O que muda na SSP

0

Causou surpresa ontem a indicação do delegado de carreira Paulo Márcio Cruz para a Superintendência da Policia Civil. O mais engraçado é que os radialistas e jornalistas que estavam esperando o anúncio, pelo governador eleito, Marcelo Déda (PT), no aeroporto, noticiaram antes a presença do coronel Péricles, indicado para o comando da PM e, ninguém foi o curioso o suficiente para perguntar quem era aquele rapaz de terno ao lado do comandante. Era Paulo Márcio Cruz. Se para o comando da PM, Déda trará de volta o coronel Péricles que passou cerca de um ano à frente da Polícia Militar no início do governo João Alves (e saiu de repente), para o comando da Polícia Civil Déda surpreendeu com um profissional novo, porém bastante experiente e que pode agregar todos os delegados em torno do projeto maior de unificação das policiais em Sergipe.

   Na última segunda-feira à noite, o futuro secretário, Kércio Pinto, fez uma ampla exposição para Déda sobre alguns planos para a segurança pública. Entre outras coisas, Kércio avaliou que o Estado, pelo seu tamanho, pode ser um exemplo para a segurança pública brasileira com a adoção de algumas idéias. Para Aracaju, o novo comando pensa em dividir a cidade em três zonas, cada uma com um prédio que agregará as policias civil e militar, além de uma guarnição do Corpo de Bombeiros. Todos interligados num plano de ação conjunta. Ou seja, para acabar com o “bate cabeça” de cada um ir para o seu lado sem uma ação definida. Outro ponto importante é um sistema de comunicação único para toda SSP. Aliado as mudanças estruturais fará parcerias com a Polícia Federal através de cursos na área de perícia e para planejamento de operações.

  Para a Polícia Militar, Kércio Pinto está disposto a apostar num projeto que já deu certo em vários lugares, mas em Sergipe se limita, nos últimos anos, a um box com dois policiais dentro, esperando alguma denúncia da comunidade: a polícia comunitária. Como deixou claro Kércio Pinto hoje não existe integração. É preciso ter um efetivo mínimo de policiais capaz de conhecer e discutir com toda comunidade, valorizando os conselhos comunitários, de segurança e associações de moradores. Essa é a idéia do novo comando. Com essa integração, segundo Kércio, ficará mais fácil para que a policia comunitária dê resultados na prevenção do crime, já que estará realmente integrada e operando dentro da comunidade.

   O futuro secretário revelou que tem uma proposta que considera fantástica para a polícia comunitária, mas só anunciará depois que apresentar ao futuro governador. “É algo que vai mudar o conceito de polícia comunitária em Sergipe”, disse. Ele entende que é preciso valorizar a polícia preventiva para que seja forte e eficaz, através de um trabalho consolidado nas estatísticas dos bairros com maiores incidências de criminalidade, reduzindo assim o desperdício de recursos em ações sem uma direção definida.

   Para fazer tudo isso Kércio tem a consciência que enfrentará dois graves problemas. O primeiro é o de ordem estrutural, com a falta de equipamentos. Kércio entende que é preciso uma parceria ampla com a Secretaria Nacional da Segurança Pública para conseguir estes equipamentos. Já o outro problema, são os baixos salários, tanto na polícia civil como na militar. É algo que não pode ser resolvido de um dia para outro, mas pode, através de uma solução emergencial ser resolvido provisoriamente e, gradativamente o governo poderá reerguer o salário destes profissionais que merecem ganhar dignamente, assim como já recebem os delegados de carreira.

   Este ano o custeio da segurança pública foi muito pouco. Cerca de R$ 29 milhões, onde R$ 12 ficaram para a Polícia Militar e R$ 17 para todas outras áreas da segurança pública. Para solucionar este problema é preciso aumentar isso no mínimo em 50%. Déda já mostrou interesse ao pedir que a Assembléia redirecionasse no orçamento R$ 7 milhões da Secom para a Polícia Militar e a área penitenciaria. Porém, é preciso muito mais. Para recuperar o prestigio e a autoestima dos policiais de Sergipe, é preciso mais recursos para melhorar os salários e a estrutura organizacional. Só assim a polícia sergipana voltará a inspirar o respeito dos homens de bem e o medo aos bandidos.

 

“Coronel traga os meus meninos de volta”

Após a entrevista coletiva concedida ontem o governador eleito, Marcelo Déda (PT) se dirigia a sala de embarque quando ao seu lado estavam os oficiais (Carlos Augusto, Lima Alves e Eduardo) colocados na reserva  pelo atual governo.Déda olhou para o futuro comandante da PM, coronel Péricles e disse: “coronel traga os meus meninos de volta”. Para isso basta apenas um decreto do próprio governador.

 

Nova abordagem na Polícia Civil

O futuro superintendente da Polícia Civil, Paulo Márcio Ramos Cruz, tem apenas 31 anos, mas já tem uma vasta experiência, tanto teórica, como pratica para implementar uma nova abordagem na área. É preciso unidade entre na polícia civil, principalmente entre os delegados, que recebem salários dignos. Boa parte já entende essa necessidade de acabar com os grupos existentes. A sociedade que tanto defende uma segurança melhor e salários dignos para os servidores, também sabe cobrar na hora que estes mesmos servidores não fazem as suas parte. É o momento de servir…

 

João foi advertido sobre possível decreto

Quando alguns grandes “assessores” do governador João Alves Filho (PFL) orientaram que ele nomeasse o conselheiro por decreto queriam na verdade desmoralizá-lo. João chegou a ser advertido por membros do próprio Tribunal de Contas que não aceitariam tal aberração jurídica e não dariam posse a um possível indicado. Hoje é o último dia para inscrição dos candidatos e o engenheiro Flávio Conceição, que transita bem em todas as áreas deve ser o único candidato inscrito. Será um prêmio para quem vem trabalhando há muito tempo para vários governos e muitas das vezes injustiçado como agora, onde por uma divergência com uma pessoa influente do governador João Alves, não recebeu o apoio do mesmo.

 

STF derruba liminares que suspendiam transposição

Trecho de matéria da Folha de São Paulo de hoje: Suspensa há mais de um ano, a transposição do rio São Francisco -megaobra de mais de R$ 4 bilhões- ganhou ontem sinal verde do STF (Supremo Tribunal Federal) para seguir adiante. Defendido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma das marcas de sua gestão, o projeto foi alvo de ações movidas na Justiça por entidades da sociedade civil, procuradores federais e pelos Estados da Bahia e de Sergipe. O despacho assinado pelo ministro Sepúlveda Pertence derrubou mais de dez ações contrárias ao projeto e liberou o Ibama para conceder a licença de instalação, último pré-requisito para o início das obras.

 

MPF altera horário de atendimento ao público

Durante o período de recesso do Judiciário Federal (20 de dezembro a 6 de janeiro), a Procuradoria da República em Sergipe atenderá ao público externo, de segunda a quinta-feira, no horário das 13 às 18 horas, e na sexta-feira, das 8 às 12 horas.

 

Sem respeito ao governador eleito

Dois servidores do Ipes enviaram e-mails para esta coluna lamentando a forma como a diretora do Ipes, Lúcia Passos, refere-se ao governador eleitor, Marcelo Déda, com palavras nada respeitosas. O mais interessante é que ela é irmã do deputado Antônio Passos, que não é afeito a este tipo de tratamento até mesmo com os adversários. Parece que a diretora irrita-se com o futuro que lhe mostra um quadro nada agradável para ela: o fim do poder, o fim das perseguições.

 

 Na Setur muita ansiedade

É de muita ansiedade o clima que toma os servidores de carreira da Secretaria de Turismo. Durante a campanha eleitoral, um cacho – bem ornamentado – de servidores que ocupam cargo em comissão perseguiu, amedrontou e ameaçou os que decidiram votar no então candidato do PT ao Governo de Sergipe, Marcelo Déda. Agora, esses ocupantes de cargo em comissão se declaram felizes com a indicação de João Augusto Gama, para o cargo de secretário, e de Jorge Carvalho, para superintendente da Supertur, e estão anunciando que nada na área do turismo vai mudar. Imaginam que continuarão a viajar, para o nada. Imaginam que serão mantidos nos cargos – os melhores nas gerências. Será? Com certeza Gama e Jorge não vão começar o trabalho na contra-mão.

 

Apadrinhamento político

O leitor que desejar ajudar pode enviar. Na próxima semana a coluna vai escrever sobre o fenômeno que ocorre em Sergipe no último mês: o do adesismo escancarado. Agora, onde os membros da comissão de transição passam nos órgãos estaduais todo mundo votou em Déda, principalmente os cargos comissionados, apadrinhados de muito tempo. Encontram o “fio da meada” para justificar que são comissionados, mas não têm relacionamento com o governador ou qualquer assessor direto dele. Encontram um parente distante ou um deputado que é ligado ao futuro governador na tentativa de manter os benefícios. Detalhes num artigo especial.

 

Ainda sobre a doação de R$ 50 mil I

Um advogado que trabalha exclusivamente com a área eleitoral, revelou ontem – nas proximidades da Assembléia – que a doação de 50 mil reais existente na contabilidade de campanha da senadora Maria do Carmo, como sendo doação do PDT, pode gerar um questionamento muito maior. Segundo ele, os partidos são entidades diferenciadas juridicamente pela representação distinta de idéias e pensamento político. Os partidos são agrupamentos de pessoas que

compartilham as mesmas idéias e pensamentos, e é exatamente em respeito a esse preceito que existe o pluripartidarismo. Por essa questão a sociedade é obrigada a respeitar a singularidade de cada partido. O mecanismo do fundo partidário nada mais é que a fórmula encontrada para assegurar a manutenção desses agrupamentos políticos e garantir a permanência da democracia.

 

Ainda sobre a doação de R$ 50 mil II

Ao final ele avalia que por essa conotação o recurso de uma unidade partidária não pode ser desviado para financiar um candidato de um agrupamento distinto, porque a aceitação disso seria a comprovação da existência oficial de siglas de aluguel, com alguns partidos existindo apenas para transferir recursos para outros e subsidiar a manutenção de idéias e pensamentos diferentes das registrada em seu estatuto. Por outro lado essa transferência estaria aumentando o valor destinado a agremiação partidária beneficiada e desfazendo o critério existente na distribuição do

fundo partidário. Tem lógica sim! Depois da negativa da direção do PDT de que não doou os recursos a coluna espera uma posição do PFL e do TRE. Quem errou?

 

Jornalismo e mídia pública, comunitária e digital

Seguindo a programação dos 30 anos do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe acontece hoje, às 19h no auditório da Somese (atrás do Hospital São Lucas), o debate sobre”Jornalismo e mídia pública, comunitária e digital”. O palestrante é Paulo Miranda, fundador da Tv Comunitária de Brasília, hoje Tv Cidade Livre e membro da Associação Brasileira de Canais Comunitários.

 

 

Em Glória, oposição esquece do município

Na última quinta-feira foi eleita a nova Mesa Diretora da Câmara de Glória, onde a oposição ao prefeito Zico fez o presidente, conhecido como Roberinho, por cinco votos contra quatro. Lá o ex-prefeito Serginho e vereadores ligados ao futuro deputado André Moura têm maioria no legislativo. A briga política é normal, o que não é normal é deixarem de votar o Código Tributário da cidade, prejudicando toda a população. Até uma rádio comunitária, que está sendo denunciada a PF, vem sendo utilizada politicamente. O presidente da Câmara que perdeu a reeleição, professor Chico vai inaugurar um prédio construído com recursos próprios, depois que cortou gastos com telefones, combustível e as famosas diárias dos vereadores.

 

 

Posição de Jorge Alberto favorável ao aumento

De um leitor: “Analisando o noticiário local desde a semana passada, percebi um silêncio por parte da imprensa sergipana sobre o fato de o deputado Jorge Alberto(PMDB-SE) ter participado da tal reunião que decidiu o aumento e ter votado de maneira favorável a este. A edição de sábado da Folha de São Paulo procurou ouvir todos os deputados que decidiram pelo aumento, mas o deputado Jorge Alberto preferiu não se manifestar. Onde está o jornalismo político de Sergipe que não teceu um comentário sequer sobre tal voto? Por que em nenhum momento procuraram indagar o deputado a respeito de seu voto? Será que os “tais analistas” não sabem que o referido deputado participou da decisão? Muito suspeito esse silêncio”. Jorge Alberto votou em nome do PMDB e foi o único deputado de Sergipe presente a votação. Detalhe: não precisava se expor, já que não foi reeleito.

 

 

 

 

Será que vem mais uma jogada de mestre?

Aqui o leitor faz a coluna. Mais um e-mail: “Ontem achei muito interessante… Quanta propaganda do Banese nos jornais… Que grana! Bem, será que vem golpe? Há alguns anos, quando havia aquele overnight, onde da noite para o dia as contas bancárias e as ações cresciam espantosamente, houve uma grande propaganda da boa situação do Ipes. Pois bem, pra quem tem boa memória, nesta época o Banese estava falido e isto foi motivo de denúncia pelo então deputado Marcelo Déda. Para desmentir a informação, alguém teve a brilhante idéia de incluir o Ipes na conta única do estado, deixando o mesmo de ter autonomia na gerência de suas contas. E como num passe de mágica ressurgiu o Banese o banco do povo, um banco forte, sólido, confiável!!! E o Ipes foi pro buraco!  Será que tem caroço neste angu? Será que estão preparando o espírito do povo para mais uma jogada de mestre ou uma surpresa para o futuro Governador? Estão querendo dar o troco? Até dia 31 ninguém sabe de nada, mas já dizem as más línguas que vai faltar dinheiro para começar o ano! Que se segurem as secretarias!!!!”

 

 

Segundo leitor, petista quer a Deagro

E-mail de um leitor: “Devido a sua imparcialidade rogamos para que coloque esta nota de esclarecimento. Nós servidores do Deagro não estamos nada satisfeitos com a indicação do senhor Paulo Viana. O sindicato e a associação são dominados pelo PT. O seu presidente Jéferson está cotado para presidente do Deagro. Ele também é filiado ao PT. Portanto, ele não pode falar pela categoria. Se o mesmo não for indicado para presidente do Deagro vai abrir a boca contra o Senhor Paulo Viana.Nós não esquecemos que foi na sua gestão de PV como secretário que perdemos nossa seguridade social. Insistimos que a escolha de Déda foi uma infeliz escolha. Perguntem ao MST e a Fetase”.

 

Juventude discute políticas de cotas nas universidades

A União da Juventude Socialista (UJS) em parceria com o Centro da Juventude e Cidadania, irá promover hoje, uma discussão com alguns líderes de grêmios e componentes do movimento estudantil de Sergipe. “Políticas Públicas para a Juventude: reservas de vagas nas universidades” acontecerá no auditório da Fapese, às 18 horas. O presidente nacional da União Brasileira de Estudantes Secundaristas, Tiago Franco, e o pesquisador e professor da Universidade Tiradentes, Antônio Bittencourt, serão os palestrantes do encontro. O evento irá reunir membros dos movimentos estudantis no Estado para debater políticas de cotas afirmativas em Sergipe. Segundo a presidente da UJS, Karla Trindade, esse tipo de discussão tem uma grande importância. “Ele servirá para debatermos com os dirigentes de grêmios e entidades representativas as cotas para estudantes de escolas públicas, indígenas e afrodescendentes.”

 

Justiça manda AmBev indenizar funcionário com R$ 70 mil por humilhação I

Na Folha Online da última segunda-feira foi publicada uma notícia interessante. Um ex-empregado da AmBev submetido diariamente a humilhações e maus tratos vai receber indenização de R$ 70 mil fixada pela Sexta Turma do TST. O relator do processo no TST, juiz convocado José Ronald Cavalcanti Soares, ressaltou que a decisão, semelhante à tomada na instância inferior, o TRT em Sergipe, teve com base provas existentes de que o empregado “foi submetido a imenso constrangimento”.O trabalhador foi admitido em 1998 e demitido em 2004. Foi auxiliar de promoção, de vendas e supervisor de comunicação. Na reclamação trabalhista, contou que todos os dias os empregados eram avaliados em duas reuniões –uma matinal e outra vespertina. Essa segunda reunião era destinada à aplicação de punições a quem não atingia metas.Se as metas não fossem atingidas, o empregado era obrigado a fazer flexões, apoios e polichinelos até a exaustão. O empregado chegou a receber a punição com o chefe pisando-lhe as costas.

 

Justiça manda AmBev indenizar funcionário com R$ 70 mil por humilhação II

Depoimentos de outros empregados comprovaram que um dos supervisores portava arma de fogo e canivete militar de grande porte, tendo dado tiros no emblema da empresa concorrente. Segundo os depoimentos, era comum o supervisor aplicar “safanões, tapas nas costas, gravatas e xingamentos nos empregados, forçando os demais a xingarem em coro, quando o empregado chegava atrasado”.Os funcionários punidos eram fotografados com os prêmios obtidos em forma de excrementos humanos. A foto era mantida no mural por um mês. Por suspeita de roubo, o supervisor submeteu o ex-empregado e alguns colegas a revista íntima totalmente despidos sobre uma mesa. O empregado, insatisfeito, ingressou com ação trabalhista na 6ª Vara do Trabalho de Aracaju com pedido de reparação. A Vara do Trabalho concluiu que houve assédio moral por parte da empresa, que determinava algumas metas inalcançáveis, condenando-a em R$ 100 mil. “Não há dúvidas de que as atitudes adotadas caracterizam um procedimento lesivo à honra e à dignidade do empregado”, concluiu o juiz.

  

Projeto Assaim de Música

A segunda edição do Projeto Assaim de Música promete repetir o grande sucesso do ano passado em Pirambu. Até fevereiro, os maiores nomes da música sergipana estarão se apresentando em um dos cenários paradisíacos do litoral sergipano, a Orla de Pirambu. As apresentações

começam na sexta feira, dia 22, às 20h, com os shows de Jéssica Lieko e a dupla Irmão & Tom Robson. No sábado, dia 23, o agito fica por  conta de Amorosa e a Banda Reação.

 

Lançamento de “Dois Mundos”

Na próxima sexta-feira, 22, às 19hs será lançado o livro “Dois Mundos” de Regina Emiliaana de Cás Bitencourt Botti. O lançamento será no “Coquetel da Cultura”, na Avenida Acrisio Cruz, 144, próximo a Praça da Imprensa.

 

Frase do Dia

“As pessoas podem ser divididas em três grupos: Os que fazem as coisas acontecerem; Os que olham as coisas acontecerem; e os que ficam se perguntando o que foi que aconteceu”.H.J.Brown.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais