Acusado de provocar acidente que matou ciclista continuará preso

0
Prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva (Foto: reprodução/redes sociais)

O homem identificado como Mario Chiacchiaretta Neto, condutor do veículo que atropelou e provocou a morto do ciclista André Rodrigues Espinola, teve o pedido de liberdade provisória negado e permanecerá preso preventivamente.

Mario Chiacchiaretta Neto foi preso em flagrante na noite desta segunda-feira, 20, por homicídio doloso, quando há a intenção de matar. O carro conduzido por ele atingiu outro veículo, que capotou várias vezes, e também atingiu o ciclista que veio a óbito. Mário realizou o teste de bafômetro, que indicou teor alcoólico muito acima do que é permitido por lei.

A audiência de custódia foi realizada nesta terça-feira, 21. Ao solicitar a defesa provisória, a defesa de Mário alegou que ele é hipertenso e pertencente ao grupo de risco da atual pandemia, anexando apenas nota fiscal de um medicamento, mas o juiz Luis Gustavo Serravalle Almeida entendeu que o comprovante de compra não comprovava a vulnerabilidade porque era data de hoje, 21 de julho.

O juiz também levou em conta a natureza e a gravidade do crime e destacou que a prisão preventiva é necessária para evitar que o acusado volte a cometer o mesmo tipo de delito. Com isso, o magistrado converteu a prisão em flagrante e prisão preventiva e negou o pedido de liberdade provisória.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais