Tensão no interior

0

Diferente de Aracaju, onde o eleitor assiste a campanha mais insossa da história da capital, no interior sergipano a tensão política tem aumentado na medida em que se aproximam as eleições. Diariamente são registradas ameaças e agressões entre cabos eleitorais e candidatos. Preocupado com a manutenção da ordem, o TRE já acatou pedidos de forças federais para 17 municípios. Mas para que o reforço seja enviado, ainda falta a aprovação pelo Tribunal Superior Eleitoral, o que deverá acontecer nos próximos dias. Em Feira Nova, por exemplo, a Justiça proibiu manifestações públicas visando conter a violência entre os partidários dos candidatos. Tomara que ações como esta sejam suficientes para impedir que a campanha no interior se transforme numa batalha campal com mortes a lamentar.

Agressão

O candidato a vereador por Capela, José Oliveira de Melo (PSC), o ‘Nenem da Pirunga’, foi espancado e teve o carro queimado quando visitava a mãe na zona rural daquele município. A vítima foi transferida muito machucada para um hospital em Aracaju. Primo de ‘Nenem’, o senador Eduardo Amorim (PSC) vai hoje pedir providências contra os agressores ao secretário da Segurança Pública, João Eloi.

Mudança

Desde ontem Sergipe está sendo administrador pelo vice Jackson Barreto (PMDB). É que o governador Marcelo Déda (PT) viajou para São Paulo visando fazer uma revisão da cirurgia no pâncreas realizada há três anos. No início da semana, o petista suspendeu todos os compromissos públicos devido a dores que vinha sentindo no abdômen. A previsão inicial é que Déda permaneça na capital paulista até a próxima semana.

Entusiasmo

Mesmo em São Paulo para fazer uma bateria de exames, Marcelo Déda não tira a atenção da disputa eleitoral em Sergipe. Ontem, logo após ter chegado na capital paulista, o governador postou o seguinte no twitter: “Aqui em Sampa, fazendo exames, não posso deixar de lhes informar: o tracking indica crescimento seguro de Valadares Filho. Pra rua, militância! 40!”.

Luto

Único sergipano a ocupar a superintendência da Petrobras no estado, o engenheiro Dênio Roberto de Brito Franco faleceu terça-feira passada em Salvador. Em nota, a Associação de Mantenedores-Beneficiários da Petros afirmou que Dênio Roberto sempre representou um exemplo para todos que tiveram o privilégio de com ele conviver. O engenheiro foi sepultado quarta-feira última no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

Na Justiça

Como era previsto, a disputa pela vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado acabou na Justiça. Ontem, o secretário da Educação, Belivaldo Chagas, impetrou um mandado de segurança preventiva para garantir o direito de ser sabatinado pelos deputados de acordo com o que prevê o regimento interno da Assembleia. A preocupação de Chagas é ser atropelado pelos deputados que simpatizam com a candidatura de Susana Azevedo (PSC). Essa briga promete!

Processado

O Ministério Público Eleitoral (MPE) representou judicialmente o prefeiturável João Alves Filho (DEM) por propaganda eleitoral irregular. O demista é acusado de fazer campanha em igrejas católicas e evangélicas de Aracaju. Na representação, o MPE lembra que a legislação proíbe fazer propaganda eleitoral em ambientes de uso comum, mesmo que eles sejam de propriedade privada.

Tiririca

Depois de participar, amanhã à tarde, de uma carreata organizada pela coligação de João Alves Filho, o deputado federal Francisco Everardo (PR), o “Tiririca”, vai a Itabaiana ajudar o partidário e candidato a prefeito Valmir de Francisquinho. Entrevistado na rádio Liberdade/FM pelo jornalista Jason Neto, “Tiririca” confessou que está desiludido com a política, pois seu esforço parlamentar não tem resultado em benefícios para o povo.

Turismo

“Turismo e energias sustentáveis” foi o tema da mesa redonda realizada ontem à noite no auditório da Faculdade Estácio FASE. Participaram como debatedores o secretário interino de Turismo, José Roberto de Lima, Francisco Pedro de Jesus (SergipeTec) e o professor Lício Valério (IFS). O evento fez parte da programação pela passagem do Dia do Turismo, comemorado ontem.

Do baú político

Em 1982, Antônio Carlos Valadares foi dormir praticamente certo que seria candidato a governador. Na manhã do dia seguinte perdeu a indicação para João Alves Filho e teve que se contentar em compor a chapa governista na condição de vice. Desde que tomou posse como governador em 1979, Augusto Franco começou a trabalhar o nome de Valadares para sucedê-lo, porém na manhã da convenção, foi convencido pelo filho Albano Franco que João Alves era a melhor alternativa, pois detinha grande popularidade em Aracaju, onde foi prefeito biônico. Atônito, Valadares tentou reagir. Foi ao Palácio, mas o governador já havia batido o martelo em favor de João, numa chapa onde Albano aparecia como candidato ao Senado e Augusto Franco à Câmara Federal. Político experiente, Valadares não reagiu ao golpe, preferindo adiar seu projeto, concretizado em 1986, quando se elegeu governador com o apoio de João, Augusto Franco e Albano. Há quem garanta, no entanto, que o político simãodiense jamais esqueceu a rasteira que levou naquela manhã de 1982.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais