Unidos pela Fafen

0

Foi preciso a Petrobras anunciar o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) para que os políticos sergipanos se unissem em defesa de Sergipe. Até este episódio, o que se via eram brigas paroquiais em torno das poucas migalhas distribuídas por este governo temerário. Enquanto a maioria dos políticos se engalfinha para mostrar prestígio em Brasília, Sergipe desce a ladeira como um caminhão sem freio. Não há políticas definidas para setores vitais como segurança, saúde e educação. Pior, a falta de planejamento afugenta investimentos, destruindo nossa economia, provocando o fechamento de empresas e aumentando o enorme exército de desempregados. Tomara que a ameaça de fechamento da Fafen tenha servido de alerta para que a classe política troque as pendengas miúdas, os caprichos pessoais por em debate macro, voltado ao crescimento econômico e social de Sergipe.

Opera no vermelho

Não será fácil convencer o corpo técnico da Petrobras sobre a manutenção da Fafen. Segundo Jorge Celestino Ramos, diretor de refino e gás natural da estatal, a fábrica teve um prejuízo de R$ 600 milhões só no ano passado. “Quando você olha para os próximos 12 anos, esses resultados não mostram perspectiva de reversão, ou seja, continuam operando com resultado negativo”, disse.

Festa verde

O Partido Verde oficializa hoje a pré-candidatura de Reynaldo Nunes a senador. O presidente nacional do PV, Luiz Pena, prestigiará a solenidade, marcada para as 15h, na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe. Os verdes também já decidiram se coligar com o partido Rede, liderado em Sergipe pelo ex-vereador Emerson Ferreira.

Alvo errado

Fosse sério, este governo temerário direcionava para outros estados boa parte dos bilhões gastos com a segurança no Rio de Janeiro. Segundo o Atlas da Violência, a taxa de crimes no Rio é de 30,6 homicídios para cada 100 mil habitantes, enquanto que em Sergipe são 58,1 mortes violentas para cada grupo de 100 mil moradores. Em Alagoas (52,3) e no Ceará (46,7) a situação também é pior do que a dos cariocas.

Torneiras vazias

Antes de se recuperar dos transtornos causados pelo apagão de ontem, moradores de Aracaju e Socorro vão ficar sem água nesta quinta-feira. É que a Deso suspendeu o fornecimento por cinco horas em várias localidades dos dois municípios. A suspensão do abastecimento visa realizar uma manutenção corretiva. Então, tá!

Não abre mão

A Prefeitura de Aracaju vai recorrer contra a decisão do Tribunal de Justiça, que cancelou o reajuste do IPTU. A administração municipal jura que já houve a revogação do aumento anual de 30% no tributo. Ademais, diz a Prefeitura, “o dinheiro arrecadado é investido nas obras executadas na cidade, nas ações da administração e nos serviços ofertados”.

Pisou em falso

O Sindicato dos Jornalistas e Sergipe condenou o associado Carlos Batalha por ter se fundamentado em “fake news” para criticar a falecida vereadora carioca Marielle Franco. Baseado em notícias falsas, o profissional da imprensa associou a vereadora ao Comando Vermelho e ao tráfico de drogas. Segundo o Sindijor, “a mídia deve ser um instrumento de proclamação do bem e da verdade, jamais para incitar o ódio, a intolerância, o preconceito, o racismo e a violência”. Certíssimo!

Transparência zero

E a presidente da Câmara de Socorro, vereadora Maria da Taiçoca (PSD), foi denunciada à Justiça por improbidade administrativa. Ela é acusada pelo Ministério Público de descumprir da Lei de Acesso à Informação, pois se recusa a tornar pública a folha salarial dos servidores.

Operação salvamento

As atenções do país estão voltadas para Brasília. É que o Supremo Tribunal Federal julga hoje, habeas corpus que tenta impedir a prisão de Lula da Silva (PT) após o fim dos recursos na segunda instância. A expectativa é de que os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Celso de Mello votem contra a prisão em segunda instância. Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux e Alexandre de Moraes devem votar a favor. Aguardemos, portanto!

Cutucando JB

Não convidem para o mesmo folguedo o governador Jackson Barreto (MDB) e o vereador aracajuano Carlito Alves PRB). O parlamentar ficou tiririca ao saber que JB disse desconhecê-lo. Em discurso na Câmara, Carlito chamou o governador de mentiroso e o aconselhou a “baixar o facho e ir pra casa”. Misericórdia!

Recorte de jornal

Publicado no Jornal do Aracaju, em 30 de março de 1873

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários