O mapa do mundo

0

Estive pensando em qual título dar a esta coluna. Inicialmente tinha pensado em geoprocessamento, mas esse é um termo mais amplo e, digamos, sofisticado. Quando pensamos na palavra “mapa”, rapidamente sabemos do que se trata. Como a minha idéia é tentar descomplicar preferi trocar o título desta coluna para o mapa do mundo.

Talvez vocês já tenham visto o serviço chamado Google Maps. Para quem já deu uma olhada saibam que ali está a ponta do iceberg do que teremos pela frente em termos de geoprocessamento. Para quem nunca viu vou dar uma rápida explicação dos serviços que o Google está disponibilizando.

O Google Maps é um mapa mundial, com nomes de ruas, CEPs, sentido da rua, entre outros. Isto permite que a gente possa olhar o mapa das principais cidades do mundo (Aracaju está entre elas!). O fato de poder olhar um mapa não quer dizer muita coisa, eles são úteis, é tanto que os guias telefônicos normalmente os trazem. O fato do mapa ser eletrônico é que faz a diferença. Se você deseja fazer uma pesquisa é só escrever o nome da rua e, se quiser, colocar até o número. No mapa será marcado um ponto indicando o local procurado. Ainda não está fácil? Tudo bem… Coloque o endereço de origem e de destino e deixe o Google Maps traçar a rota, marcando distância e tempo para chegar.

Mas como falei antes, isto é somente o começo. Logo devem aparecer novos serviços que tenham como base a infra-estrutura que o Google Maps oferece. Será possível, por exemplo, procurar o apartamento ou a casa que você deseja somente indicando o bairro, ou melhor, você pode desenhar uma área e os locais que atenderem os requisitos podem ser “plotados” no mapa. Clicando neles será possível ver fotos do local para uma melhor tomada de decisão. Podemos ainda cruzar os dados para saber se aquela região é segura ou se temos muitas ocorrências policiais.

Outro exemplo poderia ser na área comercial. As localizações de pontos comerciais, como farmácias, poderiam ser colocadas no mapa para facilitar a vida das pessoas. O usuário poderia dizer qual a localização e no mapa apareceriam as farmácias mais próximas do ponto onde ele está localizado. Um serviço um pouquinho mais demorado, mas que chegará, é o acompanhamento de entregas. Pensando numa pizzaria, por exemplo, a gente poderia procurar pela pizzaria, fazer o pedido pela Internet e acompanhar o trajeto do moto-boy, em tempo real, até a nossa casa.

O caminho é longo, mas como informática anda a passos largos acredito que em breve teremos disponíveis bons serviços para que a população possa usufruir de facilidades que hoje ainda estão fora do nosso alcance.

 

Até a próxima semana!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários