Vice prestigiado

0

Ao afirmar ser cabo eleitoral de Jackson Barreto (PMDB) e que não existe atritos entre os dois, o governador Marcelo Déda (PT) lembrou os cartolas do futebol. Estes costumam ir à imprensa dizer que o treinador do time está prestigiado dias antes de o colocarem no olho da rua. Calejado com as artimanhas da política, certamente o vice não deve ter ficado de todo tranquilo com os afagos do aliado. E a pulga atrás da orelha do peemedebista tem razão de ser, pois os elogios foram feitos por Déda justamente na posse do petista Sílvio Santos na Casa Civil do Governo, espaço que era ocupado por Jorge Alberto, uma das principais lideranças do PMDB e que parece ter sido colocado de escanteio. Portanto, é bom Jackson colocar as barbas de molho para não descobrir tarde demais que está sendo “prestigiado”.

Posses

Sílvio Santos e Pedro Lopes, ambos do PT, foram empossados ontem respectivamente na Casa Civil e Secretaria Estadual de Governo. Os dois substituem Jorge Alberto e Francisco Dantas, este último aliado do deputado federal e prefeito eleito de Canindé, Heleno Silva (PRB). Ao empossar os auxiliares, o governador Marcelo Déda comparou as mudanças com o futebol, onde o técnico, na metade do jogo, precisa realizar alterações no time. Então, tá!

Sem escola

Entre os anos 2000 e 2010, o número de jovens que não estudam, não trabalham e não procuram emprego aumentou consideravelmente. A proporção passou de 16,9% para 17,2% das pessoas entre 15 e 29 anos. Entre os homens nessa faixa etária, 11,2% estavam nessa situação em 2010, enquanto entre as mulheres o percentual foi 23,2%, sendo que dois terços das que não estudavam e não trabalhavam eram casadas e 61,2% tinham filhos.

No xilindró

E o prefeito eleito de Tomar do Geru, Augusto da Padaria (PPL), foi detido ontem por policiais civis e federais sob a acusação de integrar um grupo responsável por roubo de cargas na região Sul de Sergipe. Outras quatro pessoas também foram em ‘cana’. Desencadeada ontem em três municípios, a operação policial apreendeu 10 toneladas de produtos ilícitos e vários veículos. Misericórdia!

Quer saber

A coluna Periscópio do Jornal da Cidade publica hoje a seguinte nota: Questionado sobre a realização de concurso público para a Polícia Militar, o governador Marcelo Déda afirmou não poder dar início ao processo sem que o Legislativo vote uma série de projetos que dizem respeito à corporação. “Vocês têm notícias de como andam esse projetos na Assembleia?”, perguntou aos jornalistas. Oxente, e quem deve saber sobre isso não é o líder do governo?

Ataque ao bispo

“O povo de Estância clama a presença do núncio apostólico para apuraras as loucuras do Bispo Diocesano”. O apelo está em uma das cinco faixas expostas por católicos nas principais ruas de Estância. A reação contra o bispo daquela Diocese, dom Marco Eugênio, são antigas. Anteriormente, alguém colocou uma cobra na Igreja do Bairro Bomfim justamente no momento em que o bispo celebrava missa. Foi um Deus nos acuda.

Sem crime

O médico José Carlos Pinheiro retirou ontem a queixa crime contra seis estudantes do coletivo Levante Popular da Juventude. Eles estavam sendo processados por terem acusado Pinheiro de, enquanto médico da Marinha, ter contribuído com torturadores durante o regime militar. Em discurso ontem na Assembleia, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) elogiou a decisão do acusado de encerrar o processo judicial.

Marighella

Os 101 anos de Carlos Marighella, um dos principais organizadores da resistência contra o regime militar, serão lembrados hoje a tarde com um ato-show na praça Fausto Cardoso, em Aracaju. Entre os que já confirmaram presenças estão o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, e o ex-preso político Miguel Trujillo. Marighella foi fuzilado em 1969 ao ser surpreendido numa emboscada em São Paulo por agentes da repressão comandados pelo delegado Sérgio Fleury.

Recorreu

A prefeita de Japaratuba, Lara Moura (PR), recorreu contra a decisão do Superior Tribunal Eleitoral, que reconheceu o registro da candidatura de padre Gerard Olivier (PT), prefeito eleito daquele município. Ele era acusado de ser ficha suja por ter tido as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado. No embargo de declaração, Lara deseja eliminar suposta obscuridade, omissão ou contradição na sentença do TSE.

Do baú político

Essa história é da lavra do jornalista Luiz Eduardo Costa: Os presos políticos da primeira fornada, logo após 1964, já estavam quase todos soltos. Embora ameaçados de perderem os empregos, alguns funcionários dos Correios resolveram fazer uma comemoração. Mandaram preparar uma feijoada, que foi colocada em dois grandes caldeirões e transportada para a praia de Atalaia. Nisso, chegam duas viaturas do Exército. Foram todos empurrados contra uma parede, ficando de costas para os militares, que, com a ponta dos fuzis, futucaram-lhes os corpos. Como não havia ninguém armado, se voltaram contra a feijoada. Enfiaram as baionetas nos caldeirões e puseram-se a mexer a suculenta. Como só encontrassem tripa, costelinha, jabá, mocotó e muito feijão, investiram contra as garrafas de vodka, cachaça e cerveja, e quebraram todas. Cumprida a missão, os militares voltaram às viaturas e foram saindo. Aí, o grupo não conteve uma sonora e coletiva gargalhada. O sargento retornou colérico: “Por acaso vocês estão rindo do glorioso Exército Brasileiro, seus comunistas de merda?”. E ouviram uma temerária resposta: “Não, senhor, é porque disseram que uma feijoada mexida com baioneta fica bem mais gostosa”. Perderam toda a comida, pois o óleo dos azeitados fuzis ficou sobrenadando nos panelões da feijoada.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários