa do PSDB, em Aracaju, quando foi solicitado pelo presidente Bosco Costa. Shana, assim mesmo como se escreve, é candidata a vereadora pelo PHS. Por isso não teria sentido cortar Rola. Quem também vai disputar mandatos na Câmara de Vereadores sãos os cantores e compositores Tonho Baixinho e Antônio Rogério. O deputado federal José Carlos Machado (PFL) também garante que os recursos enviados a Sergipe são provenientes de empréstimos. O delegado da Agricultura em Sergipe, Jorge Araújo, já repassou em torno de R$ 1 milhão de reais para o Governo do Estado. Segundo Jorge, R$ 625 mil foi conveniado para a saúde animal. Também houve convênios para a cultura estratégica, como a mamona. O ex-prefeito de Barra dos Coqueiros, Natanael Mendes Moura, lançou a mulher, Ivete Moura, e o irmão candidatos a vereador. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) observa que redução do número de vereadores não implica na diminuição das despesas com as Câmaras Municipais, porque as verbas de repasses serão mantidas. A Receita Federal paga, nesta quinta-feira, o segundo lote de declarações do Imposto de Renda de 2004. As empresas de telefonia fixa concordaram em dividir o reajuste extra das tarifas, relativo ao aumento de 2003, em duas parcelas. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários