SANTO IVO, a inspiração de uma vida dedicada à justiça e à caridade.

0
Estátua de Santo Ivo, na Charles Bridge, em Praga (1711)

Yves Hélory de Kermartin, mais conhecido como Santo Ivo, foi um frade franciscano que se tornou o santo católico padroeiro dos advogados(as).

Com origem familiar na pequena nobreza, nasceu em 17/10/1253 e faleceu, aos 50 anos, em 19/05/1303, em Tréguier, Bretanha, sua cidade natal, onde está sepultado na Catedral.

Sagrou-se cavaleiro aos 14 anos, dedicando-se aos estudos de Teologia na Universidade de Paris, onde foi discípulo de São Tomás de Aquino. Após muito estudo e dedicação espiritual, inspirado por São Boaventura, tornou-se franciscano ascético e doou aos pobres suas riquezas, em ato de fraternidade.

Posteriormente, aplicou-se ao estudo do Direito Civil e Canônico, em Orleans, tornando-se bacharel e advogado, tendo sido nomeado juiz civil, episcopal e eclesiástico da arquidiocese de Rennes, pelo rei da Bretanha, com competência plena para todas as causas.

Em 1284, foi ordenado sacerdote, mas permaneceu advogado.
Ivo transformou a própria casa, que herdara dos pais, em asilo, orfanato e hospital, mas também no seu escritório, onde atendia os pobres e desamparados. Devido a sua caridade e extrema dedicação às causas dos menos favorecidos, conquistou o reconhecimento de todos e o título de advogado e protetor dos pobres.

Mas Santo Ivo não se destacou somente pela sua fraternidade, caridade e compaixão, mas também pelas suas inéditas, inteligentes e habilidosas atuações em suas defesas, enquanto advogado, sempre em prol dos mais pobres e oprimidos. É do Santo a frase: “jura-me que sua causa é justa e eu a defenderei gratuitamente”.

Como juiz, Santo Ivo se tornava venerado até pela parte vencida. Nunca aceitava presentes e sempre buscava a conciliação como solução dos conflitos. É dele a máxima: “é melhor um acordo razoável do que uma boa briga”.

Em 1287, renunciou a todos os cargos oficiais, devotando o seu tempo aos paroquianos, como sacerdote e advogado. Santo Ivo costumava passar suas noites em vigília, oração e estudos, bem como saía pelas ruas em busca dos
desamparados para lhes prestar ajuda material e espiritual, cuidados e orientações.

Foi canonizado pelo Papa Clemente VI, pela Bula de 19 de maio, em Avignon. Em Roma, a igreja de Sant’Ivo Allá Sapienza é dedicada à sua memória. Em São Paulo, no Largo da Batalha (Ibirapuera), foi construída, pelos padres agostinianos e financiada pelas famílias de advogados residentes no bairro, a Igreja de Santo Ivo, que guarda uma relíquia histórica: um pedaço do osso do santo, recém-chegado da França. Nessa paróquia, anualmente, nessa data, a OAB/SP, o IASP e a AASP organizam a celebração da missa em homenagem ao santo protetor dos pobres.

A sua imagem é representada com uma bolsa na mão direita pelo dinheiro que ofertou aos pobres, e um papel na outra, pelo ofício de advogado ou, então, o Santo entre um homem rico e um pobre. Como legado, Santo Ivo deixou a inspiração para a criação da Defensoria Pública, que também comemora o seu dia nessa data.

A história deste advogado santo está bem contada no livro: “Santo Ivo, História da Advocacia e do seu patrono”, de Arthur de Castro Borges, publicado pela Editora Ltr. Em tempos líquidos e eivados de individualismo, nada melhor do que rememorar e celebrar a história e biografia de grandes vultos da humanidade, em busca de inspiração para os nossos dias, tão carentes de justiça social, empatia, compaixão, sentimento coletivo e solidariedade.

Que a vida de Santo Ivo possa nos inspirar!

Oração a Santo Ivo:
Glorioso Santo Ivo, lírio da pureza, apóstolo da caridade e defensor intrépido da justiça. Vós que, vendo nas leis humanas um reflexo da lei eterna, soubestes conjugar maravilhosamente os postulados da justiça e o imperativo do amor cristão, assisti, iluminai, fortalecei a classe jurídica, os nossos juízes e advogados, os cultores e intérpretes do direito, para que nos seus ensinamentos e decisões, jamais se afastem da equidade e da retidão. Amem eles a justiça, para que consolidem a paz; exerçam a caridade, para que reine a concórdia; defendam e amparem os fracos e desprotegidos, para que, posposto todo interesse subalterno e toda afeição de pessoas, façam triunfar a sabedoria da lei sobre as forças da injustiça e do mal. Olhai também para nós, glorioso Santo Ivo, que desejamos copiar os vossos exemplos e imitar as vossas virtudes. Exercei junto ao trono de Deus vossa missão de advogado e protetor nosso, a fim de que nossas preces sejam favoravelmente despachadas e sintamos os efeitos do vosso poderoso patrocínio. Amém.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários