SOLIDARIEDADE À CASSETA

0

 

 

 

Cartas do Apolônio

 

Lisboa, 29 de julho de 2005

 

Caros amigos de Sergipe:

 

Muito barulho por nada. Foi o que fizeram alguns deputados federais na semana passada contra os garotos do programa Casseta & Planeta. Só porque a Maria Paula, num dos programas que faz semanalmente em troca de um bom dinheiro, interpretou uma prostituta e foi abordada por um deputado.

Este lhe perguntou se ela era ‘de putada’, digo deputada. Ela reagiu indignada. Reclamaram também da vacina contra a febre afurtosa, pasmem os senhores! Ora meus amigos, o que é um erro fonético diante do festival de maracutais e mensalões protagonizado pelos próprios representantes do povo?

Não está se salvando ninguém. Do jeito que a coisa vai, daqui uns dias sobra até para a Madre Tereza de Calcutá.  Dizem que algumas parlamentares choraram copiosamente ao ver a fita do programa na procuradoria da Câmara e que iam recorrer à Justiça. Faziam tanto barulho com o chororô que o pessoal chegou a reclamar que não estavam conseguindo ouvir direito as piadas.

Umas exageradas sem a menor dúvida! Seria de bom tom avisar que programa de humor é pra rir, não o contrário.
Dizem que até o Severino ficou indignado (também pudera, ele sabe que os ‘Cassetas’ são mais engraçados).

O presidente da Câmara, inteligentemente, prometeu criar uma lei proibindo a exibição de programas humorísticos que veiculem piadas sobre políticos nos meios de comunicação brasileiros. Se é pra garantir a reserva de mercado diga logo.


Os globais negaram-se a falar sobre o assunto, embora se mostrem preocupados com o eventual desemprego de alguns colegas. Dizem que eles mesmo, não temem a concorrência, mas acreditam que emissoras com menos estrutura que a Globo podem ser prejudicadas com a nova medida.


Ainda assim emitiram uma nota (ops!!) onde dizem que não tiveram intenção de ofender nem deputados nem prostitutas. Apenas fizeram um paralelo entre duas categorias profissionais que, coincidentemente, aceitam dinheiro para mudar de posição. Achei corretíssimo!

 

Os rapazes também não viram problema em ceder um espaço para o direito de resposta dos deputados, pois consideram o quadro bastante coerente com a linha do programa. “Duvidar, quem há de?”, como diria TB.


Por fim avisam que se optassem por usar o espaço cedido espontaneamente, as gravações aconteciam na próxima segunda feira. Somente aí foi que os ânimos dos parlamentares foram arrefecidos. “Vai atrapalhar o descanso!”, disse um. “Fica o dito por não dito” finalizou o Severino. Sábias palavras, venceu o bom senso.     

 

Até semana que vem

 

Um abraço do

 

Apolônio Lisboa.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários