Prejuízo dos diabos

0

Caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida que a Zona de Expansão de Aracaju deve pertencer a São Cristóvão, a Prefeitura da capital perderá algo em torno de R$ 100 milhões anuais. Segundo o secretário municipal de Finanças, Jeferson Passos, o prejuízo seria provocado pela perda de receita relativa à arrecadação de impostos municipais e com a suspensão de transferências do ICMS, IPVA, FPM e royalties. É muito dinheiro para uma cidade que deve arrecadar em 2013 cerca de R$ 1,4 bilhão para investir em áreas cruciais como saúde, educação, saneamento urbano, etc. Portanto, para o bem dos aracajuanos, tomara que o Supremo deixe as coisas como estão.

Pode ou não?

A assessoria do prefeiturável Valadares Filho (PSB) informou que ele pode continuar tratando sobre o risco de a Zona de Expansão de Aracaju passar para o território de São Cristóvão. A garantia foi dada pelo juiz eleitoral Mário Cesar Vasconcelos ao conceder efeito suspensivo à liminar proibindo que o assunto fosse tratado no horário eleitoral gratuito. Assessores do candidato João Alves Filho (DEM) revelaram que o magistrado negou o efeito suspensivo. Quem está com a verdade?

Pré-Caju

O prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) assina daqui a pouco o Decreto Autorizativo concedendo à Associação Sergipana de Blocos de Trio o direito de usar o solo público durante o Pré-Caju, que ocorrerá na próxima edição entre os dias 17 e 20 de janeiro de 2013. A solenidade vai acontecer às 11h, no Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos, sede da Prefeitura de Aracaju.

Acessibilidade

“Por um mundo sem barreiras para inclusão plena” é o tema da 6ª Semana da Acessibilidade, que acontecerá em Sergipe de 17 a 21 deste mês. Promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e patrocinado pelo Instituto GBarbosa, o evento contará com apresentações artísticas, palestras, atividades esportivas, caminhadas e o tradicional Prêmio Pipiri, que homenageia personalidades e empresas.

Caça aos votos

A classe política aproveitou a procissão em louvor a Nossa Senhora da Piedade, ocorrida sábado em Lagarto, para se aproximar dos eleitores. O governador Marcelo Déda (PT) acompanhou o cortejo ao lado do prefeito da cidade, Valmir Monteiro (PSC), dos deputados Rogério Carvalho (PT) e Gustinho Ribeiro (PSD) e secretários estaduais. João Alves Filho (DEM) cercou-se do candidato a prefeito de Lagarto, Lila Fraga (PSDB), e dos deputados Zeca da Silva, Angélica Guimarães, Susana Azevedo – todos do PSC – e Capitão Samuel (PSL).

Educação

O Supremo Tribunal Federal (STF) realiza amanhã uma audiência de conciliação para discutir a adoção de livros de Monteiro Lobato pela rede pública de ensino. O caso chegou ao STF através de um mandado de segurança apresentado pelo Instituto de Advocacia Racial (Iara) alegando que a obra do escritor tem “elementos racistas”.

Doações

A Justiça Eleitoral divulgou neste final de semana em seu site os nomes dos doadores para a atual campanha política. Esta é a segunda lista divulgada com informações de doadores e a prestação de contas dos candidatos. Nos pleitos passados, estas informações só vinham a público depois do resultado das eleições.

Bate forte

O prefeiturável Almeida Lima (PPS) postou no twitter que os ex-governadores João Alves Filho (DEM) e Antônio Carlos Valadares (PSB) construíram conjuntos residenciais em Aracaju sem qualquer infraestrutura. Segundo ele, o Santa Maria foi entregue sem saneamento, pavimentação, escolas, creches, postos de saúde e delegacias. Almeidinha diz que, quando foi inaugurado, o Santa Maria era um “depósito de gente”. Danou-se!

Braços cruzados

Os professores da rede estadual vão cruzar os braços terça-feira da próxima semana como parte da luta pelo reajuste salarial de 22,22%. Durante todo o dia eles farão manifestações na Praça Fausto Cardoso e ocuparão as galerias da Assembleia para pedir que os deputados não aprovem o projeto do Executivo concedendo um reajuste de 6% à categoria.

Do baú político

Na década de 80, historiadores sergipanos tiveram que ir a publico desmentir a existência da lenda do cacique Caju Ieba, criada por marqueteiros do primeiro governo João Alves Filho para divulgar o turismo estadual. A falsa história dava conta que, para guiar seus guerreiros, o valente cacique deixava pela mata pedrinhas conhecidas como Ieba. Depois, descobriu-se que as ditas pedrinhas davam sorte a quem as encontrasse. Simultaneamente à falsa lenda, o governo mandou confeccionar milhares de chaveiros de pedrinhas brancas que eram distribuídas pela Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur) a quem visitava Sergipe. Para evitar que a “lorota” ganhasse mais corpo, historiadores foram à imprensa e desmentiram a existência de tal cacique em Sergipe, assim como das pedrinhas da sorte. Encabulado, o governo colocou a viola no saco e a Emsetur destinou ao lixo os chaveiros de pedrinhas, sepultando a história que nunca existiu.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais