Seis por meia dúzia

0

Ao contrário do discurso oficial, não houve qualquer reforma no secretariado do governo. Até agora ocorreu apenas um remanejamento de peças. Como os convidados para ocupar secretarias já integravam a administração estadual, não deve haver mudança alguma no perfil do político governo, que continuará centralizado nas mãos do governador Marcelo Déda (PT). E, para ter certeza que as coisas acontecerão como dantes, o petista ainda criou um ‘núcleo de governança’ para lhe oferecer suporte enquanto estiver temporariamente afastado tratando de um câncer no estômago. A relutância do governador em arejar seu secretariado com nomes novos só tem duas explicações: ou ele está satisfeito com a velha e desgastada equipe, ou o PT e os partidos aliados não possuem quadros para ajudar a Déda concluir o 2º mandato.

Codise

O colega Gilvan Manoel publica no Jornal do Dia a seguinte nota: “Deputados ainda hoje questionam a permanência de Décio Portela na presidência da Codise, um dos órgãos mais importantes do estado. Décio foi colocado no cargo quando o deputado Zeca da Silva (PSC) era secretário da Indústria e continua mesmo depois do rompimento político do parlamentar com o governo. E Décio recebe Zeca quase diariamente em seu gabinete”. Homem, vôte!

Nova agência

Acontece nesta segunda-feira a inauguração da agência da Caixa Econômica Federal em Ribeirópolis. Localizada na Praça Barão do Rio Branco, no centro da cidade, a nova unidade proporcionará um melhor atendimento à população do município e das cidades circunvizinhas que integram a região do agreste sergipano. Em Sergipe, a Caixa passará a contar com 376 pontos de atendimento.

Aperte o cinto

É bom o servidor estadual refazer seus cálculos, pois o contracheque deste mês estará magérrimo. Sem dinheiro em caixa, o governo anunciou que não pagará agora em novembro a parcela referente a diferenças de reposição salariais, os adiantamentos de férias ou gratificações especiais e o adiantamento do décimo terceiro. Essa ‘grana’, que para muitos representa mais do que o salário, só deverá se paga em dezembro através de folha complementar. Que miserê, sô!

Panetone

O panetone, muito consumido no período natalino, será um dos principais responsáveis pela elevação das vendas nas padarias sergipanas. Segundo o presidente do Sindicato dos Panificadores, Antônio Carlos Araújo, o panetone produzido em Sergipe é mais barato e bem mais fresco do que os importados de outros estados. O sindicalista acredita que o setor deve vender em dezembro 20% a mais na comparação com outubro e novembro.

Caia fora

Ir aos shopping’s de Aracaju ficou mais caro, pois já na entrada o suplicante terá que pagar R$ 4 para estacionar o veículo. Ressalte-se que no Jardins o cliente ainda corre o risco de ser espancado pelos seguranças brutamontes. Lembram que outro dia um cidadão foi morto a pancadas no interior daquele shopping? A alternativa, portanto, é passar longe dos dois centros de compra.

Decoração

O prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) concede entrevista coletiva daqui a pouco para falar sobre decoração natalina de Aracaju. O encontro do comunista com a imprensa vai acontecer no Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos. A expectativa é que ele também fale sobre o tradicional Réveillon da Orla de Atalaia.

Emendas

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) se reúne amanhã no gabinete dele, em Brasília, com a bancada federal de Sergipe. O encontro visa definir as emendas da bancada sergipana a serem apresentadas à Lei Orçamentária Anual 2013. O prazo para entrega das emendas à Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) termina na próxima quinta-feira.

Cultura

Quem gosta de cultura tem dois compromissos nesta semana. Amanhã à noite o professor José Paulino da Silva lançará o livro ‘Elogio da Amizade – um registro de memória e experiência’. Será a partir das 19h, no Iate Clube de Aracaju. Na quarta-feira será a vez de o artista plástico José Fernandes inaugurar exposição na Galeria José de Dome, localizada no bairro Farolândia.

Do baú político

Essa quem conta é o jornalista Eugênio Nascimento, em seu blog ‘Primeira Mão’: “Por conta do encaminhamento de projeto que viabilizou a ida da Universidade Federal de Sergipe para o interior do estado, o então reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho recebeu algumas homenagens de Câmaras Municipais. Numa delas, um vereador pegou o microfone e dirigiu-se a Josué, chamando-o de disjuntor. Um outro parlamentar percebeu o erro e pediu um aparte: ‘Caro colega, vossa excelência errou quando chamou o professor Josué de disjuntor. Na verdade, ele é o reator’. Um assessor da Universidade saiu correndo saiu para lembrá-los que Passos era reitor.”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais