Usura processada

0

A absurda cobrança de estacionamento nos dois shoppings de Aracaju voltou ao banco dos réus. Agora foi a Defensoria Pública de Sergipe que moveu ação civil contra a prática por achar que ela vai de encontro ao princípio da proporcionalidade, “dando a impressão de enriquecimento ilícito”. Os comerciantes instalados no Riomar e no Jardins também deveriam recorrer à Justiça para pedir ressarcimento dos enormes prejuízos causados pela usura dos donos daqueles centros de compras. Quanto aos aracajuanos, estes devem continuar protestando contra a cobrança de estacionamento, pois quem paga para ter direito a comprar alguma coisa é, no mínimo, otário.

Tão se achando

Achando pouco a mordaça que colocaram no governo após terem virado maioria na Assembléia, deputados da oposição desejam agora editar a fala do vice-governador Jackson Barreto (PMDB). Alguns chagaram a insinuar que o peemedebista deveria tratá-los com mais civilidade. Só falta pedir ao governo que censure as falas de Jackson. Estão perdendo tempo e saliva. Pois sim!

Leve e solto

E o deputado estadual Adelson Barreto ganhou ontem o direito de trocar o PSB por outro partido. Por unanimidade, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral acatou o pedido do parlamentar para deixar a legenda sem risco de perder o mandato. O deputado federal Valadares Filho disse que a direção do PSB não pretende recorrer da decisão. Portanto, Adelson está livre para voar.

Cotidiano

Conversa em frente à Catedral Metropolitana de Aracaju: “Viu como ultimamente as coisas não têm dado certo para o governo? Será que Marcelo Déda está voando?”. “Se tá? Literalmente!”.

Castração

Os cães e gatos de Aracaju devem colocar os ‘bagos’ de molho. É que tramita na Câmara Municipal projeto sugerindo a esterilização cirúrgica dos totós e bichanos. Ou seja, querem cortar os ‘documentos’ dos coitadinhos. E como vai ser o namoro da gataria na calada da noite em cima dos telhados?

Causa justa

Os trabalhadores responsáveis pela alimentação do Hospital de Urgência de Sergipe agiram certo ao cruzarem os braços no dia de ontem. Eles ainda não viram a cor do salário de novembro e não sabem quando vão receber o 13º. Ora, quem não consegue colocar comida em casa não possui motivação para cozinhar para os outros. E, se tentar, termina queimando a gororoba.

Grana na mão

O governo estadual começa a pagar hoje a segunda parcela do 13º salário aos servidores. Até a próxima sexta-feira, todos já terão colocado a ‘grana’ no bolso para gastar com as compras de Natal. Pela previsão do governo, esta parcela do décimo e a folha salarial deste mês significam mais de R$ 500 milhões injetados na economia sergipana. Legal!

Fuleragem

Tramita na Câmara Municipal de Lagarto um Projeto de Lei instituindo aposentadoria a todos os vereadores que presidirem aquele parlamento por oito anos ininterruptos ou 10 anos intercalados. O vereador Flamarion Déda (PT) garante que, se for aprovada, a propositura será derrubada judicialmente, pois fere a constituição. Ele tá certo! A galera precisa entender que mandato eletivo não é profissão, que garante aposentadoria por tempo de serviço.

Piração

Ô Huguinho, esse tal de “Calendário Maia”, que previu o fim do mundo para o próximo dia 21, é seu parente, é? Cabra doido, né? Deve ter fumado muita maconha estragada.

Do baú político

Convidado pelo então governador Albano Franco (PSDB), o coronel de Exército Antônio Freitas Alcântara comandou a Polícia Militar de Sergipe por nove meses, tendo deixado o cargo após um aquartelamento que durou oito dias. O coronel era visto por alguns policiais como vacilão. Essa pecha, contudo, caiu por terra numa manhã, durante a formatura matinal no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap). Após falar sobre respeito aos superiores, coronel Alcântara deu o comando de “um, dois” e se agachou, sendo seguido pela tropa, com exceção de dois oficiais, que permaneceram de pé. Aí a coisa ficou feia, pois o oficial do Exército sacou a pistola, engatilhou e se dirigiu aos ‘rebeldes’. Conversou com ambos baixinho e repetiu o comando de “um, dois”. Ele e toda a tropa se agacharam, inclusive os dois oficiais. Foi um alívio para todo mundo.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários