Multa Moral e Dia da Limpeza Urbana

0

Hoje eu quero falar de multa. Uma coisa chata, que ninguém gosta, é verdade. Mas se tem um povinho que merece uma multa bem dada é gente sem educação que joga lixo na rua. Isso é algo que me irrita profundamente. Desde o papelzinho da bala, ao chiclete mastigado e sem gosto que vai grudar no sapato, até aqueles que, inacreditavelmente, jogam de tudo pela janela do carro ou do ônibus.

A todos esses e muitos outros e em homenagem ao Dia da Limpeza Urbana, marcado amanhã, 27 de agosto, eu aplico a MULTA MORAL. A idéia é da ONG Árvore da Vila e que eu reproduzo aqui, pois é para isso que as boas idéias existem, para serem propagadas. Baixe aqui o talão e aplique a quem desrespeitar o direito alheio (eu vou multar alguns vizinhos do condomínio).

Vale também para quem suja as praias, perturba o descanso alheio com som excessivamente alto (poluição sonora), que passeia com seus cachorrinhos e deixam a sujeira deles nas ruas e calçadas e quem joga bituca de cigarro no chão (aaarg). Imprima o talão e aplique sem dó.

Mas, no caso do lixo atirado de dentro do carro, a multa não é apenas moral. O artigo 172 do Código de Trânsito Brasileiro regulamenta: Atirar do veículo ou abandonar na via objetos ou substâncias é infração média, passível de multa (R$). (Vejam só como a Educação Ambiental é multidisciplinar. Até no código de trânsito ela está presente!).

E nesse último caso não é uma questão apenas de falta de educação, mas representa muita irresponsabilidade também. Eu iria além, é um total descompromisso com o outro, que pode vir a ser atingido pelo artefato que a lata pode se transformar, a depender da velocidade do veículo de onde foi jogada.

Mas, voltando ao Dia da Limpeza Urbana: “Cidade limpa não é a que mais se limpa, mas a que menos se suja. Mantenha sua cidade limpa”. Quem nunca leu, ouviu e repetiu esse conjunto de frases? Mas quantos a internalizaram e colocaram em prática? Antigamente era fácil encontrá-las espalhadas em diferentes pontos da cidade. Hoje não se vê mais. Infelizmente o investimento em educação e conscientização da população é mínimo, se é que existe.

Apelando para a consciência
Ainda enquanto escrevia esse post vi uma propaganda da água sanitária Brilux passando na TV. Ela apelava para a consciência das pessoas e tocava no mesmo ponto: não jogue lixo na rua! Ou seja, a atuação consciente do cidadão chamando atenção dos consumidores e vendendo “Qboa”! Quem diria?  Eu confesso que gostei! Bem mais real do que aquela imagem falsa de mulheres sorridentes e de cabelos arrumados enquanto lavam roupa…

Esse mesmo princípio deveria ser usado pelos poderes públicos para conscientizar a população quanto a sua parcela de responsabilidade na manutenção da cidade, das praias, dos parques enfim, do planeta. Todo mundo se orgulha quando um turista ou um visitante de fora elogia Aracaju por ser limpa e bem cuidada não é? Tenha orgulho também ao ajudar a conservá-la assim.

"Seja a mudança que você quer para o mundo" (Mahatma Gandhi)

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais