Quando será a próxima fuga?

0

Depois que Floro Calheiros e Giusepe Carvalho escafederam-se, resta perguntar ao setor policial de Sergipe quando vai acontecer a próxima e mirabolante fuga. Aliás, o jornalista Giovani Alievi escreve hoje no Correio de Sergipe que existe o risco de o traficante Fernandinho Beira Mar convencer a Justiça a transferi-lo para um presídio sergipano. Assim como ninguém entendeu até agora qual o motivo de terem colocado Floro em um hospital particular em vez do hospital da Polícia Militar, não há resposta lógica para a Polícia ter insistido em manter Giusepe preso mais uma noite se a ordem judicial era transferi-lo imediatamente para Recife. Pior vai ser explicar o porquê de terem mantido um perigoso bandido, responsável por mais de 40 crimes, numa cadeia que mais parece uma colônia de férias. Tem muita coisa errada nessa história e, se ninguém for punido, outros “erros” vão acontecer. Podem esperar.

Mais barata

O custo da cesta básica dos aracajuanos em janeiro último teve retração de 4,55% em comparação com dezembro de 2008. Em relação ao mesmo período do ano passado, a alta é de 9,37%. Essa é a segunda menor elevação em 12 meses no conjunto das capitais do nordeste. A informação foi divulgada ontem pelo Dieese. Pelo levantamento, o custo dos 12 itens essenciais que compõem a cesta básica de Aracaju ficou em R$ 184,48.

Avicultor preocupado


Os criadores de frango estão preocupados com os efeitos da crise financeira, pois o crescimento do desemprego contribui para reduzir o consumo do produto, sem contar com os reajustes já verificados nos preços do milho e da soja. A informação é de Alfredo Franco Sobral, ex-presidente e assistente técnico da Associação dos Avicultores de Sergipe. “Em janeiro, uma saca com 50 quilos de soja em grão custava R$ 45 e hoje seu preço já é R$ 57. A saca com 60 quilos de milho que era vendida por R$ 20 em dezembro, pulou para cerca de R$ 26”, revela.

 

Afrouxando a corda

 

Preocupado com o desemprego, que continuou subindo em janeiro, o governo já estuda uma forma de facilitar acordos coletivos com redução de jornadas e de salário. A informação está na Folha de São Paulo desta quarta-feira. O plano, que começou a ser discutido ontem, prevê redução temporária de tributos sobre a folha de pessoal, condicionada á manutenção de empregos. Também se cogita permitir que o trabalhador saque parte do FGTS para complementar a renda perdida.

A força da PET

A indústria já adotou o uso de garrafas PET no acabamento interno dos carros produzidos no Brasil. Todo automóvel que sai da linha de montagem hoje leva em seu assoalho um carpete feito da fibra de poliéster reciclado. Estima-se que, apenas no ano passado, cerca de 5% das garrafas recicladas de dois litros foram destinadas às fábricas de carros. Até agora, o uso do produto estava limitado ao revestimento do piso e do porta-malas. Mas o PET está prestes a romper essa barreira.

 

Gastando menos

 

O Inmetro anunciou um programa que mede a eficiência energética de lâmpadas e luminárias destinadas ao uso na iluminação pública e orienta prefeituras para que elas utilizem a lâmpada mais adequada. A relevância do programa para a economia dos municípios está na seleção da luminária de melhor rendimento, o que diminui os gastos, e na possibilidade de aprimoramento dos produtos pela indústria nacional, o que aumenta a competitividade. Tomara que os senhores prefeitos vejam com bons olhos esse programa.

Proibir não resolve

Proibir que crianças e adolescentes acessem a internet não é a melhor forma de os pais evitarem que seus filhos sejam vítimas de crimes praticados na rede mundial de computadores. É o que garante Rodrigo Nejm, diretor de prevenção da organização não-governamental (ONG) Safernet Brasil, voltada ao combate a irregularidades cometidas por internautas. “Pesquisas mostram que 65% dos jovens acessam a internet fora de casa. O que fazer nestes casos?”, pergunta. A saída, segundo ele, é os pais manterem um diálogo franco com seus filhos sobre os perigos existentes na rede mãe.

Evite bolinho

 

Pesquisa feira pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor com 15 bolinhos e 15 salgadinhos comuns em lanches infantis aponta que as guloseimas têm alto teor de açúcares, gordura e sódio. Dezoito dos 30 produtos examinados também apresentaram, segundo o Idec, índices de sódio e gordura superiores ao informado no rótulo. No caso dos bolinhos, os índices mais preocupantes são os de açúcares. Quer um conselho? Prefira as frutas.

 

Desconfiados

 

Os remédios genéricos estão há 10 anos no mercado e, apesar de serem pelo menos 35% mais baratos que os remédios de referência e terem a garantia de eficácia e qualidade da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a maioria da população ainda prefere pagar mais caro pelo medicamento “de marca”. A participação dos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro é de 18%, enquanto em economias desenvolvidas como a dos Estados Unidos e da Europa, a participação atinge 50%.

 

Projeto Verão

 

O vice-prefeito de Aracaju, Silvio Santos (PT), fará, logo mais às 10 horas, uma visita à megaestrutura montada pela Prefeitura para receber os grandes shows do Projeto Verão 2009. Tudo já está pronto em frente à Passarela do Caranguejo, na orla de Atalaia. De amanhã (12) ao próximo domingo (15), a Prefeitura vai proporcionar aos aracajuanos e turistas muita música de qualidade e a custo zero. No palco principal, passarão atrações como Lenine, ExaltaSamba, Gilberto Gil, Detonautas, Charlie Brown Jr. e O Rappa.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários