Volta ao batente

0

Contrariando a equipe médica, que deseja vê-lo longe de atividades estressantes, Marcelo Déda (PT) reassumiu ontem o governo para tentar convencer a maioria da Assembleia a aprovar o empréstimo de R$ 727 milhões pretendido pelo estado. Domingo próximo, ele retorna ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde se submeterá ao quarto ciclo de quimioterapia visando combater o câncer no estômago. Tomara que o esforço do governador ajude a abrandar a oposição que, sob o comando dos irmãos Amorim, pretende negar o pedido de empréstimo, mesmo sabendo que, se não tiver acesso aos recursos, Sergipe se transformará numa terra arrasada, com graves consequências para a economia sergipana.

Mobilização

O vice-governador Jackson Barreto (PMDB) promoveu ontem uma grande reunião em Aracaju em favor da aprovação pela Assembleia do empréstimo de R$ 727 milhões. Participaram prefeitos atuais e eleitos, deputados governistas, lideranças sindicais e comunitárias. A idéia é organizar grandes mobilizações populares para mostrar aos deputados oposicionistas que Sergipe está acima de picuinhas políticas.

Sem ofensa

Por que o governo já não mandou para os deputados todos os projetos a serem executados em Sergipe com os R$ 727 milhões do empréstimo que pretende fazer? Ou será que ainda estão sendo elaborados? Perguntar não ofende.

Página virada

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres de Britto, sepultou ontem o desejo daqueles que sonhavam vê-lo disputando o cargo eletivo em 2014. “O livro da vida nos ensina a virar páginas. E esta página da política partidária está definitivamente virada”, disse Britto. Ele se aposenta compulsoriamente no próximo dia 16, quando completa 70 anos de idade.

Corrupção

O Poder Judiciário deve estabelecer metas visando combater sobretudo a improbidade administrativa e os crimes de corrupção praticados por gestores públicos. Foi o que defendeu ontem em Aracaju o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Ele veio a Sergipe participar como palestrante do VI Encontro Nacional do Judiciário, organizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Barbosa assume a presidência do STF no próximo dia 22.

Ninguém quer

Bastou o deputado Francisco Gualberto (PT) acenar com a possibilidade de deixar a liderança do governo na Assembleia para vários colegas de bancada se apressarem em elogiar sua atuação. Ontem mesmo o deputado Jeferson Andrade (PSD) elogiou a atuação do petista, incentivando-o a não abrir mão do calvário. Na verdade, os parlamentares governistas querem mesmo é distância da batata quente que é o cargo de líder do governo.

Não gostou

As queixas do deputado Adelson Barreto contra a direção do PSB desagradaram o senador Antônio Carlos Valadares, que reagiu pelo twitter: “Adelson não precisa inventar motivo pra sair do PSB. É melhor ele ir logo para os Amorim, onde já está, sem precisar nos agredir”. Segundo Valadares, para apoiar a candidatura de Barreto a prefeito de Laranjeiras, o partido teria que cometer uma fraude eleitoral, pois “ele nunca foi eleitor e nem sequer tinha domicilio eleitoral naquele município”. Homem, vôte!

Barraco

O presidente do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Aracaju, Nivaldo Fernandes, aprontou ontem o maior barraco na Câmara de Vereadores. Ao lado de outros servidores e até de estudantes, o sindicalista promoveu tanto barulho nas galerias que o presidente da sessão, Emannuel Nascimento (PT), suspendeu os trabalhos e chamou a Polícia. Ânimos serenados, a maioria dos vereadores fez a alegria de Nivaldo e aprovou em 1ª discussão o projeto de Lei do Estatuto do Servidor.

Gazeteiro

Vejam o que publica hoje a coluna Periscópio, do Jornal da Cidade: “O radialista Gilmar Carvalho (PR) começou mal seu mandato na Assembleia Legislativa. Ele assumiu na semana passada e já vai se ausentar durante os próximos dias para apresentar seu programa radiofônico diretamente do gabinete do senador Eduardo Amorim (PSC), em Brasília. Aliás, quem escuta o programa de Gilmar tem a impressão que ele é sempre transmitido do gabinete do senador”.  Por que será?

Catiripapo

Depois de ter lavado um bofetão ontem em Macambira, o padre José Américo correu para pedir proteção ao secretário da Segurança Pública, João Eloy. Acompanhado do arcebispo metropolitano de Aracaju, dom Palmeira Lessa, o vigário solicitou providências contra o agressor. Opositor radical do prefeito reeleito Ricardo Souza, padre Américo quase foi preso no dia da eleição sob a acusação de fazer boca de urna. Estaria colhendo o que plantou?

Do baú político

Eleito em 1967 para a Câmara Municipal de Aracaju, o empresário do ramo funerário Agnaldo Menezes (MDB) foi um dos vereadores mais destemidos da capital. Em depoimento ao jornalista Osmário Santos, o ex-parlamentar, falecido em 2004, contou que todas as vezes que ia usar a tribuna era advertido pelo presidente da Casa, Deocleciano Ramos: “Cuidado Agnaldo, a Polícia Federal está aí gravando seu discurso porque você ataca muito o governo. Por favor, não me faça perder o mandato, pois não tenho condições de sobreviver”. Por conta dessa vigorosa atuação, o vereador chegou a ser detido pela Polícia Militar porque defendeu um cidadão japonês que tinha sido preso e espancado por um policial bêbado. Em outra oportunidade, ao visitar um político amigo na Penitenciária, constatou inúmeras irregularidades no presídio. No dia seguinte, fez um contundente discurso na Câmara. A Gazeta de Sergipe publicou com destaque as denúncias de Agnaldo, fato que levou a Polícia a apreender praticamente todos os exemplares do jornal.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais