Nova Ordem

0

Enquanto ainda respingam os problemas surgidos para a formação das coligações proporcionais, de todos os lados, já se pode fazer um pequeno diagnóstico do que acontecerá pós-eleições municipais. Claro que, neste instante, tudo se direciona para a campanha e, pelo menos em termos de capital, um pouco das mágoas ficam esquecidas. Não houve feridas profundas, que continuam abertas. Já houve reparos, embora alguns candidatos a vereador, principalmente os que tentam reeleição, estão visivelmente irritados. Tem gente que está esperando apenas o pleito passar, para expor seus ressentimentos e desabafar as mágoas. É difícil, mas se alguns deles não cruzarem os braços, votarão em outros candidatos. As coligações não satisfizeram a uma boa partes dos que disputam a Câmara Municipal… Evidente que este é o momento em que todos os candidatos se julgam em condições de ganhar o pleito, até porque ninguém pode entrar numa disputa como perdedor. Quem tenta chegar à Prefeitura tem certeza de que será ele o nome que vai para o segundo turno – é quase certo que terá – embora já se pressinta uma tendência de polarização entre o prefeito Marcelo Déda (PT) e a deputada Susana Azevedo (PPS). Um importante jornalista aposta que não haverá segundo turno, mas se continuar no ritmo em que se encontra, dificilmente esta eleição chega ao fim no dia 3 de outubro. O programa de televisão é que poderá dar um rumo mais eficiente para um diagnóstico especulativo. Entretanto, com absoluta certeza, as eleições de 2006 não terão mais esse quadro. Sabe-se que cada pleito é uma história, mas não funcionou bem, pelo menos no interior, o projeto inicial das oposições, de saírem unidas no interior e na capital. Nem de longe essa tese valeu. E, para dar um exemplo, basta chegar até a cidade de Simão Dias, onde o Partido dos Trabalhadores lançou uma candidatura, para confrontar com José Valadares (PSB), que tenta a reeleição. Lógico que atingiu diretamente ao senador Antônio Carlos Valadares (PSB), irmão do prefeito, que não usaria desse expediente se a situação fosse inversa. Hoje não há problema, tudo continua como está, mas dentro de mais dois anos, esse fato pode ser lembrado, quando das eleições majoritárias para o Governo do Estado. No sertão é um verdadeiro desastre. O deputado federal Heleno Silva (PL), que é uma liderança da região, está com dificuldade de controlar o seu grupo, porque não foi cumprido o acordo que se fez entre os partidos da coligação formada para dar apoio à candidatura do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), ao Governo do Estado. Só para lembrar, as lideranças se reuniram em 2002 e resolveram que, para as eleições municipais, seriam feitas pesquisas e todos os partidos apoiariam quem estivesse em melhor condição de levar o pleito. A idéia era fortalecer o interior, mantendo o grupo coeso, para um enfrentamento em 2006. Até em Poço Redondo, administrada por frei Enoque (PL), um homem vinculado aos movimentos sociais e que realizou um trabalho praticamente ao lado do Partido dos Trabalhadores, não conseguiu ficar livre de uma candidatura petista para confrontar com a sua candidata à sua sucessão. Lógico que Enoque ficou chateado, tanto quanto está o deputado Heleno, porque não estão conseguindo um entendimento com os partidos que integram o bloco de oposição no Estado. A questão da unidade só acontece em Aracaju, mesmo assim da cúpula, porque parte das bases ficou sem compromisso fechado, principalmente os que estão sofrendo o peso de uma má coligação. Mantendo-se essa divisão no interior, será muito difícil que a oposição tenha um peso diferente no pleito de 2006, porque o próprio Partido dos Trabalhadores promoveu um divisionismo desinteligente em nome de uma meta que se tem de atingir dentro de dois anos, como dizem as lideranças das regiões que formam Sergipe. No interior se faz uma política extremamente conservadora e quando uma liderança atravessa outra, ficam difíceis novas acomodações. DECISÃO O Tribunal Superior Eleitoral anulou parecer da Advocacia Geral da União que autoriza o repasse de recursos para os municípios no período eleitoral, três meses antes das eleições. A decisão do ministro Sepúlveda Pertence é irrevogável e, portanto, o parecer não necessita ir à votação em plenário. VALADARES O senador Antônio Carlos Valadares denunciou que a redução do número de vereadores beneficiou ao seu colega Siqueira Campos (TO), com mais 200 vereadores. Como o menor número de vereadores passou a ser nove, algumas cidades do Tocantins que tinham sete vereadores ganharam mais dois. RESPOSTA O senador Siqueira Campos contestou e pediu provas do aumento de vereadores e desculpou-se por ter vibrado ao anunciar, da presidência, a redução imposta pelo STF. Valadares entregou ao presidente da casa um documento constando a relação das cidades do Tocantins que foram beneficiadas. CONVERSA O deputado federal José Carlos Marcado (PFL) terá uma conversa com o senador Almeida Lima, neste final de semana, para conversar sobre eleições municipais. E, principalmente, todas as dificuldades que estão acontecendo entre ele e o governador João Alves Filho. Machado vai tentar apagar este incêndio. EXTINÇÃO O projeto da Fundação Dom Cabral, que começará a tramitar na Assembléia Legislativa, dia 14, propõe a extinção da Fundese e da Emsetur. Serão transformadas em autarquias a Emdagro, a Cohidro, o Deso, a Codise e a Cehop. O Banese e a Segrase continuarão como estão, sem qualquer alteração. O projeto ainda está sujeito a mudanças. PRODASE O projeto também determina a junção do Parreira Hortas e Hemose. Já a Prodase ficará diretamente vinculada à Secretaria da Administração. A Prodase só não será extinta porque está com uma dívida de R$ 2 milhões ao INSS e FGTS. O projeto chega à Assembléia na próxima semana, quando haverá convocação extraordinária. DÉDA E HELENO O prefeito Marcelo Déda se encontrou com o deputado federal Heleno Silva e disse que precisava de um esforço concentrado do bloco, para vencer as eleições em Aracaju. Está marcada uma reunião das lideranças partidárias, para definir um calendário de ações na capital, visando o pleito. DIFICULDADE Quanto aos problemas existentes no interior é de difícil solução. O pensamento inicial do bloco, em trabalhar para uma unidade em todo o Estado, foi para o brejo. Tudo não passou de conversa e, segundo um dos membros do bloco de oposição, nas cidades do interior “está um salve-se quem puder”. PAIXÃO E CIRO O deputado Ivan Paixão (PPS), que ocupa a cadeira do titular Mendonça Prado (PFL) já está tentando uma audiência com o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PPS). Precisa conversar com Ciro sobre as questões de Sergipe. Quer se aliar ao ministro, para poder ajudar o governador João Alves Filho (PFL). VOTAÇÃO Na primeira sessão que o deputado Ivan Paixão participou já teve a votação de uma PEC paralela, da Reforma da Previdência, que melhora os salários dos aposentados. Foi aprovada por unanimidade. Paixão permanecerá na Câmara Federal por um período de quatro meses. Só retorna depois das eleições. ROLA O senador Almeida Lima disse, ontem, que em momento algum o PDT que Rola não fosse candidato a vereador. “Quem deve saber disso é o presidente do Prona”. Segundo o senador, o partido fez uma coligação com o Prona e não poderia fazer condicionamentos. Isso partiu do próprio Prona. JUVENTUDE A Secretaria da Juventude, Desportos e Lazer continua sem secretário e o governador está esperando a indicação de outro nome pelo PDT. Como o presidente regional do PDT, Almeida Lima, recusa a Pasta porque se sentiu atingido, o novo secretário só sai quando o governador retornar da China. COMENTÁRIOS Segundo comentários que surgem com a recusa do PFT, há informações de que a Pasta pode ser extinta e acoplada à Secretaria da Educação. Uma fonte importante do Governo acrescenta que ela foi criada para satisfazer ao PDT e que pode retornar à Educação, como era antes. BENEDITO O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, disse que a sua intenção, na realidade, é fazer uma renovação no partido e colocá-lo em evidência. Admitiu que a chapa majoritária à Prefeitura de Aracaju é rigorosamente de classe média, “mas temos de penetrar na periferia”. VALMIR O candidato a prefeito por Lagarto, Valmir Monteiro (PFL) está esperando que o governador João Alves Filho suba em seu palanque durante a campanha. Aproveitou e perguntou: “se ele não vier para o meu, como vou para o dele?” Acha que João Alves tem que tomar uma posição, “porque sou do seu partido”. Notas ABSURDO O senador Almeida Lima (PDT) disse ontem que considerou um absurdo o partido não ter candidato à Prefeitura de Aracaju e declarou que a aliança feita não foi do seu agrado e disse isso aos vereadores, que foram contra: cheguei até a imaginar que eles tivessem feito algum entendimento com outras legendas. Almeida Lima disse que está acontecendo o que ele previa: “hoje, alguns deles já se encontram arrependidos do que fizeram e pelas razões que nós dissemos”. Almeida mantém a posição de não subir no palanque. TUCANOS O deputado federal Bosco Costa (PSDB) considerou que desde quando o ex-governador Albano Franco deixou de disputar o Senado Federal, que diminuiu a força do partido no Estado. Repetiu que em relação às eleições de 2004 o PMDB não tinha nada a fazer candidatos, porque o partido encolheu. Em Aracaju os tucanos não tinham nome nem para a disputa e até para uma coligação estava perdido. Ele disse que quando pegou o partido não teve tempo de expandi-lo no Estado, o que vai acontecer em 2006. IMPUGNAÇÃO Segundo informações de Lagarto, a candidatura do prefeito daquela cidade, Zezé Rocha, à reeleição pode ser impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), porque já foi reeleito como vice pela segunda vez e estava assumindo a Prefeitura pela renuncia do titular, Jerônimo Reis. Mas a chapa era a mesma. Além disso, o prefeito de Lagarto, José Rodrigues dos Santos, o Zezé Rocha, aparece na relação dos administradores públicos, que tiveram processos julgados irregulares, divulgada pelo Tribunal de Contas. É FOGO O senador José Almeida Lima (PDT) não fala em rompimento, mas deixa claro que está sentido com a demissão do secretário da Juventude, Esporte e Lazer. Almeida disse também que tinha o objetivo de apoiar o PFL, mas foi a legenda que não aceitou o PDT. O candidato a prefeito José Renato Sampaio (PRP) está formando uma equipe técnica para elaborar o seu projeto de Governo. Também está criando o Conselho Político… Na próxima sexta-feira o candidato José Renato Sampaio fará o lançamento político de sua candidatura em recinto fechado. A candidata a prefeito pela PPS, Susana Azevedo, reuniu-se ontem com os candidatos proporcionais da coligação que o apóia. Está se esperando para qualquer momento entrada do pedido de impugnação da prefeita de Canindé do São Francisco, Rosa Feitosa, que disputa a reeleição. José Raymundo Ribeiro (Cabo Zé) fez um arrastão, ontem em Lagarto, que levou milhares de pessoas. Tinha a presença das bandas Coco Mania e Cintura Fina. O governador João Alves Filho ainda está em viagem para a China. O vôo desceu ontem em Paris. Os candidatos que tinham alguma pendência junto aos cartórios eleitorais, aproveitaram o feriado para resolvê-las. A vice-governadora Marília Mandarino ficará no cargo, interinamente, durante 17 dias, período em que João fica na China. A indústria brasileira bateu recorde histórico de produção de bens em maio, segundo o IBGE. A produção cresceu 22% em maio.Nos primeiros cinco meses deste ano, as empresas registraram novamente queda da inadimplência. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários